BEATRIZ EM PERIGO!

»Públicado por em set 21, 2014 | 9 comentários

 

BEATRIZ SOFRERÁ ACIDENTE GRAVE

APÓS SER AGREDIDA EM SUPERMERCADO

O apoio incondicional de Beatriz ao marido, Claudio Bolgari, vai provocar a fúria das mulheres “defensoras da moral e dos bons costumes”. Mesmo depois de ter a vida pessoal escancarada por Téo Pereira e ver o filho Enrico abandoná-lo, o cerimonialista vai ouvir declarações de amor eterno da mulher. Mas isso não sairá barato pra ela.

Durante uma ida ao supermercado, Beatriz perceberá os olhares de censura de duas senhoras e não se conterá:

- Que foi? Por acaso perdi alguma coisa aqui?

A pergunta será a deixa para que as mulheres a agridam verbalmente. E uma delas responderá:

- Perdeu, sim. A vergonha!

- Que é isso? A senhora tá falando do quê?

- Do exemplo que você tá dando pra sociedade: como é que pode? Saber que é traída pelo marido… com outro homem!? E deixar por isso mesmo?

Beatriz esboçará uma reação, mas as mulheres não darão trégua. Uma delas dirá à mulher de Claudio Bolgari que a classe das esposas decentes, mães de família é discriminada e desvalorizada por culpa de gente como ela. Por fim, as senhoras a acusarão de ser o câncer da sociedade. Beatriz então será veemente, dirá que as duas são mal-amadas, recalcadas e sairá com o carrinho. As mulheres não se darão por vencidas e a seguirão com os ataques gratuitos:

- Não temos marido boiola! E também não aceitamos descaramento.

- Pouca vergonha, nojeira, bando de libertinos, obscenos! Dando ideia pros nossos maridos e filhos!

Beatriz perderá de vez a paciência e gritará com as mulheres:

- Vão cuidar das suas vidas! Se estão preocupadas com a minha vida, é porque não estão felizes com as suas! Mulherzinhas de marido, vazias, fúteis, medíocres… e feias!

Nervosa, Beatriz nem levará toda a compra que tinha feito. Ela sairá rapidamente do supermercado enquanto as mulheres a encararão com olhares reprovadores. No carro, as palavras que ouviu no supermercado ecoarão em sua cabeça. Chorando muito, Beatriz sairá dirigindo com aquelas vozes sempre a atormentá-la. Até que em um cruzamento, ela não verá que o sinal ficou vermelho e será violentamente atingida por outro carro. Socorrida, ela será levada de ambulância para o hospital.

 

 

Faça seu comentário

HOJE A FESTA É NOSSA!

»Públicado por em set 19, 2014 | 27 comentários

 

O ASDIGITAL INVADE AS GRAVAÇÕES DA FESTA

DA IMPÉRIO, FAZ FIGURAÇÃO E REGISTRA

TODOS OS DETALHES. LEIAM A SEGUIR.

texto: Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício

Imaginem… Um enorme salão de festas, lindissimamente decorado. O red carpet nos conduz por entre vitrines com colares e anéis de topázio, esmeraldas, brilhantes, ametistas. Espocam os flashes de dezenas de fotógrafos. Câmeras de TV também registram o evento. Garçons com flutes de champanhe, canapés de salmão, vinhos das melhores safras, panelinhas com escondidinho de aipim com bacalhau, se cruzam por entre convidados elegantérrimos. De repente… Tocam as trombetas! É o anúncio da entrada do Comendador (Alexandre Nero) e da imperatriz Maria Marta (Lília Cabral). Ele, de terno preto, bem cortado. Ela, num longo farfalhante vermelho, e sapatos dourados. Atrás do dois surge, no vídeo, a repetida, mas corretíssima frase: Os Diamantes São Eternos. Logo aparecem os herdeiros dos poderosos: José Pedro (Caio Blat), João Lucas (Daniel Rocha) e Maria Clara (Andréia Horta), todos de preto, mas num estilo jovial. Os donos da festa acenam ao ouvir as reverência (palmas e os famigerados ‘uhus’!) dos convidados, e sentam-se em seus tronos para dar início a um evento que duraria três dias: o lançamento da nova coleção da designer da Império das Joias, Maria Clara Medeiros de Mendonça e Albuquerque.

Para tudo, gente! Tem algo mais glamouroso e que faça a imaginação viajar do que isso? Pode até existir, mas essa viagem que começa hoje, em IMPÉRIO – organizada por Aguinaldo Silva, e realizada pelo diretor de núcleo Rogério Gomes, o Papinha, será inesquecível. E sabe o que é ainda melhor: Meninos, eu vi! Estive lá, no ‘salão’ do Pólo Rio Cine Vídeo Comunicação, na Barra, Zona Oeste do Rio, durante os três dias, toda trabalhada no preto e dourado, captando os detalhes. E posso afirmar que foi um capricho geral. Que equipe organizada, unida e educada é aquela? Deu gosto passar 72 horas em pé no salto 10! Isso sem falar nas fofocas, baixarias e até surrupios de trufas a um anel que vale 343 mil reais, que dão um gostinho a mais a esses eventos. É, porque festa que se preza clama por momentos bafônicos…

 

TUDO FORA DE ORDEM,

MAS ORDENADÍSSIMO

 

Quem acompanha novelas sabe que cronologia é algo totalmente relativo, que tudo é gravado fora da ordem em que as cenas vão ao ar. E é muito bom ver aquele quebra-cabeças ser montado. É maravilhoso começar a festa assistindo, logo de cara, Juju (Cris Vianna) dar a volta por cima e brilhar na passarela desfilando um conjunto de colar e brincos de esmeraldas. Enquanto isso, 11 modelos da Ford Models esperam, escondidas das câmeras, mas já prontas para mostrar as 21 peças da joalheria Amsterdam Sauer, além de bijuterias finíssimas.

Querem saber como Juliane foi parar lá? Uma cena gravada no último dia explicou tudo: uma das tops dá piti. Maria Clara liga para o pai, que sugere Juju Popular (a pedido do patrono da União de Santa Teresa) para o lugar da moça. A designer fica surpresa, mas, com seu feeling de que a ex-rainha de bateria vai gerar ainda mais notícia para a festa, o Comendador decreta: ‘Dispensa aquela magrela metida, e manda ela pastar’. E a ex de Orville (Paulo Rocha) deu show. “Estou achando muito bom reviver meus tempos de modelos”, comentou Cris, num intervalo.

Ao meu lado, Érika (Leticia Bierkheur) ‘fotografa’ tudo para o blog do terrível Téo Pereira (Paulo Betti). E, se não for cortada na edição, ela elogia a performance de Juju Popular, e essa escriba que vos descreve as cenas entabula uma conversinha com a ‘lorona’. E haja lenço de papel para minhas mãos, que suava em bicas depois disso nervosismo de estreante. E não ficou só numa conversa. Apesar de Érika ser da ala do jornalismo marrom com bolinhas bege, no dia seguinte, ela voltou a falar comigo e com o fotógrafo Fco Patrício, cena que pode/deve/quem sabe ir ao ar hoje.

E o melhor de ‘estar em cena’, junto com a ‘imprensa’ são as perguntas que os figurantes fazem de como devem proceder ou quando me chamavam para ficar ‘perto da luz, porque assim você aparece mais’, os toques que dei a Leticia posso usar chavão? Ela é linda por dentro e por fora! Na cena em que Érika aborda a, então, desetruturada Beatriz (Suzy Rêgo), perguntando sobre o fato de o marido dela beijar rapazes, Leticia achou que não deveria entrar de sola, já que era uma situação horrorosa e ela poderia ser destruída por Beatriz (quem acabou destruído foi o gravador de cena, que mergulhou no refrigerante que fazia às vezes de champanhe). Disse como eu faria numa situação dessas, ela concordou, levou ao Papinha, e, no final, com o talento das duas atrizes e a direção dele, a cena ficou pra lá de bafônica. Parecia que a Suzy, uma fofa na vida real, ia dar na cara da Érika, tamanho o ódio que a atriz demonstrou.

UM DIA DE ANGÚSTIA,

TRISTEZA E CONVERSA BOA

 

 

No segundo dia detalhe: nos três todos usaram a mesma roupa, mas como o vestido era meu tive a felicidade de poder lavá-lo, em casa -, muita emoção. Desde o telefonema de Enrico (Joaquim Lopes) para Claudio (José Mayer) dizendo que o amava e tinha muito orgulho de ser seu filho (olha como as coisas mudam de um momento para o outro na cabeça de um preconceituoso…) até a briga entre Cristina (Leandra Leal) e o Comendador. O bom é que como a moça tem cabelo nas ventas, não deixa o ricaço dar a última palavra: vai atrás, retruca as grosserias dele e sai da festa. José Alfredo ainda tenta o resgate, mas Cris já está no ônibus de volta para Santa Teresa.

E como em festa não pode faltar boa música, a DJ convidada para tocar foi a concorridíssima Dri Toscano. Uma ex-publicitária, ex-personal trainer, que, há seis anos, na festa de um amigo abalou fazendo um remix de sucessos dos anos 1970 e 1980, com uma batida moderna. Foi aí que ela descobriu o que realmente queria ser. “Adoro fazer desfiles, festa privê, eventos. Em 2012, toquei na Semana de Moda de Paris, e em Londres. Ano que vem, vou para Miami e México”, contou, animada. E atender pedidos dos convidados? Tudo bem? “Não tenho qualquer problema, mas prefiro que seja dentro da minha linha de trabalho. Pedem muito Pet Shop Boys e Eurythmics, por exemplo”.

Pena que a música era cortada a todo instante. Explica-se: o diretor pedia que Dri tocasse para dar o clima de festa dançante e cortava para que as falas pudessem ser gravadas. E todo mundo continuava se mexendo como se ainda estivesse tocando música. Mas a tendência é que os figurantes comecem a parar, já que não estão ouvindo nada. E Papinha, de vez em quando, tinha que lembrar: “Gente, vamos dançar. Isso é uma festa, não é enterro, não”. E eles voltavam a chacoalhar e até criar clima de romances fakes.

Mesmo depois do belo almoço, antes de entrar em cena, bate aquela fominha. Conversando com Leticia, disse que estava ávida por um café com leite. Ela falou em cima: ‘ Chama o Patrício e vem comigo!’. Achei que ia nos levar até a cantina, fora do estúdio. Que nada, inocente! Fomos parar na sala de estar dos atores. Lá estavam, esperando para ser chamados para gravar, José Mayer e a filha, Júlia Fajardo, que interpreta a Helena, Alexandre Nero, Tato Gabus Mendes, Josie Pessôa, Daniel Rocha, Hugo Esteves (o Patrício fake), e um delicioso bufê de salgados e doces, além é claro da melhor mistura que já inventaram no mundo, café com leite.

Quando chegamos, José Mayer a quem conheço há mais de 20 anos foi logo brincando: ‘ Ih, vamos parar com essa conversa, que a imprensa chegou’. Nada. Aí, foi que o papo rolou solto: opiniões sobre filmes e peças preferidos; o que achavam dos grandes cineastas e diretores de teatro; como, no Brasil, a emoção passa pela necessidade de chorar no vídeo. Dei meu pitaco, lembrando de uma cena magistral da minissérie Agosto (1993), em que o comissário Mattos (Zé Mayer) estava morrendo por causa de uma úlcera, e o clima no Palácio do Catete estava péssimo com a morte de Getúlio. E Zé, encostado numa palmeira dos jardins do Palácio, passou a dor física e moral que sentia, sem precisar de lágrimas.

E o papo ficou acalorado. Não tanto quanto o fotógrafo do ASDigital. É que ao apertar a válvula da garrafa térmica do café provoquei uma pequena ‘explosão’ (acho que foi o ar comprimido…), dando um banho do líquido quente no companheiro de blog. E também no texto de José Mayer, que, no maior bom humor, disse: ‘Ficou ótimo. Está parecendo papel envelhecido’.

O QUE É BOM SEMPRE ACABA

Último dia de gravação. Depois do almoço junto com integrantes da equipe, atrizes com bobs nos cabelos e chinelos (aliás, todas elas ensaiam de Havaianas,e só colocam o saltão na hora de gravar), e modelos já prontas para entrar em cena, voltamos ao salão de festas, tristes por estar acabando. Fomos diretamente para a mesa de doces. Não, não seria a nossa sobremesa. Fomos dar flagrante em Magnólia (Zezé Polessa) e Severo (Tato Gabus Mendes) carregando os chocolates para casa. Só faltava o tupperware (tem quem leve para festas de grande porte, sim!).

E vem toda a sequência do sofrimento de Beatriz e Claudio ao saberem que o peçonhento do Téo contou quem era o beijoqueiro da foto. Papinha pediu um efeito de câmera sensacional. Ela acompanhava todos os movimentos da saída de Claudio, transtornado, esbarrando nas pessoas com o salão lotado, depois closes dos convidados, como se estivessem sob a perspectiva do cerimonialista sendo hostilizado, censurado, por quem ele passava. E, para mostrar que o tempo é realmente outro na hora de gravar, vem a cena de Seu Antoninho (Roberto Bonfim) acompanhando Juju até a recepção do evento para fazer o desfile. E uma das melhores sequências: o roubo do anel de esmeralda por Lorraine (Dani Barros), que mesclou seu humor natural com drama. E o medo de ser pega com a joia? E o anel, enorme, que precisava parecer entalado? E a saída da personagem, no fim de festa, morta de medo, mas com a sensação boa de ter dado um golpe certeiro? Dani é um luxo.

Teve ainda Joaquim passando por lá, e dizendo à noiva que tinha vergonha do pai. O Comendador voltando às origens e proseando com Vicente (Rafael Cardoso) sobre as boas comidas da terrinha, no caso Pernambuco, Estado dos dois personagens. Enfim, um festival de cenas maravilhosas, movimentadas, gravadas num clima tranquilo, sem aquele estresse que mais de 300 pessoas tão diferentes poderiam causar se não houvesse coesão e paciência da equipe da novela.

Depois de chegar em casa com os pés em brasas, o vestido tão reutilizado, mas muiiiiito feliz por estar no estúdio e poder contar tudo isso a vocês, já estou revigorada, pensando no modelito para o casamento de Clara. Esse, sim, vai ser o frege dos freges. Mas não posso adiantar nada. Vou resgatar a saudosa dona Milu (Mirian Pires), de Tieta (1989), e enfatizar: ‘Mistééééééério!!’.

Faça seu comentário

TÉO TIRA CLÁUDIO DO ARMÁRIO!

»Públicado por em set 18, 2014 | 12 comentários

 

ESCÂNDALO!

Em plena festa da Império a notícia se espalha feito um rastilho de pólvora: Téo revela no blog do mal a identidade do “beijoqueiro”!

texto: Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício

_____________________________________________

Tão superproduzida quanto bafônica, a festa de lançamento da coleção das novas joias de Maria Clara (Andréia Horta) deu panos pra manga. O pior foi o que o casal Bolgari mais temia: Téo Pereira (Paulo Betti) postou o beijo de Claudio (José Mayer) e Leo (Klebber Toledo), expondo ao mundo a bissexualidade de seu amor de juventude. Beatriz (Suzy Rêgo) ficou chocada ao saber, mas logo Helena (Julia Fajardo), percebendo que a mulher do cerimonialista ia desabar a qualquer momento, a tirou do salão de festas, dizendo que não a deixaria passar vergonha.

Logo depois, apareceu Claudio. Ao encontrar a esposa disse que não estendia porque todos estavam olhando pra ele. Arrasada, Beatriz tentou contar, mas não conseguiu. Até que um dos funcionários do staff do cerimonialista soltou, aos risinhos, que ele “está nervosa”. Tensão total! O casal Bolgari se reuniu no salão, comentou a perversidade do blogueiro do mal, chorou, falou dos filhos… e Claudio saiu, perturbadíssimo.

 

 

 

 

 

 

Em seguida para piorar -, Érika (Leticia Birkheur) tentou entrevistar Beatriz, e perguntou o que ela achava de ter “um marido que também beija rapazes”. A mulher de Claudio virou bicho: pegou o gravador da jornalista, jogou num flute de champanhe, e gritou que se Érika se aproximasse novamente, ela é quem seria afogada. O babado foi tão forte, e as atuações tão boas, que o diretor de núcleo da novela, Rogério Gomes, o Papinha, não escondeu a alegria com o resultado, e pediu que fotógrafo Fco Patricio registrasse aquele momento.

Mas nem tudo foi choro. Teve roubo também! O casal explorador/trambiqueiro/amigo do alheio, Magnólia (Zezé Polessa) e Severo (Tato Gabus Mendes), não poderiam ficar de fora da festa do ano. Depois de roubarem um convite para o evento, que estava dentro do carro do Comendador (Alexandre Nero), os pais de Isis (Marina Ruy Barbosa) decidiram desfilar sua ‘fashionice’ nos salões repletos de joias e gente chiquérrima. Ela, num longo dourado – confeccionado em tecido com o qual se forrava sofá nos anos 70 -, enrolada numa estola de pele com desenhos de animais que poderiam ser tudo até oncinhas, um aplique de 2 metros fazendo um rabo de cavalo, e, o melhor de tudo: uma capanga (aquela horrenda carteira masculina) gigante e dourada, na qual foram parar quase todos os chocolates da mesa de doces.

 

Mas para chegar lá o casal suou. Helena, que estava na recepção, não encontrava os nomes de Magnólia e Severo na lista de convidados. Mentira vai, mentira vem, eles conseguiram penetrar. Deslumbrados, aproveitaram o glamour e o bufê ao máximo. Mas foi na mesa de doces que se encontraram. Severo, com um pouco menos de avidez, pedia que a mulher parasse já com a capanga gigante estofada de guloseimas. Mas ela garantiu que as trufas também seriam distribuídas entre as vizinhas, “pra tirar uma onda”. Magnólia ainda ameaçou o marido: “Se ficar reclamando, não te dou nenhuma!”. E trataram de se escafeder, assim que souberam que ia rolar revista nos convidados, depois do sumiço do anel de esmeralda.

 

Não percam amanhã aqui no blog: a cobertura completa dos três dias de gravação da superfesta de “Império”, incluindo uma galeria com mais de 300 imagens de todos os envolvidos no bafão.

 

 

 

Faça seu comentário

CADÊ O ANEL QUE TAVA AQUI? LORRAINE COMEU!

»Públicado por em set 17, 2014 | 5 comentários

 

 

 

 

 

texto: Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício 

________________________________________

Como  diria Tim Maia: ‘ Vale tudo!’. Só que a Lorraine (Dani Barros), de IMPÉRIO, leva isso ao extremo quando vê a possibilidade de ficar milionária. Não é que a trambiqueira vai fazer um bico de copeira na festa de lançamento da coleção de joias de Maria Clara (Andréia Horta), e rouba um anel de esmeralda no valor de R$ 343 mil? E tem mais: com medo de ser descoberta, ela engole a peça, que só desce pela garganta depois de tomar um flute de champanhe. “Foi o melhor jantar que eu já tive”, comemora a ex de Ismael (Jonas Torres).

  O caminho que o anel faz pelas entranhas de Lorraine é difícil, mas, dois dias e muito mamão depois, a esmeralda é expelida. Quando o catador de lixo sabe da história faz a ex entregar-lhe o anel – devidamente desinfetado -, que ele devolve a José Alfredo (Alexandre Nero), garantindo que encontrou-o no lixo, para não prejudicar Lorraine. E, com isso, Ismael é eleito o homem mais honesto do mundo, com direito a reportagem no Fantástico, no Bem Estar, na |Malhação e em todos os programas que vocês quiserem imaginar!

  As cenas do roubo da peça – uma das 21 pertencentes à joalheira Amsterdan Sauer apresentadas no desfile de Maria Clara – foram gravadas hoje, 17/09, no Pólo Rio Cine Vídeo Comunicação, na Barra, Zona Oeste carioca. Como de boba Lorraine não tem nada, ela ‘jantou’ logo um anel em ouro branco, 18 quilates, com uma esmeralda antique, de 9,62 quilates, e 198 diamantes em torno. Eu até experimentei. Mas, declinei da compra: acho que verde não me cai bem…

 

Não, gente, não é “fake” não, é verdadeiro, bem como todas as jóias que vão aparecer  durante o desfile da nova coleção de jóias da império. Este anel de esmeralda e brilhantes, que Lorraine deglutiu, custa na joalheria da vida real, para quem quiser se atrever a comprá-lo, a bagatela de R$ 343.000,00…

 

 

Faça seu comentário

CRIS E ZÉ ALFREDO DISCUTEM!

»Públicado por em set 16, 2014 | 6 comentários

 

(fotos: Fco. Patrício)

Vai acontecer na semana que vem durante a festa de lançamento da nova coleção de jóias da Império. Cristina recebe um convite, acha que foi o comendador quem mandou – foi Maria Clara -, comparece e vai agradecer a ele… E leva o maior fora do homem de preto! “Quem falou que fui eu quem te convidou?” – ele pergunta, e Cristina responde chamando-o de grosso e arrogante. Ela vai embora, ele se arrepende e vai atrás, pede a ela para voltar pra festa, mas ela mostra que é filha – ou pelo menos sobrinha – dele ao se revelar tão teimosa e orgulhosa quanto José Alfredo: “não volto nem morta!” Ele oferece o carro dele para levá-la em casa, e ela se mantém firme: “vou de ônibus, foi assim que eu vim”. Durante a festa Maria Clara recebe o prêmio de Designer do Ano, e Cláudio e Beatriz são humilhados, pois Téo Pereira afinal publica no blog dele “quem é o beijoqueiro” e a notícia cai na rede e na boca do povo, incluindo os convidados da festa.

As gravações da festa, que vão durar um capítulo e meio no ar, começaram ontem e continuarão até a noite desta quarta-feira.Trata-se de uma super-produção, que reúne boa parte do elenco da novela, e que será seguida de mais dois grandes eventos a ser gravados nos próximos dias: a ida de Maria Marta ao Monte Roraima em busca do diamante cor-de-rosa, e o casamento de Maria Clara e Enrico.

Faça seu comentário

MARIA MARTA MANDA ZÉ ALFREDO ADOTAR CRISTINA!

»Públicado por em set 16, 2014 | 3 comentários

 

Ao sentir que Cristina é cada vez mais uma ameaça real para sua família, Maria Marta Medeiros de Mendonça e Albuquerque, como uma leoa, não medirá esforços para proteger suas crias e, principalmente, o patrimônio da Império das Jóias.

Na tentativa de manter distante a suposta filha bastarda de José Alfredo, a imperatriz fará uma proposta ao mesmo tempo inusitada e contraditória ao comendador: que ele adote Cristina.

O encontro entre os dois será na suíte máster de Maria Marta. José Alfredo já entrará bufando:

- Muito bem! Já cheguei em casa, afiei os dentes, risquei o chão com a unha, meu pelo tá ouriçado, a baba tá pingando…

Marta reagirá e o comendador dirá que é o ritual antes de conversar com ela. Em seguida José Alfredo irá direto ao ponto:

- Agora, vamos à pauta: minha sobrinha. Não é disso que você quer falar? Desembucha!

- Com prazer. Até quando você acha que vai conseguir manter a garota longe da nossa família? – responderá Maria Marta.

Na sequência, entre troca de farpas e agressões verbais mútuas, José Alfredo dirá à esposa pra dizer logo o que ela quer.

- Ah, vou te dar uma lista! Tou brincando. O que eu quero, José Alfredo, é não sentir o desprazer de daqui a pouco ter que aturar uma enteada fubá na minha vida. Nas nossas vidas.

Irritado, José Alfredo dirá que Cristina não é filha dele, ao que Marta o interrompe:

- Não vai começar com essa história de não fazer o exame de DNA, que aí ela ganha a causa à sua revelia. Ou seja, antes que ela aja, nós temos que tomar a dianteira e jogar na frente dela.

- O que é que você sugere, Maria Marta?  – perguntará José Alfredo. E Marta dirá na bucha:

- Dê um jeito de meio que adotar a bastarda.

O comendador não entenderá muito bem o que Marta quis dizer com “meio” que adotar e a quatrocentona explicará:

- Dá atenção a ela, ao irmão… Àquela tia mocoronga, que eu já vi que não dorme em serviço… Manipular o lado pé-de-chinelo da sua família, antes que aquela tal de Cora parta com tudo pra cima da gente.

José Alfredo perguntará se é com dinheiro que Marta quer comprar os “pés-de-chinelo”. Ela confirmará e ainda dirá que é pra dar um chá de cala a boca neles. Principalmente em Cora:

- A bastardinha eu já vi que é boba, até me pagou o que eu tinha dado a ela a fundo perdido. O irmão eu não conheço. Mas a Cora… Aquilo ali não vale um tostão de mel coado, é uma víbora, vai querer nos extorquir até a medula se a gente não agir na frente.

O comendador prometerá pensar na ideia, mesmo não acreditando que ninguém da família de Cristina seja maquiavélico como Marta. “Mas como se trata de dinheiro”, dirá ele, “seguro morreu de velho”.

- Isso. Bota a cachola pra funcionar e pensa muito. A gente não remou esses anos todos, atravessando oceanos, pra morrer na praia. Ou pior: vendo um cardume de sardinhas esqueléticas devorando um tubarão! – dirá Marta, que se vira para o espelho, sorri e retoca o batom, simulando o veneno escorrendo no canto da boca.

Faça seu comentário

UMA RAINHA NO IMPÉRIO!

»Públicado por em set 15, 2014 | 5 comentários

 

 

 

Quem é esta portentosa rainha que, com toda a segurança que a realeza lhe permite, invade os domínios do Império? É Cris Viana, aliás Juju Popular, que, convocada pelo comendador José Alfredo Medeiros para exibir a jóia mais valiosa da nova coleção de sua empresa – um colar de esmeraldas colombianas -, não pensa sequer duas vezes. Aceita o convite e, em meio às top models que participam do evento, se destaca e bota pra quebrar. As cenas, que vocês verão nos capítulos de sexta e sábado da semana que vem, começaram a ser gravadas ontem e se estenderão por mais dois dias, numa verdadeira super-produção que faria inveja a Hollywood. E, como diria o comendador, God save a rainha Cris Viana!

(fotos: Fco. Patrício)

 

 

 

Faça seu comentário