O REBELDE E SUA CAUSA

» Públicado por em jul 8, 2014 | 21 comentários

Daniel Rocha surpreende pelo binômio pouca idade – 23 anos – e as muitas atividades com que já se envolveu. Ah! E pela maturidade, também. Não vamos falar em beleza – notável nas fotos de Fco Patrício – e talento porque, além dos trabalhos anteriores na TV, ele promete ser um dos pontos altos de Império, próxima novela das nove da Globo, que estreia dia 21 deste mês. Difícil é descrever seu personagem, João Lucas. Filho de José Alfredo (Alexandre Nero) e Maria Marta (Lília Cabral) ele é desajustado e infeliz, bebe e usa substâncias proibidas, vive recolhido ou nunca para em casa. Mas não é do mal. “É fruto de uma família disfuncional”, explica Daniel. Mas a redenção virá quando se apaixonar. Enquanto isso, João Lucas tem como “protetora” uma amiga, que ele vê como “um companheirão”: a transgressora light Eduarda (Josie Pessôa), ou Du, para os íntimos. Na verdade, o personagem de Daniel Rocha é o desenho de muitos jovens que seriam bem diferentes se tivessem amor, valores e diálogo com os pais.

entrevista de Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício

_____________________________________________

Eu acabei de defender o João Lucas, aí em cima. E para você, ele é defensável?

Sim, toda questão da criação do personagem levou a chegar nesse ponto. O pai demonstra claramente sua preferência pela filha, Maria Clara (Andréia Horta). A mãe, pelo outro filho, José Pedro (Caio Blat). E João Lucas sobra. Ou melhor, não sobra nada para ele. João Lucas não entra nessa briga por poder em que todos estão envolvidos. E busca o antídoto para seus problemas, inquietações, nas drogas e no álcool. Tanto que algumas cenas, como uma em que o personagem vai preso, fiz totalmente depressivo, bad (no sentido de ‘pra baixo’).

Além de tudo ainda é bode expiatório num crime do irmão…

Pois é. O José Pedro está em alta velocidade, na estrada, e atropela um bêbado, o Gilberto, que morre. Ele corre para mãe, que o convence a abandonar seu carro numa rua, com chave tudo – como se tivesse sofrido um assalto. Só que meu personagem já bebeu demais e, quando vê o carro, entra e começa a dirigi-lo. É parado numa blitz e preso. A culpa da morte do Gilberto cai nas costas dele, que fica na cadeia, durante alguns dias.

Mas e a mãe, o pai?

Ela viaja para o Monte Roraima atrás dele, alegando que quer falar sobre os problemas do meu personagem. O pai volta, paga a fiança. E é aí, que José Alfredo, pela primeira vez, se abre com o filho. Conta que teve um grande amor (Eliane), que não deu certo. João Lucas até acredita numa aproximação entre os dois depois disso, mas não acontece… e a rebeldia continua. E a mulher do tal Gilberto fica extorquindo dinheiro da Maria Marta para não levar o caso adiante.

E o José Pedro?

Demonstra uma certa dor na consciência quando estou na cadeia, insiste na história que teve o carro roubado, mas fica calado em relação ao atropelamento. João Lucas demonstra que sabe que o irmão está mentindo. Acho que ele não faz as coisas na maldade, ele é infantil até. Sempre foi o diferente, de certa forma para chamar atenção, ter o carinho dos pais. Vejo-o como uma boa pessoa. O mais prejudicado com suas atitudes é ele mesmo.

Depois de passar por muitos sofrimentos, seu personagem vai se envolver com Maria Isis (Marina Ruy Barbosa), que já terá sido rejeitada pelo Comendador. E, após uma noite de bebedeira, ele transa com Du, e ela engravida. Tudo isso muda João Lucas. Você acredita na redenção pelo amor?

Pode acontecer, sim. Depois de várias mudanças, ele consegue se relacionar com Maria Isis que, como ele, também se sente desamparada emocionalmente, apesar da relação com José Alfredo. Eles se encontram nas suas fagilidades. E o filho será um elo pra sempre com Eduarda. Será que isso vai uni-los ainda mais? São duas excelentes possibilidades para ele. Vou ficar ansioso pelo que virá do Aguinaldo Silva.

 

VIOLINO, JIU-JITSU E KICKBOXING

O que você leu e assistiu para compor o personagem?

Ele é um rebelde sem causa, e eu adoro James Dean e Marlon Brando. Você imagina a minha felicidade, né?(risos). Vi os filmes de Elia Kazan (como Vidas Amargas/1955, Um Bonde Chamado Desejo/1951 e Sindicato dos Ladrões/1954), quase todos os de Brando, li muito sobre ele, que assume não ser um grande ator. Mas tem uma postura… algo de marcante, e revela sua posição contra o que não acredita. Assisti aos três filmes de James Dean várias vezes. Em Vidas Amargas, ele corre demais, e trava uma luta com o irmão pelo afeto do pai. Você vê como o João Lucas também tem essa necessidade de correr muito de carro como uma espécie de fuga do que está acontecendo em torno e dentro da cabeça dele?. São atores que sempre estudei, e foi muito bom ter me inspirado neles nesse universo tão complicado por onde transita meu personagem.

Em relação às drogas e à bebida, ele se afunda nisso?

Ele não usa drogas pesadas, mas bebe muito. Aliás, eu estou impressonado como a juventude de hoje está bebendo tanto!  E não é nada leve. São coquetéis com vodca, uísques, e outros drinques mais alcoólicos. Acho que é uma coisa que deve ser vista…

Você bebe?

Socialmente. Fui à Argentina recentemente e provei ótimos vinhos, que acompanham muito bem pratos maravilhosos. Acho que tudo tem que ter sua medida.

Tenho um filho adolescente que sempre demonstrou interesse por guitarra, bateria e teclado… O que levou você, dos 6 aos 12 anos, a optar pelo violino?

Todos os domingos meus pais nos levavam para assistir à apresentação da Orquestra Sinfônica, na Sala São Paulo, na Estação da Luz. Toda família adora música. Tanto que meu irmão Tiago, de 25 anos, toca sax, e minha irmã, Ana Raquel, de 21, escolheu o piano. Quando criança, eu gostava de violoncelo, mas achava grande demais, não imaginava que poderia ter um para o meu tamanho. Aí, pensei no violino que, mesmo assim, teve que ser menor para eu poder começar a tocar aos 6 anos.

Com essa idade você ficava, todos os domingos, quietinho assistindo à orquestra?

Eu não era quieto (risos), mas adorava aqueles sons. Nunca fui bom, tinha talento, mas não como amigos, daquela época, que hoje são spalla (primeiro-violino) de grandes orquestras. Mas adorava tocar.

Seu pai sendo dentista nunca tentou que um dos filhos seguisse a carreira dele?

Meu irmão disse logo que não. Minha irmã também não teve interesse. E eu, quando era menor, o acompanhava às aulas que ele dava na USP, via as cirurgias – hoje não gosto nem de ver sangue (risos). Pensando bem, nunca quis ter uma profissão que todos os meninos da minha época queriam, como arquiteto, bombeiro, astronauta…

E nem ser pastor evangélico da Assembleia de Deus, como o seu pai?

Não. Eu sou evangélico, como a família inteira. Todo domingo e quarta, quando posso, vou à igreja. Não tenho nada contra ninguém, no que acreditam, no que pregam. O que tenho é a crença em Deus, a quem peço e agradeço tudo na minha vida.

Seu pai sempre foi um entusiasta das suas escolhas e era louco para ver você numa novela. É isso mesmo?

É, sim. Tinha épocas em que ele assistia às novelas. Depois, com a entrada dos canais a cabo,  passou a ver outros programas. Quando fui fazer a minha primeira novela, Avenida Brasil (2012), ele me deu muita força. Meus pais (Cledson e Márcia) sempre me deram apoio, e têm uma relação que admiro muito. Um foi o primeiro namorado do outro. Namoraram durante 11 anos, e estão casados há 28.

Por que, aos 12 anos, você passou da música para as aulas de jiu-jitsu?

Eu era pequeno, magro, quieto. Isso era um problema pra mim no colégio. Entrei para o jiu-jitsu com dedicação total, e o pessoal da escola começou a ter respeito por mim. Nunca fui um bom lutador, mas cheguei à faixa azul. Quando tinha 15 anos, o treinador Paulo Zorello, tricampeão mundial de kickboxing, me viu e chamou para fazer um treino. Achou que eu tinha condições de me sair bem na categoria juvenil. Acabei sendo campeão paulista, brasileiro, sul-americano, panamericano de kickboxing. Mas no meio disso, aos 16, apareceu o teatro.

 

TEATRO, TELEVISÃO E MUITOS TESTES

 

Como surgiu o seu interesse pelo palco?

Estudava em escola técnica e fazia teatro lá, meu pai disse: ‘Se você tem interesse, por que não faz um curso de teatro?’. Resolvi conciliar a escola, a luta e, duas vezes por semana, as aulas de teatro. Continuei com o kickboxing até os 18, sentia que era uma coisa só minha, pela qual era reconhecido. Extravasava energia como no teatro, no qual também tinha uma equipe, disciplina e um diretor, um coach. Foi uma grande oportunidade ter participado por cerca de três anos do grupo do Antunes Filho. Numa época em que levei 220 milhões de ‘nãos’ em testes para comerciais e novelas.

Como você conseguiu entrar no universo restrito do grupo de Antunes Filho?

Lembro muito bem que, aos 18 anos, fui ver a peça ‘Lamartine Babo’, e adorei. O assistente do Antunes perguntou se eu queria fazer um teste, disse que sim, mas, na hora, fiz tudo errado: eu só gritava, parecia um descontrolado, exagerei, achei que não ia dar nada certo. E passei! (risos). Mas entendi que o Antunes não é a peça, é o processo. Às vezes, trabalhávamos um texto durante meses, e não era encenado. Ele tirava um do grupo a cada sexta-feira. Não podia faltar um dia que já era eliminado. Teve uma época em que ficamos apenas eu, Antunes e dois atores fazendo Hamlet.

E o encontro com a televisão?

Fiz o teste para 19ª temporada de Malhação, mas não passei. O material ficou arquivado e, em 2012, o Luciano Rabello (produtor de elenco) perguntou se eu queria fazer o teste em São Paulo para a nova novela das nove da Globo, Avenida Brasil. Além do texto, ele me pedia várias expressões em situações diferentes. Com a experiência do grupo do Antunes, fui hábil e rápido nas mudanças de expressões. Luciano gostou, me deu telefone, Facebook, pediu que entrasse em contato se tivesse alguma dúvida. Mas eram 70 atores fazendo teste para o papel do Roni. Uma semana depois disso, eu e Antunes tivemos um desentendimento, e fui embora do grupo. Como não recebia a resposta da Globo, planejei ir com meu irmão, que é chef de cozinha, fazer um curso de gastronomia na Austrália. Pensei: vou juntar uma grana trabalhando no Outback (steak house).

Como tem ator que gosta de gastronomia em Império!

Pois é! Mas o Joaquim (Lopes) e o Rafael (Cardoso) são feras…(risos). Quando estava perto da viagem, o Luciano ligou para que eu viesse ao Rio fazer um teste com o Thiago Martins. Foi tão engraçado… Estavam lá Amora Mautner e Ricardo Waddington, mas eu não os conhecia. Não sabia que eles eram os diretores da novela, e fiz achando que eram da produção. Nesse dia, conheci Cauã Reymond, que foi supersimpático comigo e me elogiou. Soube que tinham quatro concorrentes à vaga do Roni. E, quando terminei o teste, Amora disse: ‘Vai ser você’. Mas eu já tinha escutado isso várias vezes, e nunca era. Dessa vez foi diferente: demorou um mês, e me chamaram.

 

 

E os seus pais, principalmente ele sendo pastor, não acharam, no mínimo, estranho fazer um triângulo amoroso com Thiago Martins e Isis Valverde?

 Não, eles sempre me deram força para tudo. E logo fui chamado para apresentar o quadro ‘Menina Fantástica’, no Fantástico. Aí, a Globo me contratou. Fiz uma peça, ano passado, ‘Amigos, Amigos, Amores à Parte’, e a participação como Rogério, um oncologista, em ‘Amor à Vida’. O que me levou a fazer um laboratório no Instituto Nacional do Cancer (INCA) e na Associação Brasileira de Ajuda à Criança com Câncencer ( Abracc). Foi barra pesada, mas importante ter essa experiência.

E foi no Inca que você conheceu a sua namorada, Rafaella Cito, estudante de medicina. Bom, ainda é namorada? Por que abrindo a página no Google com os nomes de você vemos várias matérias sobre idas e vindas do casal.

Não, nós não voltamos (risos). Há três semanas me fotografaram com outra pessoa, no Leblon, e disseram que era ela. Estou ‘conhecendo’ uma estilista, que mora em Los Angeles. Mas prefiro não entrar em detalhes.

 

  CORPO DESENHADO,

DIETA PALEOLÍTICA

E PIZZA DE PEPPERONI

 

E quando você não está gravando, o que gosta de fazer?

Fico muito em casa, estudando o texto, principalmente nesse começo de personagem. Assisto à TV – gostei da série Game of  Thrones. Leio muito, vejo filmes, mas também vou ao cinema e, às vezes, à balada.

Quais as mudanças para o João Lucas, além de passar a máquina três no cabelo?

Pensei nele magro, seco, mas com corpo com desenho. Trabalhei muito com meu personal Diego e uma nutricionista. Estou com 5% de gordura no corpo.

Nossa! E você ainda come (risos)?

Claro! Mas tudo de forma equilibrada, de três em três horas. Muita proteína: carne e clara de ovos cozida, tomo suplemento alimentar, faço o que chamam no exterior de Dieta Paleolítica. Por exemplo, no almoço pode ser batata doce, frango e legumes, ou arroz integral. À tarde, uma salada de frutas. Antes do treino, à noite, tomo suplemento. Mais tarde, seis claras de ovos cozidas.

Mas em nenhum dia você sai dessa prisão?

(risos) Ah, domingo, à noite, como o chocolate branco, que adoro!  Faço uma palha italiana que vocês precisam provar! Como pizzas de pepperoni, e burrata com presunto de parma.

E nada de refrigerantes, né?

Só bebo água-de-coco o dia inteiro, e, às vezes, suco de uva integral. E como frutas.

 

    

O QUE ELE PENSA SOBRE…

DROGAS – ‘

Sou contra, até o álcool. Acho que podem destruir o ser humano. Há pessoas, por exemplo, que usam a maconha com indicação medicinal. Mas isso é uma outra história’.

VIDA –

‘É diversão. É uma só’.

Como evangélico você não acredita que haja outra vida, né?

‘Acredito no inferno. Não é possível que um serial killer, por exemplo, não seja punido’.

MORTE –

(pausa) ‘Tenho medo. E o estranho é que ando de moto, já caí de skate e me machuquei, ou seja, vivo perigosamente. Assim me sinto vivo, tentando não pensar nessa coisa de morte’.

LUGAR – ‘

Gosto muito de Nova York, tem escolas de teatro incríveis! Há peças off Broadway maravilhosas, você esbarra com professores, artistas, nas ruas. Tem um clima propício para arte. Mas morro de vontade de conhecer Paris’.

FAMÍLIA –

‘O porto seguro, a certeza de que sempre vai estar lá’.

AMOR –

‘Existem vários tipos. Li, outro dia, que o nosso corpo é feito para se apaixonar. Bom, me considero um romântico… Pra mim, amar é quando você encontra a pessoa que faz seu coração bater mais rapidamente’.

 

FILHOS – ‘

Tenho vontade de ter um, mas entre os 27 e 30 anos… acho que vai ser uma boa época. Ainda não tenho uma carreira consolidada nem a possibilidade de me dedicar como gostaria a um filho.’

DEFESA DOS ANIMAIS – ‘

Acho que não tem nada a ver fazer testes com animais. Adoro cães, e tenho o Kiko, um chow chow de 13 anos. Foi meu primeiro cachorro. Não gosto nem de pensar em perdê-lo. Acho terrível quem faz qualquer coisa de mau contra um animal’.

21 comentários

  1. Já sobre o papel do João Lucas, eu gostei. Ele é lindo.

  2. Eu não concordo com a publicação do autor sobre a morte do comendador José Alfredo. Acho que a parte que ele leva o tiro ficou boa, mas ele não deveria ter morrido, e sim ter ido para o hospital, e ficaria em estado grave. Depois da sua recuperação, ficaria com a Ísis, até pq não tinha nada a ver ele ficar com a Marta, seria ridículo.
    A maioria dos autores acham que o público é idiota.

    Aguinaldo Silva
    Presta atenção, Débora Alves: durante seis meses você acompanhou minha novela, se divertiu com ela, se emocionou, chorou, riu, conversou com os amigos, discutiu sobre ela, teve seu tempo ocupado pelo meu trabalho, que foi fruto de um esforço insano… E agora vem aqui me dizer que eu lhe acho idiota? Faça-me o favor! Eu lhe dei muito mais do que, parece, você merecia, não confunda seu jeito pessoal de ser com o de 60 milhões de pessoas que, como você, acompanharam a novela, e que ficaram divididos em relação ao final, sim, mas sabem o quanto eu dei a eles nesses meses todos e me respeitam por isso. Pense melhor antes de escrever besteiras, ou então vá ver Chiquititas.

  3. Daniel Rocha vc é lindo e super talentoso, amei saber mais um pouco sobre vc. Torço pelo João Lucas e pela Du em Império <3

  4. Lindo amei q vc vai fica com a Du ameiiiiiiiii <3

  5. Aguinaldo Silva, desde já parabéns pelo trabalho proposto. Já posso sentir os arrepios .. Venho através deste lhe fazer um convite.. Está havendo uma mobilização dos fãs brasileiros da cantora americana Whitney Houston em sua página para que o srº se sensibilize para com nosso pedido e escolhesse uma música em que a mesma fala em sua letra sobre SUPERAÇÃO e pusesse em sua nova novela IMPÉRIO. O título: \’\’Eu não conhecia minha própria força.\’\’ Esta música foi gravada no último trabalho da mesma do álbum I look to you. Gostaríamos que você ouvisse essa bela canção.Sua melodia, sua letra tem tudo a ver com seu novo trabalho. Temos certeza que ela tocará seus mais profundos sentimentos. Bem, com sua licença vou estar postando aqui alguns links caso o srº queira saber mais sobre os fãs, essa mobilização e o principal: SOBRE A MÚSICA! Desde já Aguinaldo, muito obrigado por você fazer parte de nossas vidas no dia a dia com histórias que nos emocionam e nos fazem refletir sobre dias melhores. Parabéns.. Link da Música no Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=Fgzsm0lAyDA Página da WH a qual está havendo a mobilização: https://www.facebook.com/whitneyhoustonbrasil?ref=ts&fref=ts

  6. Aguinaldo Silva, desde já parabéns pelo trabalho proposto. Já posso sentir os arrepios .. Venho através deste lhe fazer um convite.. Está havendo uma mobilização dos fãs brasileiros da cantora americana Whitney Houston em sua página para que o srº se sensibilize para com nosso pedido e escolhesse uma música em que a mesma fala em sua letra sobre SUPERAÇÃO e pusesse em sua nova novela IMPÉRIO. O título: ”Eu não conhecia minha própria força.” Esta música foi gravada no último trabalho da mesma do álbum I look to you. Gostaríamos que você ouvisse essa bela canção.Sua melodia, sua letra tem tudo a ver com seu novo trabalho. Temos certeza que ela tocará seus mais profundos sentimentos. Bem, com sua licença vou estar postando aqui alguns links caso o srº queira saber mais sobre os fãs, essa mobilização e o principal: SOBRE A MÚSICA! Desde já Aguinaldo, muito obrigado por você fazer parte de nossas vidas no dia a dia com histórias que nos emocionam e nos fazem refletir sobre dias melhores. Parabéns.. Link da Música no Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=Fgzsm0lAyDA Página da WH a qual está havendo a mobilização: https://www.facebook.com/whitneyhoustonbrasil?ref=ts&fref=ts

  7. O pensamento à baixo bem descreve o silêncio do nosso querido Moacir Jardim

    “A calma dos sábios nada mais é do que a arte de guardar a agitação que vai nos seus corações.”
    François

  8. Senhor Moacir Jardim, se a Alamanha sagrar-se campeã do torneio mundial de futebol, vossa senhoria nos brindará com a ilustre presença aqui no sitão do Aguinaldão ? Acoooooorda hômi ! Vamos que vamos.

  9. Dios te bendiga amigo Silvatón!

  10. Não estou conseguindo postar meu comentário!

  11. O jovem ator é um adónis, não há dúvida mas … é bom não esquecer a Jornalista – Simone Magalhães é a síntese de uma mulher bonita, por dentro e por fora e o fotógrafo (muito bom) tem essa noção. “Império” vem aí e será um grande sucesso!
    INTERVENÇÃO DO SOMBRA: hum hum.

  12. Daniel lindo e talentoso! Muito sucesso para Daniel y para la novela Império! Desde Argentina estaremos dando todo nuestro apoyo! Éxitos! Te Amamos Daniel Rocha! ♥

  13. Guiiiiiii
    Desculpe, Agnaldo, adorei saber da travesti na sua novela!

    Sem gente invisível, gay qye não se mostra, que se sente culpado por ser gay….. como em Fina Estampa……

    Te amo, queria casar com você, mas não gostei do Crô. Parecia um gay que queria ser tolerado por hetero……..
    Estou dizendo, como alguém que gosta de verdade de novela, e que, sem falsa modestia, até acerta diagnósticos: Pelo que estou observando, Império será um sucesso!

  14. Aguinaldo, você desta vez, escolheu um grupo de rapazes jovens, bonitos e talentosos. Daniel, Joaquim e Rafael. Uma escolha em beleza!
    Qualquer um deles promete ser sorpresa para todos nós. E ainda bem!
    Saudades de Lisboa, hoje com 32ºC. O Verão está chegando devagarinho.
    Magdalena
    P.S. Simone e Patrício, como sempre ótima entrevista e lindas fotos. EITA!

  15. Desculpe minha distração no final escrevi noção de forma incorreta.hehehe

  16. A Copa acabou para o Brasil.Será que isso é ruim?
    Claro que não , foi a melhor coisa que poderia ter acontecido,uma derrota tão marcante, com um número tão significativo,número esse que dizem não trazer muita sorte,já que ela não foi impedida antes de acontecer e já que todo o dinheiro mal gasto já havia saído dos cofres públicos, ao menos ficará uma sensação de que realmente essa Copa tão utilizada pela Dilma para atingir seu eleitorado específico foi realmente um erro.
    Tanto investimento no fútil, oriundo de um país repleto de primeiras necessidades, para que no fim o povo brasileiro fosse mais uma vez humilhado,além das inúmeras situações constrangedoras que já se submete, por viver em um país “Gigante pela própria Natureza” mas mínimo em seus princípios humanos.
    Enchem o peito para dizer que são brasileiros com muito orgulho, mas esquecem se desse patriotismo na hora das urnas.
    A Alemanha que mesmo em uma crise européia consegue se manter erguida , prova que não são necessários investimentos megalomaníacos para mostrar força e sim o investimento necessário,com disciplina e prudência, naquilo que não passsa de um Esporte.
    E deixa claro que não somos os melhores em nada, nem no Futebol!E mesmo que fossemos , trata se apenas de um Esporte, ou seja lazer.
    E que essas cincos estrelas que o Brasil carrega no peito e tanto se orgulha foram sempre usadas para camuflar golpes estratégicos políticos, como o atual.
    Bons seríamos se toda a população tivessem acesso ao conhecimento e soubesse distinguir política de lazer, bonito seríamos se estampássemos as paginas dos jornais do Mundo,não com a vértebra quebrada do Neymar mas com exemplos de honestidade e prosperidade fundada de um País que tem sim grande potencial mas está bem longe de aproveitá lo.
    Até porque o que aconteceu com o jogador Neymar, é nada mais do que acontece com qualquer atleta que pratica esporte, uma simples lesão que não é passível de pena, aliás se tem uma coisa da que ele não precisa é piedade.
    Preocupados deveríamos estar com filas enormes em hospitais sujos e sem a mínima possibilidade de dar conforto a pessoas que realmente só tem acesso aquela via, a tão constrangedora via Pública,
    Apesar da Dilma não ter uma culpa direta com a derrota, está diretamente vinculada a esse fracasso desde o início em tentar pintar uma tela paisagística do Brasil para o Mundo e esconder logo atrás dos enormes muros de concretos dos Estádios, uma pobreza enorme e sem a mínima possibilidade de melhoria,já que utiliza de meios sem sustentabilidade como o Bolsa Família, no qual parte da população que realmente trabalha é sobrecarregada de Impostos para sustentar os que o Governo patrocina e que não tem intenção de deixar de patrocinar , já que não exige Estudos e Formações para que saiam da situação que se encontram, ou seja a situação que lhes torna suscetível de manipulação e que os tornem eternamente gratos por essa “ajuda” que o Governo lhes faculta.
    E assim garantem um forte eleitorado sem nenhuma nossão de dissernimento e convicção.

  17. Rapaz de sorte! Quase que teve sua carreira na televisão interrompida para sempre depois daquele nada de personagem que teve na última novela. E como quando o personagem não acontece os atores perdem popularidade, e de popularidade tem vivido mais a televisão que de talento, ele poderia acabar fazendo novela no SBT, o que é o princípio do fim. Sim, porque atores talentos, sobretudo atrizes, estão aos montes aí desempregados, ou fazendo seriadinho sem visibilidade, como a estupenda Carla Marins, ou a Lucelia Santos, que não está no ar.

    Espero que ele aproveite a chance. E espero um dia ainda voltar a ver a Lucelia e a Carla Marins de volta a Globo. Não, não estou fazendo campanha por elas em Império. Só fazendo um desabafo da falta que sinto delas. Vou morrer sem entender porque de repente gente com tanto talento some. A Lucelia, por exemplo, bem poderia fazer a Doctor Pri no futuro, né? Porque esse seriado ha de sair, assim como o Aguinaldo há de ganhar em Emmy por ele. Vixe, fiz campanha! Perdão, perdão, já me calei!

  18. Adorei,o melhor ator da nova geração,muito talentoso,vai arrasar na novela com esse grande personagem.
    Estou cada vez mais ancioso,essa Novela Imperio Promete

  19. Tenho certeza que ele vai brilhar muito em “Império”!

  20. Eu já conhecia o Danny – é um jovem ator de incrível talento. Amei a entrevista e admirei a beleza plástica do Daniel: simplesmente lindo!

  21. Eu já conhecia o Danny – é um jovem ator de incrível talento. Amei a entrevista e admirei a beleza plástica do Daniel: simplesmente lindo!

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Security Code: