SERRA, SIM… DA CANTAREIRA

» Públicado por em set 26, 2016 | 14 comentários

 

Quando vou embora de um lugar, de uma situação ou de uma pessoa nunca olho para trás. Na minha cabeça o que não foi comigo deixa de existir.

 

Tenho um costume que mantive com o maior rigor ao longo dos meus 73 anos. Quando saio de uma situação – seja de relacionamento pessoal ou profissional, e até mesmo de moradia – nunca olho para trás. Não consigo ver as coisas de outra maneira: para mim é como se aquilo que abandonei nunca tivesse existido, ou pelo menos deixasse de existir. Alguns acham esse meu costume, tal como o ponto-e-vírgula,um defeito; uma perigosa falta de apego às lembranças atrás da qual pode se esconder uma neurose. Mas há quem pense de outra maneira e veja nisso a coragem de recomeçar com a certeza de que só é possível fazê-lo quando se parte do zero.

Não sei se é aquela coisa ou essa: não me interessa. Deixei de me interessar? Não quero mais? Então arrumo trouxa, pego nas tralhas, dou as costas e pronto: parto para outra. E outra, por exemplo, significa o que faço neste momento: trocar aquela cidade serrana onde vivi durante dezesseis anos, tive casas, negócios e – santa ingenuidade – pretensões “artísticas”e partir rumo a outra cidade, que é: São Paulo.

Não importa se já estou naquela idade em que a porta sobre a qual está escrita a palavra “saída” a cada dia fica mais próxima de nós. Quando ela se abrir para mim, caminharei em sua direção com a maior elegância. E assim a ultrapassarei, certo de que, enquanto estive do lado de cá, fiz o que me cabia – vivi a vida do modo mais intenso possível até o fim.

Mas não há como pensar em “fim” quando nossos olhos estão sempre voltados para o recomeço. Não vou apenas morar em São Paulo, assim como não morei apenas na tal cidade serrana. Lá vou trabalhar e produzir. Meu ramo é o da escrita. Literatura, dramaturgia… E jornalismo, como prova o fato de que ocupo este espaço há nove anos e, enquanto me quiserem, pretendo continuar aqui.

Escrever, vocês sabem, é como tocar piano. Os grandes mestres pianistas, mesmo os mais veteranos, treinam diariamente para não perder a prática. E como fazem isso? Passando horas ao piano. A mesma coisa faz aquele que se pretende um grande escritor. Não sei se sou um deles, acho que não. Mas todos os dias, religiosamente às 8h da manhã, sento diante do computador e escrevo. Não ao acaso ou sem rumo, pois tenho sempre uma meta a cumprir.

Nesta manhã de garoa paulista a meta deste humilde “pianista” é a coluna do Canal Extra. Ontem foi um conto chamado “Acerte na Loira”, que já publiquei no meu site, o qual resultou de uma história que me contaram sobre uma mulher que enviuvou quatro vezes de maridos muito ricos. E embora todos eles tenham morrido de modo suspeito, ela nunca foi responsabilizada pela morte de nenhum deles e assim viveu feliz e rica até o fim.

Amanhã será a conclusão de outra história, chamada “Canção de Bernadete”, a biografia não autorizada de uma certa amiga minha,que em Quixeramobim, no Ceará se chamava Bernadete Maria da Conceição, mas hoje é conhecida como Bernie Piters em Paris, onde vive rica e feliz, embora ninguém saiba como ela chegou a esta situação, digamos assim, tão vantajosa.

E depois de amanhã? A pauta é a sinopse da minha próxima novela, O Sétimo Guardião. Preciso entrega-la à Rede Globo em novembro e já em janeiro terei que produzir os seis primeiros capítulos…

Mas onde é que eu estava mesmo? Acho que divaguei e me perdi. O que eu queria dizer é que da tal cidade serrana não quero levar nem o pó que, nestes dezesseis anos em que lá vivi, se acumulou em minhas sandálias – por isso as joguei fora. E, cheio de grandes esperanças dignas de um personagem de Charles Dickens, parto com a certeza de que São Paulo, amigável com os forasteiros como sempre foi, sem dúvida gostará de mim.

 

14 comentários

  1. Aproveita a cidade, vai conhecer o novo Mirante da 9 de julho (atrás do MASP) e escreve a história do Mariel Mariscot com a Rogéria! Quase pirei quando li, tardiamente, o que você escreveu à época nos jornais Movimento e Lampião. Faz de algum jeito: cinema, série, sei lá.

  2. Palavras lindas e realistas.
    A gente fica aonde nos cabe.
    Meu irmão está adorando sua escola! Parabéns a todos!

  3. Aproveite São Paulo!

  4. A vida é como uma viagem de trem Aguinaldo Silva, titulo de um texto de um autor que desconheço. Cheia de embarques e desembarques.Viver é um desafio diário. A vida não nos dá trégua, não importa o momento pelo qual estamos passando, o mundo não vai parar para esperar que nós recuperemos o fôlego.
    O trem continua andando e nós não podemos ficar para trás, ainda que em muitos momentos apenas tenhamos a vontade de contemplar a paisagem e deixar o trem partir por entre as montanhas.
    É verdade que em alguns momentos precisamos recuar. Andar mais devagar, mas se paramos somos atropelados. O mundo exige de nós que sejamos fortes, mas isso não significa ser duros, nem com a gente e nem com os outros. É preciso encontrar um meio termo, nem muito ao céu e nem muito à terra.
    A nossa saída, em muitos momentos, é aprender a ouvir o nosso coração. É ele que dá a nós o ritmo da vida. Em alguns momentos é preciso fazer silêncio para saber que passo dar, em qual estação do trem descer e como continuar a viagem.
    O importante meu amigo é seguir sempre em frente e São Paulo é que nem coração de mãe sempre cabe mais um, foi assim que ela me acolheu e estou mega feliz em poder morar nessa cidade e poder desfrutar de seu aconchego, o bom filho a casa torna. Abraços…

  5. Seja bem vindo há São Paulo querido essa cidade é incrível

  6. Aguinaldo, que lindo ! Não existe idade certa para ser feliz, vá adiante, vá com tudo e boa sorte! Devolva ao universo o talento que lhe foi agraciado, perpetue a sua linda escrita, existem inúmeras pessoas sedentas de conhecimento e isto você tem de sobra pra passar e assim motivar novos escritores ! Seja bem-vindo a São Paulo , EVOÉ.
    ps. Quero meu livro, autografado e com dedicatória, rss , pois estou entre as 10 primeiras pessoas a comentar , rsss

  7. Querido Aguinaldo, que honra te-lo com meu ídolo dramatúrgico ao lado de Glória Perez, rei e rainha da teledramaturgia. Poso finalmente usar deste meio de comunicação que é a internet para tentar de alguma forma expor meu carinho imenso pela sua pessoa e pelos seus trabalhos que são espetaculares. Adoro você, adoro suas vilãs e amo seus personagens cômicos. Ao saber pelas notinhas dos sites de fofoca que sua próxima novela será um realismo fantástico, fiquei atônito pois espero ansiosamente para assistir algo do tipo e feito por você com certeza será uma grande novela. Que venho logo “O Sétimo Guardião”. Grande abraço Aguinaldo.

  8. Eu quero por favor o livro com foto resenbendo o livro

  9. Eu quero por favor com direito a foto com o alginaldo Silva por favor

  10. Achei lindo o comentário da Fernanda.

    Aguinaldo! achei um pouco rigoroso em relação a “tal cidade serrana” porque como já falei anteriormente, não se pode dar vazão a ignorância.

    O que tem a ver seu apt. em Petrópolis? seu aconchego pessoal com a cidade?

    Vc ficou insatisfeito com atitudes ignorantes de pessoas ( vai me desculpar) invejosas.

    O que tem a ver a maioria de seus amigos da cidade que estão até hoje do seu lado, que lhe tem admiração, amor e amizade?

    Repensar não é atrasar, na minha opinião. É ter outros tipos de armas para vencer, àquilo, que atrapalhou seu objetivo. Um projeto tão especial e importante.

    Por favor não se desfaça de sua moradia em Petrópolis, porque SP é muito bom pra trabalho, mas a questão climática é bem ruim. E o clima da cidade serrana é um dos melhores do Brasil.

    Enviei um e-mail pelo face.

    Em relação a sua próxima novela, com certeza será sucesso e melhor e o terceiro Emmy sem dúvidas virá junto.
    Beijo!

  11. Apreciado Aguinaldo. Espero esté muy bien. Escribo desde España, tierra que conoce y que ha disfrutado. Me alegra su mensaje, porque es un aliciente para todos tus seguidores, a través de telenovelas maravillosas, tus escritos, vídeos y tus libros. \\"Turno da noite\\" es maravilloso, una cátedra para futuros periodistas y escritores.
    Le deseo lo mejor en Sao Paulo. Siempre me pregunté porqué no vivía en esa ciudad, tan llena de oportunidades y con diversas opciones dentro de la industria televisiva y audiovisual.
    Saudades del Comendador, así como de otros personajes de su imaginario fantástico, digno de Carpentier o García Márquez. Estoy seguro que \\"O Sétimo Guardiao\\" será un éxito y nos llevará a un mundo maravilloso de aventuras e historias.
    Le deseo lo mejor en SP. Esa ciudad será fantástica para usted y todos los proyectos que tiene en mente y que disfrutaremos quienes tenemos el honor de seguirle.
    Siga adelante que, aunque vengan obstáculos y limitaciones, no desistir nunca de las metas.

  12. Caro Mestre, apesar de morar nesta cidade serrana há um tempo considerável, sou nascida em Brasília onde por lá também vivi muitos anos, até hoje ainda me causa espanto os provincianismos da cidade imperial. Mas assim que vi a placa de inauguração da Casa Aguinaldo Silva de Artes me deu um enorme sentimento de êxtase, de que finalmente algo de revolucionário poderia acontecer por aqui. Logo fui jantar no maravilhoso Comendador Silva, onde também tive a honra de te conhecer. Mas infelizmente a conduta retrógrada de certas autoridades petropolitanas as impede de enxergarem todo o benefício que sua casa de artes seria capaz de trazer para Petrópolis. Uma oportunidade de ouro para a cidade e para a população foi jogada no lixo, por conta de motivos obscuros. Realmente não consigo entender como uma cidade pode perder uma presença tão ilustre como a de Aguinaldo Silva. E o meu lamento é também o de diversos petropolitanos que não se conformam com a sua partida. Até hoje sinto uma dor no peito de saber que quase tivemos sua casa de artes aqui… E ler o seu artigo de despedida foi de uma grande grande grande tristeza… Petrópolis ao perder você perdeu arte, perdeu cultura, perdeu um preciosismo que só você poderia oferecer a essa cidade… Tudo o que certamente São Paulo ganhará com a sua chegada! Que você seja muito feliz em sua nova cidade, que não tenho dúvidas, lhe acolherá como merece e receberá de você o melhor! Beijos!

  13. És um felizardo, pois a maioria que passa por situações embaraçosas não tem como desatar os nós e, consequentemente, continuam convivendo com o “pepino”. Enfim, curta porque a vida é breve e passa mais rápido que o Usain Bolt na prova dos 100 metros. Viva o hoje. Dito isso, um brinde (em copo de plástico, evidentemente), porque se tens saúde, tens o que precisa para seguir em frente. Vamos que vamos !

  14. Querido Aguinaldo, fico ao mesmo tempo comovido e admirado. Não são todas as pessoas que tem essa mesma capacidade de desapego que você mostra ter. Atitude, coragem, ousadia… Isso é para poucos. Ouso dizer, apenas ouso, que quero ser exatamente assim , aliás , que tento ser. Pois de algum tempo pra cá , tive que desapegar de tanta coisa. Enfim, essa é a vida, haja foco e força para aguentá-la. Desejo-lhe sucesso com essa nova morada, que você só encontre: Paz, felicidade e sucesso pelo caminho . 😀

    PS:. Segundo cálculos do I.B.O.P.E, faltam exatamente UM ANO E MEIO para a estreia de O SÉTIMO GUARDIÃO. ( Risos) … Abraço

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Security Code: