SEXY, GOSTOSÃO E PEGADOR!

» Públicado por em set 24, 2012 | 93 comentários

 

Lá fora eles têm, entre outros, Carlitos, Cantinflas, Monsieur Hulot… Até o Chavez (não o da Venezuela, mas o mexicano do SBT). Aqui nós temos o Zé Bonitinho, um tipo criado pelo comediante Jorge Loredo, que se tornou um ícone da televisão brasileira. Síntese perfeita de um lado mais histriônico de nossa, digamos assim, “nacionalidade” – o conquistador de subúrbio, o sujeito que desenvolveu à perfeição as técnicas para “comer todas” – ele encantou geração após geração de telespectadores sem se conformar jamais com os limites da caricatura. Mesmo em seus momentos menos inspirados Zé Bonitinho nunca deixou de ser profundamente humano e ter seu jeitão brasileiro e sua alma universal.

texto: Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício e arquivo

_____________

Ele vem caminhando devagar, mas a malemolência não esconde: é Zé Bonitinho vestido de Jorge Loredo. Ou será o contrário: Jorge Loredo com nuances de seu tipo mais famoso, mas que o estigmatizou como ator de um personagem só? Aos 87 anos, Loredo sofreu muito para chegar até aqui. E sempre deu a volta por cima. Mais do que isso: fez da dor, alegria. O criador e intérprete do Perigote das Mulheres, na Praça é Nossa, do SBT, mantém o mesmo charme de Zé Bonitinho ao falar, ao olhar para máquina fotográfica, mas não impõe: ‘Câmera, close!’. É um homem humilde, tranquilo, rico de histórias, com quem se conversa no banco da praça por mais de uma hora, sem ter vontade de ir embora, sempre querendo ouvir mais. Só que a tarde se vai, e vento e chuva se aproximam. O que eu posso fazer? Garotas – e garotos – do meu Brasil varonil, um tostão da voz de Jorge Loredo para vocês!

Você teve uma vida difícil, problemas sérios de saúde, mas nunca desistiu do que queria. Gostaria que me falasse dessa força que o movia.

Fui criado em Campo Grande, Zona Oeste, do Rio. Meu pai, Etelvino, tinha um armazém, e minha mãe, Luiza, era costureira. Aos 12 anos fui diagnosticado com osteomielite (inflamação nos ossos) no fêmur da perna esquerda. A dor era horrível e constante, foram muitas internações, cirurgias, e nada adiantava, mas eu seguia em frente. Usei muleta, bengala, cadeira de rodas… Mas, sempre que podia, ia ao cinema. Adorava os filmes do Oscarito e, quando estava com muita dor, minha mãe imitava os trejeitos dele para eu poder ter um pouco de conforto. Era uma mulher excepcional. Eu saía de uma cirurgia, achava que daquela vez tinha ficado bom, passava bem uns tempos, e a dor terrível voltava. Mas se eu me deixasse abater o que seria de mim? Não queria pena, queria ficar bom! 

E quando ficou curado?

Só quando tinha 46 anos! E foi por um médico brasileiro, o ortopedista Donato D´Ângelo, na época recém-chegado de uma temporada nos Estados Unidos. Ele fez a cirurgia e nunca mais senti dores.

Nossa, tanto tempo de sofrimento…

Pois é. Não havia a medicação e os tratamentos de hoje. E eu cresci um garoto introvertido e cabisbaixo, que vivia mancando, e só tinha como amigo, um menino que era cego. Imagina? Nenhuma menina queria saber da gente! (risos). Mas acho que essa minha desenvoltura com gestos e imitações começou porque, quando eu saía do cinema, e ia contar o filme para esse meu amigo cego, procurava ser o mais fiel possível. Se fosse faroeste, eu imitava o trote dos cavalos, os tiros, tudo para ele ter uma noção mais apurada do que vi.

Mas você demorou para dedicar-se à carreira artística…

Aos 20 anos, fui trabalhar no Banco Holândes Unido. Entrei na Aliança Francesa, passei a falar francês com fluência. Circulava pela Praça Tiradentes e, para assistir às peças, participava das claques. Mas, aí, tive tuberculose, e fui internado no Sanatório Cardoso Fontes, hoje um hospital. Passei um ano, isolado. Para ter o que fazer, incentivado pelos médicos, participava da rádio de lá, e montava uns esquetes. O negócio deu tão certo que o diretor do sanatório mandou construir um palco.

E foi assim que você descobriu sua vocação?

De certa forma, sim. Quando me deram alta, saí na noite e foi aquela farra (risos).

Caiu na gandaia, né?

Imgina um ano isolado no hospital? Só que me dei mal. A doença reapareceu e tive que voltar para o sanatório. Aí, a assistente social fez um teste vocacional e descobriu que eu tinha talento para magistério, diplomacia, direito e “atividades exibicionistas” (risos). Fiz o vestibular para Direito, e me formei em 1957, trabalhei até a algum tempo como advogado especialista em Direito Previdenciário e do Trabalho. Ajudei muitos colegas de profissão.

Mas e as atividades exibicionistas?

(Risos) Vi um anúncio no jornal sobre testes para um curso de formação de atores no Teatro do Estudante do Brasil, dirigido pelo Paschoal Carlos Magno (teatrólogo e diretor), e falei com minha amiga (a cantora) Sylvinha Telles, que me deu força, e disse que faria também. Chegamos lá, uma fila enorme, e os candidatos falando em Shakespeare, Tchekov, Molière. Pensei em ir embora, mas tinha chegado a minha vez. Eu disse que queria fazer comédia. A funcionária perguntou se seria um monólogo cômico, e eu, sem a menor ideia do que fosse isso, respondi que sim. Marquei o dia do teste, fui a Praça Tiradentes, e o Seu Mafra, um ator de operetas, com mais de 80 anos, me ensaiou com o texto Como Pedir Uma Loura em Casamento. Passei em primeiro lugar – até porque fui o único na audição de comédia (risos). E adotei o humorismo. Ah, a Sylvinha fez o curso, mas descobriu que o caminho dela era cantar mesmo.

E continuava frequentando a Praça Tiradentes?

Ia conhecendo os artistas. Tantos grandes nomes circularam por ali… Fui fazendo participações em Teatro de Revista. Nessa época, na TV Tupi, tinha um show de talentos patrocinado pela Kibon. Fiz minha apresentação, e o Mário Provenzano, que era o mandachuva, me chamou pra perguntar quanto queria de cachê. Eu nem imaginava.(risos) E acabei conciliando o banco, a faculdade e a TV.

Mas logo trocou de emissora, não?

Pois é. Em 1955, inaugurou a TV Rio, que me convidou para um programa chamado A Família do Seu Boaventura, que era escrito por Arnaldo Salles. Hoje, falam em sitcom, mas isso eu já fazia lá. Eu rio quando dizem que stand up comedy é uma invenção americana. Antigamente, no Teatro de Revista, sempre havia um ator convidado pra fazer um monólogo. O Mesquitinha era um desses cômicos maravilhosos, Pagano Sobrinho era outro rei do stand up comedy. Tinha o Badu, também. Eles me influenciaram muito.

E qual era a história da sua sitcom?

Eu fazia o Conde Paspalhan, herdeiro da Paspalhândia (risos). Claro que ele era fajuto. A família do Seu Boaventura alugava quartos, e a filha solteirona ganhou na loteria, viajou para Paris e se apaixonou pelo conde fajuto. Fiz várias participações no humorismo da TV Rio. Até que o Manoel de Nóbrega veio de São Paulo para o Rio com todo o elenco de A Praça da Alegria. Só não veio o Borges de Barros, que fazia o mendigo ‘aristocrata’. E o Nóbrega me deu o papel.

Você adaptou o personagem ou o manteve como foi criado?

Eu queria fazer algo um pouco diferente. E fui conversar com minha mãe, que sempre me deu ótimos conselhos. Ela era muito caridosa e, uma vez por semana, oferecia almoço aos pobres, lá em Campo Grande. Quando eu era garoto, tinha um mendigo com um caroço no pescoço, que só queria comer à mesa – que mamãe improvisava -, com toalha de renda, talheres. Ela fazia tudo isso pra ele. Quando me lembrou dessa história, pensei: esfarrapado, mas com dignidade. Rasguei as mangas da camisa do personagem, mas deixei os punhos e o colarinho, com gravata, monóculo e luvas. Estiquei as meias ao máximo, mas o sapato era furado. E foi aquele boom! Eu terminava sempe o quadro dizendo: ‘Agora vou encontrar com aquele menino, o Juscelino…’. Referindo-me ao Presidente Juscelino Kubitschek, que acabou sendo padrinho do meu segundo casamento.

E o Zé Bonitinho?

O personagem estreou, em 1960, no Noites Cariocas, na TV Rio, com falas escritas pelo Chico Anysio.

Foi baseado em alguém?

Num colega meu, chamado Jarbas, que era conhecido como o ‘Perigote das Mulheres’. Vivia ali pela Praça Saens Peña (Tijuca, Zona Norte carioca), onde eu e os amigos ficávamos, porque tinham muitos bares e cinemas. Jarbas era metido a conquistador, não podia ver um espelho num botequim, que sempre penteava o topetão! Cantava boleros, e todo mundo ria das histórias dele, que não pegava ninguém. Eu o imitava nas festas. Quando o Chico (Anysio) me chamou, pensei em batizar o personagem de “Bárbaro”, cheguei até a gravar com esse nome. Mas, um dia, viajando pelo interior, parei num restaurante de beira de estrada, e ouvi o garçom chamando o cozinheiro: ‘Zé Bonitinho, vem cá!’. E me apareceu um cara esquálido, feio, sem dentes. Ah, não pensei duas vezes e troquei o nome pra Zé Bonitinho! (risos).

Além de se espelhar no seu amigo, o que mais o ajudou a desenvolver o personagem?

Comecei a querer estudar, a descobrir quem era esse ‘cara’. Li, na época, A Psicanálise ao Alcance de Todos (de Joseph Jastrow), e fiquei achando que ele era gay ou brocha.(risos) Bancava o sedutor, cantava tango, jogava charme, fazia olhares, mas nunca ficava com  a mulher, no final. A desculpa era: “Garota, hoje já beijei 999 mulheres e estou com a boca mole”. Depois, pensei que era como nas fitas de faroeste: o forasteiro chegava, fazia justiça, envolvia a mocinha, depois seguia em frente. Ou como nos filmes de Chaplin, Buster Keaton e Cantinflas.

O Bonitinho tem um lado meio clown, não?

Quando eu era criança, meu pai constumava alugar um terreno, em Campo Grande, para os circos que chegavam ao Rio. Minha mãe, sendo costureira, remendava as fantasias. Eu entregava as roupas já consertadas. E observava os atores ensaiando, os palhaços se pintando, as bailarinas, tudo. Era fascinante. É, o Zé Bonitinho tem um pouco de palhaço, sim.

E como surgiram os bordões dele?

Bom, eu entrava ao vivo, e tinha duas câmeras: uma de frente pra mim, claro, e outra de lado. O assistente de estúdio ficava embaixo da primeira para me lembrar de alguma coisa, caso esquecesse. Só que um dia, ele disse que a câmera tinha pifado, pra eu virar para a outra. Na mesma hora, virei e falei: “Câmera, close!”. Mas precisava mudar o microfone de lugar pra me acompanhar. Aí, pedi: “Microfone, please!”. E o Russo, aquele que trabalhou com o Chacrinha e tantos artistas, jogou o boom (microfone com cabo, direcionado pelo operador) em cima de mim, ficou bem perto da boca. Improvisei: “Garotas do meu Brasil varonil, agora um tostão da minha voz: “If I have a tails the women, au au, au au”. E o assistente de estúdio me mandando sair de cena. Mas eu estava em close! Como iria sair assim? Improvisei de novo: “Câmeras recuem, Zé Bonitinho vai partir”. Ficou genial! (risos).

Você pensou em dar a ele aqueles adereços enormes?

A Consuelo Leandro (comediante, falecida em 1999) viajou para o exterior, trouxe aqueles óculos e o pente grandes, e me deu, achando que ficariam bem no personagem. E foi ótimo. Ao contrário do que muita gente pensa, uma vez fui fazer um show em Itu, São Paulo, e o secretário de Turismo era um colega, que prefiro não dizer o nome, comentou que ia aproveitar o visual do personagem, os adereços grandes, e implantar em vários objetos na cidade, que acabou ficando conhecida por isso. E não recebi nada…(risos)

E a mandioca do Zé Bonitinho? Como foi criada?

Isso é mais recente. Eu fazia um quadro no programa Alegria 83, na TVS, que veio ser o SBT. Um dia, a moça que estava contracenando comigo falou: “Você é tão cheiroso! Que perfume é esse?”. Improvisei: “Eu uso extrato de mandioca!”. O diretor Deto Costa adorou, e disse que seria interessante se eu tirasse uma mandioca do bolso. Na semana seguinte, fiz isso, e foi um sucesso. A mandioca, o tamanho dela (risos), virou um componente a mais de sedução.

Você se sente ‘preso’ ao Zé Bonitinho, depois de tantos anos fazendo o personagem?

Nunca quis ser ator de um personagem só. Às vezes, você quer sair de um tipo, e não consegue… Agora, já estou mais conformado. Quando fui para A Praça É Nossa, no SBT, pensei que faria o Mendigo ou até algum novo tipo, mas me pediram o Zé Bonitinho. Fiquei pensando: ‘Vou fazer o Bonitinho mais uma vez, muita gente vai continuar achando que só sei fazer isso’. Eu tenho outros personagens: um italiano que queria sempre quebrar a televisão; o profeta Saravabatana, que dava consultas a mulheres; e o professor de português, que tinha a voz do Ary Barroso. Mas, depois de pensar muito, resolvi fazer o Bonitinho, só que caminhando em outra direção. Continua vaidoso, galanteador, mas, como todos nós, ele envelheceu. Agora, as moças dizem: ‘Tio, não se enxerga, não?’. Muita gente me fala que Charles Chaplin morreu fazendo Carlitos; e Mário Moreno, o Cantinflas. Então, já vi que vou morrer fazendo Zé Bonitinho. Mas gostaria muito de voltar a fazer o Mendigo.

Você não pensa em se aposentar?

Vou continuar a trabalhar até o homem lá em cima permitir. Ainda tenho coisas pra fazer.

É só no homem lá em cima que você crê?

Fui criado dentro do Racionalismo Cristão, que não deixa de ser o Espiritualismo. Acredito em Deus. Converso, agradeço, faço pedidos e, se não vêm, pode ser porque eu não esteja merecendo. Mas quando quero alguma coisa procuro olhar para onde vai nascer o sol. Ele traz muita energia.

CASAMENTOS E LEMBRANÇAS

Mesmo driblando problemas de saúde, vários trabalhos e uma vida noturna agitada, você casou-se três vezes. Como foi o primeiro casamento, com a advogada Marisa Teixeira, em 1958?

Ela era linda. Após me assistir no teatro, foi ao camarim e me entregou seu telefone. Mas sempre evitei me relacionar com fãs. Deixei pra lá. Depois, num show na boate Fred´s, vi uma moça na plateia, que me chamou muito a atenção, e mandei um bilhete pelo maitre: ‘Gostei de você. Quanto cobra?’. Ela respondeu: ‘Não sou mulher de cobrar. Você já tem meu telefone, mas vou dar de novo. Ligue-me’. Imagina como eu fiquei! Que vergonha! Mas acabamos nos entendendo e, como era desquitada, nos casamos dentro dos rituais do centro espírita que ela frequentava. Os padrinhos foram Herivelto Martins e a esposa, Lurdes Torelly. Durou quatro anos, porque ela era muito geniosa e ciumenta.

Em 1962, você se casou com a bailarina Ruth Lima.

Além de primeira bailarina do Theatro Municipal, ela era jornalista da revista Cinelândia, que fazia o maior sucesso na época. Começamos a nos encontrar, ela disse que era virgem, e que só ficaria comigo depois do casamento. Casamos na igreja, e os padrinhos foram Juscelino Kubitscheck e dona Sarah, e Manoel de Nóbrega e esposa. O casamento durou quatro anos. Mas ela também era geniosa. Eu tinha um imã para mulheres temperamentais (risos).

O terceiro casamento, com Adey Monteiro de Campos foi por procuração. É isso mesmo?

É. A mãe dela não queria, e resolvemos nos casar no México, onde morava a irmã. Ela foi na frente. Só que eu tomei um tombo e precisei de uma nova cirurgia na perna e fiquei meses internado. Resultado: acabamos nos casando por procuração, com ela lá, e eu, aqui. Com Adey, que já faleceu, tive dois filhos: o analista de sistemas Jorge Ignácio, de 41 anos, e o leiloeiro público Ricardo Frederico, de 37. Não tenho netos.

Mas agora você tem um novo amor…

(Risos) Conheci a Terezinha andando pelas ruas do bairro (Flamengo, Zona Sul carioca), sempre nos cumprimentávamos, conversávamos, e estamos juntos desde 2005. Ela tem 60 anos – olha a diferença de idade! -, mas é tranquila, muito companheira, amiga dos meus filhos, toma conta de mim (risos). É um amor muito mais carinhoso. 

Você tem uma nostalgia daquele Rio de Janeiro dos tempos do Teatro de Revista, da Praça Tiradentes?

Vivi épocas maravilhosas. A Cinelândia no auge! Na Confeitaria Brasileira, os rapazes tomavam Cuba Libre, e as moças, sorvete. Frequentei a Galeria Cruzeiro, onde o bonde dava a volta e, nós podíamos observar as pernas das moças. Ver o joelho era uma masturbação.(risos) Íamos ao chá dançante no Night and Day. Ficávamos em pé e não bebíamos para não gastar. Aproveitava a promoção das recém-lançadas lojas de roupas para homens, e comprava um paletó com duas calças. Dava pra revezar (risos). Era o tempo do amor escondido. O homem é que tinha que conquistar a mulher. Havia sempre um amigo que alugava um apartamento, e os outros se revezavam para levar as moças lá. Umas, que se diziam virgens, eram semivirgens (risos). Entendeu? Queriam se casar puras (risos).

Você sempre fazendo tipo, charmoso, sedutor… Alguma fã já lhe deu uma cantada mais incisiva?

Uma me convidou para uma noitada, contanto que fosse vestido de Zé Bonitinho. Claro que não fui, né? Já imaginou Bonitinho e eu dividindo a mesma mulher no motel? (risos). Teve uma história interessante: uma mulher rica, que ia sempre me ver no teatro e, no final, ficava com o motorista no carro me esperando. Um dia, resolvi ver o que ela queria. Fomos até o apartamento dela, que afirmou ser viúva de um cônsul da República Dominicana, e que gostava muito de mim. Ficamos juntos, e ela passou a me encher de presentes, a controlar minha vida, demonstrar ciúmes. Não aguentei a pressão, e disse que não queria mais aquele romance. ‘Você já sabe quem eu sou, né? Por isso quer me deixar?’, disse isso, e começou a desabafar. Só aí que descobri que era a cafetina mais famosa do Rio de Janeiro, e que eu era seu cafetão! Pulei fora! (risos)

Em geral, levava-se uma vida desregrada, não?

Teve uma época em que bebia muito, não entendia muito bem o que estava acontecendo comigo, procurei os Neuróticos Anônimos (N.A.) e os Alcoólicos Anônimos (A.A.). Parei de fumar e de beber.

Mas nunca faltou trabalho, né? No cinema, por exemplo, você fez 11 filmes.

Entre 1959 e 1967 fiz quatro longas. Uma madrugada, em 1970, batem à minha porta. Levanto da cama, pergunto quem é: ‘Rogério Sganzerla’. Abri, ele entrou e começou a falar, com entusiasmo, do seu projeto mais recente, que ia começar a filmar no dia seguinte, muitas informações, e eu ainda meio com sono, mas achei que valia a pena. Acabamos realizando o Sem Essa, Aranha, em 70, e O Abismo, em 77. Em 78, participei de Tudo Bem, do Arnaldo Jabor. E, em 2005, recebi o convite do Selton Mello para participar do documentário Câmera, Close!, do Tito Lopes e Susanna Lira. No ano seguinte, fiz um curta, Quando o Tempo Cair, com o Selton. E, em 2008, Chega de Saudade, da  Laís Bodanzky. Ah, em meio a isso, em 2003, a Andréa Beltrão me convidou para atuar na peça infantil Eu e Meu Guarda-chuva, que as crianças adoravam. De uns tempos para cá virei cult! (risos).

VIDA, MORTE E A BISAVÓ IMPERIAL

Fazendo um balanço desses 87 anos, mudaria alguma coisa?

Não sei… Algumas talvez. Mas acho que acertei na educação dos meus filhos – nunca briguei, nunca bati, fui mais pelo lado da conversa. Na profissão mantive sempre uma postura correta, sempre procurando fazer o melhor, discreto. Quando estava começando, encontrei o Oscarito – meu ídolo!, que emoção! -, que me parabenizou e disse para eu continuar do mesmo jeito: ‘No dia em que você se achar engraçado vai estar acabado’.

Tem medo da morte?

Agora, comecei a ficar mais preocupado com isso. Minha mãe, que morreu aos 101 anos, era muito espiritualizada. Um dia, já trabalhando na TV, disse a ela que ia largar a vida artística. Ela falou que eu não podia fazer isso. ‘Você se lembra quando sentia muitas dores na perna e eu imitava o Oscarito pra você rir? Você tem que continuar ajudando os outros, fazendo-os rir’, rebateu, ela. Quando fico meio pensativo, volto à minha primeira infância, recordações da bisavó Reginalda, que foi camareira da Princesa Isabel, e morreu com 105 anos.

Ela devia contar muitas histórias interessantes do Império…

Eu a ajudava a colher guando (espécie de leguminosa) pelo quintal. Com seus cabelos brancos, olhos azuis, fumava um cachimbinho, e me contava que quando o Conde d´Eu veio ao Brasil para unir-se à Princesa Isabel, arranjou um oficial da marinha francesa para casar-se com ela. Só que ele foi para a Guerra do Paraguai, e morreu lá. A Princesa não queria que minha bisavó ficasse uma jovem viúva, e a casou com um comerciante, meu bisavô Custódio. E deu, como presente de casamento, muitas terras no que viria a ser o bairro de Campo Grande. Era tanto terreno que meu bisavô montou uma casa para a amante dele lá, sem minha bisavó saber, durante anos. Ela me contou que ao descobrir, pelo vendedor do armazém, botou o marido pra fora a tiros de garrucha (risos). Mas, depois, ficou com pena e deixou o velho morar numa casa bem pequena, tendo uma menina pra cuidar dele. E não é que, com mais de 80 anos, ele ainda fez um filho na moça? (risos). Eu gostava quando ela falava sobre Dom Pedro II, das festas no palácio, dos tempos da guerra. Acho que sempre gostei muito de História por causa dela.

 

O LANCHE

Já escureceu e a conversa parecia não ter fim. Mas a fome bateu, e resolvemos fazer um lanche, ali perto. Jorge Loredo disse que não podia, que Terezinha já devia estar preocupada. Liguei pra ela e pedi que se juntasse a nós. Ela veio, toda animada. Que mulher alto astral! Eu, o casal e o fotógrafo Francico Patrício continuamos nossa viagem pelo tempo. Loredo nos levou a Portugal, e falou da emoção de trabalhar ao lado de Raul Solnado e de ver shows de Amália Rodrigues. Contou de como esteve frente a frente com Maurice Chevalier e Edith Piaf, quando vieram ao Brasil. E sempre que se empolgava com um assunto, levantava-se e começava a contar, gesticulando. E ouvia um: ‘Senta homem!’, da discreta nordestina Terezinha, que estava preocupada com o vento que vinha de fora, diretamente nas costas do marido. Depois de alguns croissants, café e chocolate quente, para aplacar o frio, que foi aumentando, deixamos a lanchonete. Fomos atravessando a rua, Loredo, cabelos despenteados pelo vento, não se queixava de nada. Só queria relembrar. Parecia um menino, dos tempos da bisavó Reginalda. Sem dores, sem descaminhos, só felicidade.

 (Locação: Agradecimentos ao Colégio Bennett ">

 (Locação: Agradecimentos ao Colégio Bennett " />#8211; RJ.)

93 comentários

  1. saldozo loreto zé bunitimho era um dos comediantes mais leves da tv muitas rissadas vendo esse cara valeu !

  2. Jorge Loredo.

    Pena você estar afastado da grande mídia, você é um ótimo humorista, e deveria ser mais valorizado, no nosso país infelizmente os grande atores não são valorizados.
    Ps.: Eu tive o prazer de conhece-lo pessoalmente em Lambari-MG, a muito tempo atrás.Um grande abraço.
    Jorge Marinho.

  3. ENTREVISTA COM ZÉ BONITINHO!!

    Ótima entrevista. Completa. Sou fã do “Zé Bonitinho” desde quando vi o personagem pela primeira vez.

    Parabéns à repórter que, pela qualidade da entrevista, mostrou grande respeito pelo artista.

  4. Aproveito a deixa pra dizer que gostei muito da entrevista c/ ZeBonitinho e observei que a reporter eh realmente bela e faz otimas perguntas. e pelas fotos parece ser muito simpatica. eh uma uniao perfeita. ps. desculpe a falta de acentos.

  5. Aff Maria(2)

    A última frase saiu cortade e saiu de enxerida.

    Eu ia escrever que a Simone cumpria com folga as expectativas que se exige de um bom jornalista e blablabla.

    Porém percebi que tava escrevendo (cumprir com folga??, risos) igual ao meu tio Nonato, resolvi escrever de outro jeito e a frase ficou esquecida, tadinha, risos desatentos.

    Bye again de novo.

    —————————————

    INTERVENÇÃO DA GERÊNCIA DO AS DIGITAL:
    Sra. Lara Romero,
    Seria de bom tom não adjetivar superlativamente os atributos físicos e profissionais da jornalista Simone Magalhães já que essa valorização (ditada pelo Mercado) resultará em acréscimos na nossa folha de pagamentos. Como Gerente-Chefe preocupado com a saúde financeira do AS Digital (sobretudo com o bolso do Sr. Aguinaldo Silva), apelo para a frugalidade a todos os níveis.
    “Profissional gabaritada” é o quanto basta na referência à citada “funcionária”.
    Agradeço a compreensão.
    A Gerência.

  6. PS

    Simone e Moderador fotógrafo Patrício:

    Não comentei antes por motivos já explicados a morena linda (fazendo sucesso einh amiga virtual?) Simone.

    Entrevista de lascar!

    O entrevistado no tem somente muitos anos de vida. Tem também muita história de vida e vontade de contar essa história.

    Isso faz toda a diferença entre uma entrevista legal e uma entrevista espetacular ou inesquecível, né?

    Isso (qualidade do entrevistado) é peça fundamental e também fundamental é a qualidade do entrevistador, aquele que deve fazer as perguntas certas, as perguntas que gostariamos de perguntar (apesar de que nem todas as perguntas que o povo quer fazer devem ser feitas, né?), as perguntas no momento certo, com o tom certo e etc.

    Nossa morena linda sabe fazer tudo isso, of course!
    Nossa Simone também cumpre com folga e….

    Inté mais ver pessoarrrrrrrrr!

  7. Aff Maria!
    Aqui os alérgicos (não é o meu caso thank God) estão em polvorosa com tanto pólen, tanta flor, tanta cor, tanta coisa linda, tanto amarelo vivo, tanto cor-de-rosa, tanto verde profundo, tanta luz, tanto sol, tantas lindezas, ou seja, tanta viadagem.

    Risos contidos.

    Porém veio uma frente fria (frente fria preguçosa e lerda pois o inverno já foi embora, né?) e por conta da minha pressão baixa minhas extremidades (mãos, pés e derrierre) estão gélidas.

    Adoro o frio igual. E sei que ele vai embora a qualquer momento e à francesa – pois é muito do intrometido e mal educado!

    Assim que vou aproveitando esse frio no meio da estação mais gay de todas, a primavera!

    Boa tarde e boa noite a todos!

    Os risos são contidos pois o momento (meu e da família) exige recolhimento, reflexão e pausa.

    Nevertheless, risos contidos ou não, sempre cultivei, atualmente cultivo e espero sempre cultivar o bom humor, o risos e a alegria de viver enquanto por aqui (na terra) estiver.

    Vou ali esquentar as extreminades frias, ou melhor, como sou burra mas não sou besta, vou pedir pro marido esquentar, pois homem tem de servir pra alguma coisa, ora bolinhas douradas!

    Tou certa ou tou errada?

    Hasta pronto.

    ———–

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR “Pau-Mandado” SILVA:
    Pero si, como no!?
    Embora não tenha alcançado entendi o teor de sua mensagem, concordo com tudo o que escreveu.
    Deve estar certíssima em suas observações existênciais.
    Bjo. carinhoso!.

  8. Olá Aguinaldo Silva,

    Sou estudante de jornalismo da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, e estudante da Escola de Artes Dramáticas da USP (EAD). Estou, junto com a pesquisadora de comunicação da USP, Maria Cristina Rosa Almeida, apurando informações para uma grande reportagem sobre o caso do jornalista Antônio Chrysóstomo.

    Colhemos diversos materiais jornalísticos da época sobre a falsa acusação de abuso sexual da menina Claudia, bem como, textos produzidos pelo escritor João Silvério Trevisan e o antropólogo Nestor Perlongher. Uma das nossas fontes mais substanciosas é a advogada Flora Strozenberg, que nos dará entrevista junto com o Dr. Ubyratan Cavalcanti. Os dois trabalharam na defesa do jornalista.

    Todas as fontes entrevistadas que acompanharam o caso citam você como uma das fontes mais importantes. Nossa pesquisa documental também.

    Entro em contato a fim de entrevistá-lo. Estamos marcando viagens ao Rio na ultima semana do mês para umas entrevistas e encontros com o bairro Santa Tereza – que ainda está grafado em nossa cabeça com as palavras do seu relato no livro Lábios que Beijei.

    Para a nossa entrevista o único registro necessário é de áudio para auxiliar na produção do texto.
    Podemos ter uma conversa por e-mail, telefone ou presencial de acordo com a sua disponibilidade.
    Agradecemos a atenção.

    Meu e-mail é andre.cmv@gmail.com
    Abraços

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Prezado André,
    Passarei sua mensagem ao Sr. Aguinaldo Silva.
    O que fizeram com o brilhante jornalista Antônio Chrysóstomo foi uma das maiores injustiças que um ser humano pode alvo.
    Abraço!

  9. INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Mas isso é ótimo!
    Vc merece!

    Obrigado Senhor Moderador!!!
    Meus projetos foram aprovados.
    Oba!!!!!!!

  10. Queridos

    As entrevistas estão cada vez melhores. E é muito bom ver que os entrevistados não são pessoas óbvias, mas pessoas de qualidade e valor.

    Peço desculpas por não tecer uma grande análise sobre tudo que li, mas hoje não estou para comentários. Então peço desculpas e me recolho.

    Não sem antes deixar meu beijo especial a cada um.

    Ah, Angelo, a empregada magrinha é a brilhante Cláudia Missura, uma figura impar como atriz e ser humano. Essa não podia deixar passar, porque amo!

    bj a todos!

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Conte conosco, SEMPRE, Janaína!

  11. Concordo em gênero, número e grau. Ela merece. E o Tiago é a cara do esporte, nada a ver como apresentador de programa de revelação.

    Andre Luis Cia escreveu em 26-09-2012

    Pessoal,

    Não sei qual a opinião de vocês sobre a estreia do The Voice, mas em vista dos programas que revelam (?) novos talentos musicais, pelo menos esse mostrou algo diferente. Gostei e achei todos os candidatos muito talentosos, mas destaco como o grande ponto negativo a apresentação do Tiago Leifert. Ele não estava nem um pouco à vontade e totalmente sem carisma, bem diferente da sua apresentação no Globo Esporte.
    A própria Daniela Suzuki que estava como repórter do programa devia ter sido alçada ao posto de apresentadora.

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Não sei se é relevante mas… Tiago Leifert é filho de Gilberto Leifert, diretor de relações com o mercado da Rede Globo.
    Porque é que eu escrevi isso?
    Sei lá!

  12. Torcendo muito pela nova dupla.

    Andre Luis Cia escreveu em 25-09-2012

    LADO A LADO,

  13. Precisamos diminuir este ralo ou fechar a boca.

    Este dinheiro nunca mais será recuperado.

    E sim ainda cabe recurso parece o Cometa Haley, é julgado a cada 16 anos.

    aguinaldo silva: Justiça do Rio condena Guilherme Fontes a devolver R$ 2,6 milhões à Petrobras http://folha.com/no1159228 via @folha_com E ainda cabe recurso?!…

  14. É óbvio que eles querem calar a mídia. Motivos de sobra, pra eles lógico.

    Ainda bem que eu tenho visão e audição para testemunhar esta tentativa de ditadura.

    Eles vão perder feio.

    aguinaldo silva : PT discutirá regulação da mídia, diz irmão de Genoino http://folha.com/no1159360 via @folha_com Lembram do assessor com dólares na cueca?…

  15. http://www.youtube.com/watch?v=8MKF_GlvmJM
    Ps: Boa tarde pessoal do portalão.
    Estou muito feliz.

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Mas isso é ótimo!
    Vc merece!

  16. GEGÊ, É A POLÍCIA!
    Fui tocado por um gostoso sentimento de nostalgia por conta do quadro “Novelão da Semana” do programa Vídeo Show. A produção que está sendo homenageada é “CAMBALACHO” de Silvio de Abreu. Esta foi a primeira novela que prendeu a minha atenção de verdade e olha que eu era criança. É claro que isso aconteceu porque a história era muito boa e muito bem contada. Desde então é a novela que eu mais gostei de assistir. Grande Silvio de Abreu! Esse sabe fazer comédia, suspense, drama e tudo mais. Aliás, na condição de aprendiz (pero no mucho), em meio as sinopses de novelas que tenho desenvolvido, percebo que entre todos os autores, é com ele que o meu estilo se aproxima mais. Acho que, sem demérito aos outros autores, Aguinaldo Silva, Gilberto Braga, o Lauro César Muniz e o próprio Silvio, (todos com seus grandes acertos e alguns erros) devem servir de parâmetro para os novos roteiristas que pretendem ser novelistas, bem como para os que já escrevem na modalidade de colaboradores. A razão dessa minha opinião? Isso é matéria para uma próxima postagem.
    @TonnyCruzBR
    http://blogdotonnycruz.blogspot.com.br

  17. Pessoal,

    Não sei qual a opinião de vocês sobre a estreia do The Voice, mas em vista dos programas que revelam (?) novos talentos musicais, pelo menos esse mostrou algo diferente. Gostei e achei todos os candidatos muito talentosos, mas destaco como o grande ponto negativo a apresentação do Tiago Leifert. Ele não estava nem um pouco à vontade e totalmente sem carisma, bem diferente da sua apresentação no Globo Esporte.
    A própria Daniela Suzuki que estava como repórter do programa devia ter sido alçada ao posto de apresentadora.

  18. Bom dia minha genteeee.Aqui em Lisboa começa a dar uma leve esfriadinha, não vejo a hora de chegar o inverno, porque adoro frio…

    Aguinaldo Silva
    Eu também adoro o frio quereeeedo, já abri todas as portas da minha varanda aqui no Castelo para deixar entrar este ar fresquíssimo.

  19. Parabéns pelas entrevistas! Vocês estão fazendo aqui uma coisa incrível, tratando os que fazem televisão com seriedade, coisa que ninguém mais, nem mesmo as revistas especializadas, faz. Estão mostrando que essas pessoas têm muito a dizer, histórias emocionantes para contar, enfim… Este portal está colocando a cobertura de televisão num outro patamar. Nada de fofoca nem boataria nem maledicência, mas respeito à informação. No meio desse verdadeiro oceano de blogs, sites e portais que tratam a televisão com desdém e superficialidade o AS Digital se destaca pela seriedade e pela densidade. Parabéns Aguinaldo Silva e seu belo time de colaboradores: vocês estão criando novos parâmetros.

  20. Parabéns!
    Outra entrevista que me emocionou. Continuem dedicando ao portal, entrevistas com artistas que estabeleceram a TV brasileira.
    Também, sugiro que entrevistem a atriz Joana Fomm. Aliás, poderiam entrevistar as atrizes quais interpretaram vilãs em novelas do Aguinaldo Silva, um especial Quem foi a vilã?. Seria uma oportunidade de conhecê-las e reavivarmos nossa teledramaturgia. Estou gostando muito das entrevistas, obrigado e parabéns, mais uma vez!

  21. Aposto que todo mundo que comenta aqui nesse portal é branco. Racistas! Viva o Quilombo do Jardim Botânico! Os negros têm mais direito que aquele bando de árvores que não servem para nada! Salva a Mãe África! Axé! Queremos cotas para afrodescendentes nos estacionamentos dos shopings, vagas grátis já!

    INTERVENÇÃO DO SOMBRA: AGORA DANOU-SE!

  22. Agnaldo, já que ele nunca te entrevistou, por que você não vira o jogo e manda Simone Magalhães e Francisco Patrício entrevistarem Jo Soares?

    INTERVENÇÃO DO SOMBRA: CREDO!

  23. Então o filme do Crô vai ter um diretor que já concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro? Vamos ver a lista: Walter Salles Júnior (impossible!), Fernando Meirelles (denso demais), Fábio Barreto (sabemos do seu problema de saúde e estamos solidários com ele), Bruno Barreto… Está filmando “Flores Raras”, o filme sobre Elisabeth Bishop e Lota Macedo Soares. Será um diretor estrangeiro? Argentino, iraniano… Crô merece o melhor, é ou não é?

  24. Parabéns!
    Outra entrevista que me emocionou. Continuem dedicando ao portal, entrevistas com artistas que estabeleceram a TV brasileira.
    Também, sugiro que entrevistem a atriz Joana Fomm. Aliás, poderiam entrevistar as vilãs em novelas do Aguinaldo Silva, um “Quem foi a vilã?”. Seria uma oportunidade de conhecê-las e reavivarmos nossa teledramaturgia. Estou gostando muito das entrevistas, obrigado e parabéns, mais uma vez!

  25. Adorei a entrevista com Jorge Loredo, o Zé Bonitinho. Como estudante de artes cênicas acho importante ter todas essas referências. Pena que esses atores que tem tanto pra contar as novas gerações estão muito idosos e não fazem palestras em faculdades, cursos de teatro e etc… Seria maravilhoso para o aprendizado de todos ´nós. Valeu Aguinaldo pela entrevista!

  26. Olá, Aguinaldo, tudo bem? (Torço para que você leia essa comentário). Sou estudante de Relações Públicas na PUCRS e estou fazendo meu trabalho de conclusão de curso sobre merchandising inserido em telenovelas e escolhi “Fina Estampa” como meu estudo de caso. Adoraria poder entrar em contato contigo para obter mais informações que ajude na construção da minha pesquisa. Seria possível? Deixo aqui registrado que sou tua fã e agradeço o espaço. Abraços, Graziella.

  27. CICLO DE ROTEIROS no RIO: DA TÉCNICA ÀS ESTRATÉGIAS DE MERCADO

    Marcilio Moraes, Tiago Santiago, Newton Cannito, Ricardo Hofstetter e Emilio Gallo, roteiristas e membros da Associação dos Roteiristas – AR, vão falar sobre a importância dos roteiristas na área audiovisual, a partir de seus trabalhos realizados tanto na TV como no cinema. Cada um, a partir de suas experiências, vai abordar temas como dramaturgia, telenovela, cinema, seriado, minisséries e documentário

    15, 22, 29 OUT e 05, 12 NOV
    Segundas, das 19h30 às 21h30

    15 Out – Ricardo Hofstetter
    22 Out – Tiago Santiago
    29 Out – Newton Cannito
    05 Nov – Emilio Gallo
    12 Nov – Marcilio Moraes

    – Valor: R$ 450,00
    – (10% de desconto para pagamento à vista até uma semana antes do início do curso ou parcelado em 2X)
    – Associados da A.R. tem 30% de desconto para pagamento à vista.

    Mais informações: http://www.telezoom.com.br/espaco/spip.php?article644

  28. MODERADOOOORRRR

    Ahh, humpfffff, que demais ter uma intervenção sua! Eh uma honra pra mim e sempre será! Que venha broncas (que já levei e super gostei para refletir mais), comentários e elogios! Vc eh sempre um gentleman em pessoa e também, como todos sabemos, nas palavras!

    GANSO

    Também achei muito bonita esta parte do texto!

    ANDRE CIA

    Também compartilho com vc a tristeza da baixa audiência desta belíssima novela das 6! E que novela! Cheio de informações e muito interessante para aprender um pouquinho de história! Viu os personagens comentando em mandar os pobres e negros para longe dos centros – para os morros? Então, neh?

    Mas vamos ter pensamento positivo, pois as três ultimas novelas das 6 começaram com baixa audiência mas depois, se recuperaram!

    Já cheias de charme esta ótima mesmo! Mesmo só vendo alguns trechos, vejo que tem uma boa trama! E a Cláudia Abreu eh a melhor de todas! Eh a minha preferiti!!!! INCRÍVEL!

    AGUINALDO

    Note esta empregada magrinha que trabalha na casa da Carminha!

    E também… Ahhhhhhhhhh!!!!! Já tem o roteiro, neh, do crô! Eu queria ter feito um roteiro de especulação, mas iria fazer só no mes que vem!!!! Droga!!! Hahaha!!!

    UM PONTO

    Eu já tinha dito neste portal há um tempo atras que avenida Brasil ainda estava atras de F.E.! Mas vamos torcer para que dê mais, pois saibam, tem que dar mais para impulsionar o índice de audiência! E os créditos sao realmente de fina estampa, pois a audiência estava fadada a cair, e subiu! Avenida precisa terminar com no mínimo 2,5 a mais! Apesar de Não gostar da novela, torço sempre pela dramaturgia!

    Abraços especiais para rosa, Kátia e Janaina!

    ;]

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Ângelo,
    Meu caro e bom Confrade,
    Não existe o menor motivo para algum tipo de “bronca” com uma pessoa como você.
    Se ocorreu, desconsidere já que a culpa só pode ter sido minha.

    Com imensa estima e carinho,
    M.S.

  29. Ops!!!!!!! Tilte no computador. Continuando…
    O FOGUINHO de Cobras e Lagartos para mim era PATÉTICO. Mas ele em MADAME SATÃ estava digno de um Oscar.
    Falar de Camila Pitanga para mim é um grande prazer, linda e talentosa.
    A abertura da novela é muito boa e seu tema também.
    A ideia central BEM INTERESSANTE. Bem a lá FORÇA DE UM DESEJO, novela MARAVILHOSA que marcou minha infancia, dona de grandes personagens. Natália Timberg grande vilã da trama. Fábio Assunção, ainda lindo, e Esther Delamare uma de minhas PROSTITUTAS prediletas. Fafá cantava o tema de amor do casal principal. Realmente nessa novela o Gilberto Braga estava inspirado, mas voltado.
    A Maria Padilha estava com um de exagero, não sei se proposital na sua personagem. A Maria Clara Gueiros impagavel.
    Enfim….. 1 capitulo vi e gostei, esperar para vê no que vai dá.
    Torço pelo sucesso da trama. Vamos aguardar.

  30. Sabe o que mais me chama a atenção?
    É de pensar que os artistas por estarem na Tv nunca tiveram problemas. O querido Jorge Loredo além de ser um grande ator é um forte exemplo de vida.
    Palmas para ele e seu ETERNO Zé Bonitinho.
    Me lembro do Zé Bonitinho da minha infância na Escolinha do Barulho da Record, antes da Hegemonia Bispo afffffffff, era muito divertido, morria de rir. Eu tenho uma prima bem mais velha que eu que adorava imitar o Zé.

    Mas…. Vamos a minha CRICRITICA!!!
    Andei assitindo esse sábado o capitulo de LADO A LADO e……..
    Palmas e mais palmas para a MARAVILHOSA Patricia Pilar que esta a dar, NOVAMENTE, um banho de interpretação com a grande vilã da trama. Amei a cena do quarto em que ela dialoga com o filho e pede para que ele deixe a MULATA, palavras dela. Fico a imaginar os POLITICAMENTES CORRETOS de plantão o que estão a achar disso?
    Confesso que essa imagem da Patricia Pillar de mulheres de época para mim esta um pouco cansada pois elas já fez algumas bem recentes nas adaptaçoes BEM SEMCRIATIVIDADE das novelas do Benedito Ruy Barbosa. Mas diva é diva e sempre será diva.
    Palmas para nossa Marjorie Estiano que além de ser linda é um grande talento e Thiago Fragoso também. Não posso deixar de falar de Lázaro Ramos que do meus RELES ponto de vista, ainda não teve um bom papel na tv. Desculpe Aguinaldão mas eu DETESTEI ele em DUAS CARAS. Nem falo do FOGUINHO de COBRAS E LAGARTOS

  31. FILME DO CRÔ JÁ TEM DIRETOR

    O Aguinaldo acaba de dar uma ótima notícia para os fãs saudosos do amado Crô Valério, personagem de “Fina Estampa”. O roteiro, de sua autoria, que trará Crô de volta aos holofotes, já tem diretor definido e é um brasileiro que já concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro.
    Temos o Walter Salles, o Bruno Barreto e Fábio Barreto, pois o Anselmo Duarte, já é falecido.
    Minhas apostam recaem todas sobre o Bruno pela trajetória vitoriosa que ele teve no cinema. É dele a direção de dois dos maiores sucessos do nosso cinema nacional: “Gabriela” e “Dona flor e seus dois maridos” (maior sucesso nacional de público até o lançamento de Tropa de Elite 2).
    Tenho certeza que se for o Bruno Barreto fará um filme memorável. Sua dobradinha com o Aguinaldo promete!!!
    Mas também se for o Walter estará em excelentes mãos. Infelizmente o Fábio, irmão de Bruno, ainda continua se recuperando de um acidente de carro, sofrido em 2009, por isso, aposto tanto no Bruno.

  32. CHEIAS DE CHARME,

    Se por um lado, estou triste pelo baixo ibope da atual novela das 18h porque torço muito para que ela se recupere e faça sucesso (conforme já escrevi aqui hoje); por outro, não posso esconder a minha alegria pela trama de “Cheias de Charme” que chega ao final esta semana ter sido um dos maiores acertos da TV Globo nos últimos anos, muitas vezes, com Ibope de novela das 21h.
    Pela primeira vez tivemos a ousadia de ter 3 empregadas domésticas como protagonistas. Elas conquistaram o país e muito desse sucesso deve ser creditado à dupla de autores que estrearam com tudo na faixa nobre da TV.

  33. LADO A LADO,

    Infelizmente não tenho conseguido assistir essa novela por causa do horário e fico triste em saber que o Ibope não tem correspondido. Hoje consegui chegar mais cedo em casa e estou adorando.
    Minha tristeza se explica: há muitooo tempo não temos tramas de época na Globo (elas fazem falta), depois tem a minha torcida para que uma nova dupla de autores se consolide, sem contar também o fato da trama ter atores que admiro muito, como Patrícia Pilar, Camila Pitanga, Marjorie Estiano, Rafael Cardoso, Beatriz Segall, dentre outros. Se não bastasse tudo isso, tem ainda a direção do sempre talentoso Denis Carvalho e a supervisão de texto de Gilberto Braga (dois grandes profissionais da nossa TV).
    Enfim, a novela tem todos os ingredientes possíveis para crescer no Ibope e fazer grande sucesso. Depois de “A vida da gente” (que amei), a última das seis que acompanhei na íntegra foi “Força de um desejo” que, na minha opinião, foi um dos melhores trabalhos já realizados na nossa dramaturgia.
    Ainda bem que Lado a lado tem muito tempo para mostrar a que veio.

  34. Vou repetir meu post publicado em “SER GAY EM NOVELA É DUREZA”

    José Maciel escreveu em 22-09-2012

    Aguinaldo,
    Nos ultimos anos foram feitos remakes de várias novelas que fizeram sucesso quando de sua primeira exibição. Estes remakes foram feitos para modernizar as histórias, o que eu acho em vão, pois nenhum remake, que eu saiba, fez mais sucesso que o original. Claro que sei que a modernização se necessária por causa das novas tecnologias coisa e tal; mas o remake nunca é igual ao original, quem reescreve sempre mutila e história, como foi o caso de O Astro, que foi todo mudado. Um desrespeito com a Janete Clair, ja que era uma história original dela e não uma adaptação de livro como esta nova Gabriela. Outro caso foi o de TI TI TI, que apesar do sucesso, foi toda modificada se comparada ao original.
    Eu sou muito mais que façam remakes de verdade: só peguem o texto e regravem conforme o que já foi escrito, apenas fazendo um ajuste aqui outro ali. Principalmente nos casos de histórias originais.
    Daqui há uma semana estréia mais um remake, GUERRA DOS SEXOS, este pelo menos está sendo reescrito pelo próprio autor, portanto não deve haver mudanças tão radicais.
    Mas e você? O que pensa sobre este assunto? Já pensou em fazer remake de alguma novela ou missérie sua? Se fosse fazer, qual seria?
    E minha pergunta sobre o QUINZE, vai ter resposta?
    Abraço.

  35. Boa tarde, portal.

    Jorge Loredo, um referencial do humor brasileiro! Adorei a entrevista. Uma aula de história sobre a arte de fazer humor!

  36. MACUMBA É COISA DE PERIFÉRICO! BEM TIPICO DO SAITE DO AGNALDO! QUE MISERÊ!
    NO BLOG DA GLÓRIA SÓ DÁ BUDISTAS!
    BUDISMO É RELIGIÃO DE GENTE FINA!
    LÁ NO PROJACKY A GLÓRIA JÁ MANDOU ABRIR UM TEMPLO PARA O ELENCO MEDITAR: ANTES/DURANTE E APÓS AS GRAVAÇÕES!
    AQUELA MULHER É UMA SACERDOTISA GUANABARINA!
    SALVE GLÓRIA!
    XÔ PERIFÉRICOS!

  37. AGRADECIMENTO AO PODEROSO BABALORÍXA PAI GENTIL – eu era Feio e EsquisitÃO, o que me levou a desenvolver uma timidez assustadora: nunca conseguia arrumar uma namorada, era motivo de chacota em todo o bairro de Guadalupe (Rio de Janeiro), levantaram até o falso BUATO que eu era biba. O dinheiro que ganhava com servente mal dava para comer. Foi então que um grande amigo me aconselhou os Famosos Pó da Beleza e Perfume da Fama do PAI GENTIL. Em 15 dias a minha vida mudou: trabalho por conta própria, só uso roupa de grife, desfilo pelo asfalto a bordo de uma pussante Honda 125cc e as gatas não largam do meu pé. Abandonei os malditos vicios do prazer solitário, porque os sonhos viraram realidade. Não vou dizer que sou sorvete mas todas as minas querem tiram casquinha comigo.
    AGRADEÇO TUDO AO PAI GENTIL. Estou muito Feliz e Contente!
    Recomendo vivamente!

  38. Muito oportuna a lembrança a um ator que consegue permanecer no nosso imaginário há mais de 50 anos! Nuinguém fica tanto tempo na ribalta se não for especial!
    Grande Jorge Loredo!

  39. PAI GENTIL D´OGUM NÃO POSSUI XEROX OU CÓPIA! ELE É ÚNICO E VERDADEIRO!
    PARA VOCÊ QUE VIVE ATORMENTADO POR SER FEIO E ESQUISITÃO – PAI GENTIL tem a Solução! – Faça como o Jorge Loredo, a Simone Magalhães, Rodrigo Lima, Fátima Diniz, Guto Lisboa, Bruno Fracchia e o Dr. Ganso- Compre o famoso LIQUIDO DA SAÚDE/PÓ DA BELEZA/ PERFUME DA FAMA e o famoso PATUÁ DA SORTE. E em 27 dias fique SEXY, GOSTOSÃ/O E PEGADOR/A! Experiência de 22 anos…Ebôs, Sacudimentos, Odum, Obará, Tiramos mão Vumê. Con certeza você será o próximo a dar ser relato! Damos consultas também Senhor ZÉ PILINTRA DA ESTRADA/EXÚ MARABÚ! O PAI DE OGUM É O CAMINHO E O CAMINHO É OGUM! Não Prometo! Eu Cumpro! NÃO CONFUNDA-ME COM OUTROS!
    Não aceito cheque roubado!
    10% DESC PAG Á VISTA!

  40. AS NOVELAS SÃO OFICINAS DO DEMÔNIO – Por que será que toda a programação desta rede de TV gira em torno de novela? Será porque o monopólio global quer os seus adeptos bem dopados ou porque ela deseja, como a Santa Igreja, ver seus filhos vivendo a sua vocação de filhos de Deus, com toda a alegria e exigência que isso implica? Não precisamos ser expertos para responder. O ócio que insiste em chamar o bem de mal e o mal de bem, e impor comportamentos indignos de um cristão, como as novelas, não deve ser visto por ninguém, muito menos pela família inteira! Temos que obrigar, com nossas atitudes, a que as redes abertas do Brasil elevem o nível de sua programação, especialmente de suas novelas! O ibope está caindo cada vez mais, e eles estão chamando especialistas para ?estudar? esta queda. Seria louvável que esta queda se desse porque as famílias cristãs estão dispostas a encontrar outros meios de diversão, realmente dignos de cada uma delas!

  41. Muito bom saber as histórias de quem faz história!
    A-DO-REI mai uma vez! Parabéns dupla dinâmica!

  42. Ótima entrevista!
    A Simone está linda naquele sorriso.

  43. Querido Ganso e Moderador Silva obrigado pelos elogios!
    Abraço a todos!

  44. Desculpe-me Moderador, mas a TV da Barra Funda especializou-se na xerox sem medo de ser feliz, sim. Não por fazer telenovelas. Mas porque vários programas ‘recordianos’ tiveram ( e tem) a cara, o fucinho e o bumbum alá Globo. Vejamos: 1- A Record além de copiar o formato batizou o clone com um sinônimo da original: refiro-me ao espelho Esporte Espetacular e Esporte Fantástico. 2- O Repórter Record foi a primeira xerocada da tv do bispo Edir. O Globo Reporter não me deixa mentir. 3- Eu poderia escrever uma dissertação sobre o fato do Domingo Espetacular ser uma alusão clara ao Fantástico. Começaria a minha tese dizendo que fantástico e espetacular, significa a mesma coisa e terminaria com Paulo Henrique Amorim, ( que por sinal é meu vizinho em Salvador, meu ap fica em cima do dele) apresentador titular, chamando as reportagens dramáticas. 4- Casoy foi demitido da apresentação do telejornal para que, igualzinho ao Jornal Nacional, o novo Jornal da Record fosse apresentado por um casal na bancada ( na epóca Celso Freitas e Adriana); as matérias também passaram a ser editadas do mesmo modo da Globo? E o folhetim adolescente Rebelde que pretendia seguir exatamente a mesma trilha de Malhação ( ah tá! é novela! desculpe!) Como disse, escrevo um livro se for preciso apontando que a Record pouco cria, pouco inova e muito copia. São incontáveis os elementos copiosos da Record (fontes e cores de letras usadas nos créditos de chamadas, microestruturas entre A Fazenda e o BBB, etc, etc). Sem originalidade a Record jamais deixará de ser a mera sombra da Globo. Depois reclamam do apelido carinhoso que ganhou: “Re**p*@”.
    E para finalizar, estou convencido que algo novo entre essas duas emissoras deve surgir em breve. Se Haddad for ao segundo turno com o candidato do bispo Edir nas eleições paulistanas, a guerra entre a Globo e a Record será declarada. O PT como sempre, muito ávido pelo poder, já tem debaixo do braço um projeto para a Globo esmagar a Rede Record. Claro, em troca do apoio para vencer a eleição. É esperar pra ver.

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR
    Caro Lula Portugal,
    Essas articulações que citou são muito possíveis, sim!
    Vamos esperar para ver!
    Abraço forte!

  45. Bom dia!!! Querido amigo Moderador, eu é que agradeço a oportunidade de ler entrevistas tão especiais e que não encontraria em nenhuma outra publicação (impressa ou virtual) e o carinho demonstrado por minha pessoa, mesmo não conseguindo eu escrever com tanta frequência como gostaria. Na maioria das vezes, perco o bonde da atualização e deixo de escrever por conta disso!!! Obrigado pelo carinho!!!

    À Kátia, sempre escrevo para ele in box no facebook, mas devido ao comentário dela nesta postagem, novamente escrevo de forma pública:adoro le-la desde sempre, pois sua legítima alma de artista me faz me sentir tão próximo dela! Jorge Loredo é um artista enorme. Assim, nós, artistas mais novos, não temos como não nos emocionar e valorizar suas palavras. A vontade é de estar sentado ao lado dele, aprendendo e ouvindo suas histórias!!!

    Por fim, Simone Magalhães: seu prazer, seu amor por seu ofício é visível! Ele transborda em suas entrevistas e nos contagia! Parabéns mesmo!

  46. Moderador, é claro que eu acho AGUINALDO SILVA o maior de todos os autores de televisão do momento. JEC só escreveu uma novela das oito, e ainda vai ter que se esforçar muito para chegar ao nível de um DEUS DA NOVELA igual ao Aguinaldo. Eu só escrevo essas besteiras sobre audiência aqui para tentar baixar a bola do AGUINALDO SILVA, que é muito metido. Mas não há dúvida que ele é o maior de todos. Você está certo, um ponto faz muita diferença, até meio ponto, não importa, o que importa é que alguém deu mais que o outro e ficou em primeiro lugar. E quem ficou em primeiro lugar foi AGUINALDO SILVA, o mais surpreendente e fantástico autor. Foi bom ficar aqui esses seis meses mandando comentários… E não, eu não sou parente do Carmo dalla Vecchia.

  47. \’\’Mas acho que essa minha desenvoltura com gestos e imitações começou porque, quando eu saía do cinema, e ia contar o filme para esse meu amigo cego, procurava ser o mais fiel possível. Se fosse faroeste, eu imitava o trote dos cavalos, os tiros, tudo para ele ter uma noção mais apurada do que vi.\’\’ by Jorge Loredo

    Que bonito!

  48. Zé Bonitinho é o Matusalém dos humoristas em atividade!
    Que figura!
    Que entrevista!
    Haja coração!

  49. Aguinaldo Silva mesmo com o horário político Avenida Brasil vai ser uma das melhores novelas dos últimos tempos, junto a Fina Estampa! Que sorte a sua, o horário político te salvou.

    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120925060611AACLZhm

    Eu não sabia, mais falta apenas menos de um pontinho?

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Matheus,
    Suas mensagens são ao mais puro estilo chapa-branca!
    Ignoram a frieza dos números de Ibope que apontam para uma diferença evidente na média final entre as novelas.
    Vc é cunhado do JEC?
    Tem algum parentesco com o Carmo Della Vecchia?
    É dependende financeiro de algum dos dois citados?
    Um ponto na média final é muita coisa, acredite.

    Francamente!

  50. Linda entrevista, um artista e tanto, e uma vitalidade enorme, por vezes ao ler a entrevista pensei em estar lendo palavras de um jovem adolescente, o que na verdade realmente ele é.Uma alma jovem e leve.Muito especial, grande exemplo .

  51. Parem de chamar a Record de recopia. Soh porque eles fazem novela tambem nao significa que estejam copiando a Globo. Ninguem fala que o SBT copia, e eles fazem novelas tambem, bem inferiores que as da Record e Globo. A Record soh precisa aprender a trabalhar melhor com planejamento, trilha sonoras atuais (e incluir internacional a partir do meio da novela para naop cansar) e encurtar as tramas em 6 meses. Ah, e precisam contratar novovs profissionais de grafic designer, para melhorar aberturas, chamadas, etc (aberturas devem ter no minimo 1 minuto e nao 37 segundos como eles fazem) Do mais, eles tem mesmo eh que continuar tentando.

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Reinaldo,
    Seu argumento é racionalmente legítimo pelo que estarei – doravante – coibindo o uso dessa expressão pejorativa.
    Com estima,
    Receba meu cordial abraço!

  52. SENSACIONAL !! 🙂

    Sempre gostei do Zé Bonitinho, mas não sabia nada sobre o Jorge Loredo.. simplesmente amei conhecê-lo.
    Ele transmite muita energia positiva.
    Nem parece ter 87 anos….parabéns !

    Beijos, pessoas do Portal.
    😉

  53. Olá a todos,
    O trabalho deste actor nunca chegou a Portugal, mas li com emoção mais este belo trabalho da Simone. Gostei de saber que tem boas recordações de Portugal e dos tempos em que trabalhou com o grande Raúl Solnado (um dos maiores actores e comediantes portugueses, senão o maior) bem como da nossa Amália, que dispensa apresentações.

  54. que entrevista mais maravilhsosa. lembrei demais de minha mãe que adorava o zé bonitinho com seu óculos enorme e o pente gigante usado para manter o topete no alto. cheio de charme!cresci dando risadas com ele. tomara que Deus lhe dê muita saude pra continuar a nos fazer rir. parabéns a simone magalhães e fco patricio que captaram a alma do humorista

  55. Fiquei impressionado com a disponibidade – e memória – de Jorge Loredo, o eterno Zé Bonitinho, ao contar sua vida, que se confunde com o lado profissional. Em nenhum momento, ele se fez de coitadinho – pelo contrário. Seus problemas só serviram para fortificá-lo, engrandecê-lo como ator, que correu atrás de seus sonhos. Parabéns a todos os envolvidos com a entrevista. E vida longa a Jorge Loredo!!

  56. Gente! Valeu a pena ler essa entrevista que a Simone Magalhaes fez com o Ze Bonitinho, acho os dois o maximo!

  57. Fiquei muito feliz por contar essa história de vida tão rica e emocionante. Mesmo depois tantos anos, o prazer que sinto com meu ofício é renovado a cada matéria.
    Bjs a todos!!
    PS. Bob, adorei o Martinho de Vila!! Roberto, adorei sua gentileza!! Que bom poder escrever para pessoas especiais como vcs!

  58. Olá Aguinaldo, Moderador e queridos todos!

    Linda entrevista, linda, linda mesmo! Que coisa mais linda a mãe dele! E muitas identificações, já contei aqui que minha família adotiva é de Campo Grande, meu pai adotivo foi dono tb de muitas terras por lá e hoje é nome de uma importante rua lá, assim como minha avó por parte de mãe. A entrevista é muita linda, desde aquela coisa do comediante em potencial em reparar todas as personagens a sua volta, como tudo! Entrevista muito sensível! Que me emocionou! Teria o que comentar de cada vírgula, cada detalhe, e sintetizo dizendo: Simone, queria estar lá com vcs! Vocês arrasam! Mil e mil beijos!!!!!

  59. Sensacional!!!! Sem palavras pra descrever o quanto a dupla de peso pesado – Simone e Patrício – enriqueceram o portal. Quebrando paradigmas e mostrando que existe uma turma de artistas, muito da boa, que valem a pena cada visita e os minutos que passamos aprendendo com eles aqui no site.
    Meu respeito, meu carinho e minha admiração ao Jorge Loredo e ao trabalho de vcs dois: Simone e Patrício!!

  60. Cheguei hoje em São Paulo depois de um final de semana maravilhoso em Brasília, onde encontrei o nosso querido Marco Aurélio Bittencourt por duas oportunidades na capital federal.

    Daí eu chego em casa e o que encontro? Essa entrevista NA PONTA DOS CASCOS dessa entrevistadora bagual (no bom sentido) Simone Magalhães.

    Tchê, estou AMANDO essa sistemática de escolha de entrevistados por uma questão bem simples: eles tem o que dizer.

    Uma ótima semana para todos e carpe diem.

    Nobrezito

  61. Gente, que entrevista maravilhosa!!! A gente não consegue parar de ler. E quando ela termina, na verdade, queremos continuar ouvindo outras histórias..digo ouvindo mesmo, pois a qualidade da escrita da Simone e a simplicidade do Jorge Loredo nos coloca na mesa da lanchonete, ao lado dos dois no banco em que Francisco Patrício os fotografou!

    Parabéns, Simone, Patrício e Aguinaldo! Por favor, mais e mais vezes dêem voz a estes nossos grandes artistas que ainda podemos ter a nosso lado e tanta coisa tem a nos contar! Quantas imagens, histórias, lições e exemplos Joge Loredo nos passou nesta entrevista! Vou rele-la certamente mais de uma vez!!!

    Na entrevista ele não cita, mas vale destacar sua pequena, mas não menos brilhante, participação em”O Palhaço”, filme de Selton Mello em que destaco principalmente este carinho, respeito a nossa velha guarda, mostrando outros perfis de grandes artistas nossos, muitas vezes discriminados (em “O Palhaço”, estão ainda Moacyr Franco – premiado por este filme – e Teúda Bara). Nós precisamos de mais Seltons, Simones e Aguinaldos neste sentido de nos mostrar grandes artistas brasileiros cujas histórias de vida registram importantes momentos da história do Brasil! Quem de minha geração ou mesmo de gerações posteriores, por exemplo, poderia dar uma entrevista percorrendo do Brasil Império até o Brasil Dilmista, além de Jorge Loredo? Creio que ninguém!!!

    As pessoas não sabem, mas se hoje não se interessarem na história dos Nossos, amanhã não terão histórias para contar!!!

    Fica, entre muitas outra coisas, o exemplo de conduta artística a ser seguida! Jorge Loredo é Jorge Loredo porque sua história profissional é desta determinação e respeito absoluto como bem informa o Flávio Ricco em comentário posto aqui!

    Novamente, de nossos artistas atuais, quantos tem este respeito ao ofício? Saberemos quando eles chegarem (se chegarem) aos 80, como Jorge Loredo, Fernanda Montenegro, Cleyde Yacónis e Laura Cardoso (que acaba de completar 85 anos, se não me engano).

    A Jorge Loredo, minhas reverências!!!

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Obrigado Bruno pelo comentário positivo e abalizado.
    O AS Digital sente muito a falta de regularidade nas suas participações.
    Recordo-lhe que vc é co-fundador do Bloglog original, uma pessoa que nos é muito cara!
    Abraço carinhoso!

  62. O Zé Bonitinho emociona a cada ano que vai passando. É um cult!
    Parabéns!

  63. Muito oportuna a entrevista com o Loredo!
    Ze Botinho nao era da Record(Praca da Alegria) e sim dos aureos tempos da TV TUPI Rio, ele fazia o personagem em Recife nos anos 60 na TV Jornal Canal 2 quase todo sabado no programa Noite De Black Tie com Lolita Rodrigues e Cauby Peixoto, acredite ou nao era sim. Como ele conseguiu voltar a Tv com esse tipo em pleno seculo 21 eh um milagre. Viva Jorge Loredo.

  64. Ontem eu vi o Jô no \"Fantástico\" e ao responder se tinha medo da morte, usou uma frase do Chico Anysio;
    \"Medo não. Eu tenho pena de morrer.\"
    Aí eu penso num cara como o Loredo. Quanto desperdício de talento significaria a morte de um ARTISTA como esse.
    Gente do naipe dele deveria viver 150, 200 anos para ajudar a formar uma geração bacana, ter tempo de construir um legado.
    Linda entrevista.
    Vida longa a ele.

  65. Oi Aguinaldo!
    Parabéns pelo site que está super dinâmico, recheado de grandes atrações, sobretudo as entrevistas com gente de primeiríssima.
    O ator e humorista Jorge Loredo, mais conhecido como Zé Bonitinho, além de profissional disciplinado é um exemplo a ser seguido.

    Ao contrário de outros, que se fizeram conhecer por agitar ou transtornar bastidores –o que inclui não estudar e decorar textos–, Loredo, aos 86 anos, continua justamente na contramão de tudo. Ele permanece no elenco de “A Praça é Nossa”, gravando todas as terças-feiras.

    Precavido, sempre um dia antes, viaja do Rio de Janeiro para a sede do SBT, em São Paulo. Tudo para não correr o risco de chegar atrasado ou perder o voo.

    Já nas dependências da emissora, cumpre o mesmo e antigo ritual. Devido a problemas respiratórios, passa antes no ambulatório e recebe inalação. Com o texto decorado e utilizando um colete cervical, é um dos primeiros a chegar ao estúdio. Nesta semana, na volta das férias, não foi diferente.

    Uma postura que é muito comentada pelo pessoal do meio, dentro e fora do SBT. É, repito, um exemplo a ser seguido.

  66. Que linda entrevista, me emocionei muito. Que linda história, Jorge Loredo tem tanto para nos contar, talvéz nunca soubéssemos de tanta informação.

    Meu respeito a uma pessoa portadora de tão linda tragetória.

  67. Emocionante entrevista. É muito bonito ver um ser humano com tantas histórias à contar. E principalmente com uma lucidez de fazer inveja.

    SEXY, GOSTOSÃO E PEGADOR! II

  68. Adoro este personagem. Morria de ri cada vez que ele pegava o pente.

    SEXY, GOSTOSÃO E PEGADOR! I

  69. A galera deve estar apavorada com essa notícia.

    aguinaldo silva: Tamanho médio do pênis diminuiu nos últimos 50 anos, diz estudo – Saúde em Lifestyle no A Capa http://acapa.virgula.uol.com.br/lifestyle/tamanho-medio-do-penis-diminuiu-nos-ultimos-50-anos-diz-estudo/1/7/20689 … via @Acapacombr

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Ainda bem que estou com alguns cm acima da média.
    Essa reserva muito me tranquiliza.
    A lamentar únicamente, devido à idade avançada, que o mesmo – hoje – não passe de um “gigante adormecido” restrito sómente à funcionalidade urinária.

  70. Longe de mim querer entrar na disputa, com o Bob Zacharias, pelo coração da Linda Morena mas, para lá da beleza realço o grande talento profissional da jornalista do AS.

  71. “Hello mulheres do meu Brasil varonil… vou dar a vocês agora um tostão da minha voz… Cameras, close! If I had a thousand women… au au… au au…”

    “Zé Bonitinho, o perigote das mulheres.”

    “Zé Bonitinho, o amigo do peito da mulherada!”

    “Zé Bonitinho, aquele que não é sal grosso, mas tá sempre em cima de uma carne seca.”

    “Zé Bonitinho, aquele que não é vaga de estacionamento, mas a mulherada está sempre disputando.”

    “Zé Bonitinho, aquele que não é gel mas deixa a mulherada de cabelo em pé!”

    “Zé Bonitinho, aquele que não é barata embaixo da pia, mas a mulherada quando vê, logo se arrepia.”

    “Zé Bonitinho, aquele que não é telefone, mas quando a mulher pega, não larga mais.”

    “Minha beleza é mais absurda que a minhoca que não tem pé e nem cabeça.”

  72. Me emocionei demais com esta entrevista do Zé Bonitinho. Este personagem atravessou todos os meus 60 anos de existência.
    Amo o Jorge Loredo!
    Aguinaldo, vc é tudo de bom!

  73. MICROFONE, PLEASE!

    Jorge Loredo é o criador de uma das personagens mais fantásticas da televisão brasileira, o irresistível Zé Bonitinho, dono de bordões inesquecíveis, ditos com a voz grave dos conquistadores: “Câmera, close; microfone, please”, ou “Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz…!”. Ostentando seu vasto topete, imensos óculos escuros e um delgado bigodinho, Zé Bonitinho caminha com requebros e trejeitos de galã hollywoodiano filtrado pela luz suburbana. Podemos dizer que a criação de Loredo já era predestinada ao universo cinematográfico antes mesmo de ter sido utilizada genialmente por Rogério Sganzerla em Sem Essa, Aranha (1970) e O Abismu (1978). Zé Bonitinho é herdeiro direto do humor puramente visual da comédia muda e do escracho chanchadístico, ligado à verve humorística dos radioatores.
    Parabéns aos responsáveis pela homenagem, em especial ao grande Aguinaldo Silva.

  74. Esse cara é um baita ator, pena que só chamaram ele pra fazer esse personagem. que é ótimo mas foi limitador para a carreira. Ainda assim o Jorge é um mito que atravessou cinco décadas!
    Parabéns Agnaldo por dar espaço e trazer à memória pessoas de raro talento e que tantas alegrias deram a várias gerações.

  75. Com o devido respeito e com a imensidão do meu carinho deixo essa homenagem para a LINDA MORENA.

    Minha admiração,

    Bob

    ♫♫♫
    Eu quero me esconder debaixo
    Dessa sua saia prá fugir do mundo.
    Pretendo também me embrenhar
    No emaranhado desses seus cabelos. ♫♫♫
    ♫♫♫
    Preciso transfundir teu sangue
    Pro meu coração, que é tão vagabundo.
    Me deixa te trazer num dengo
    Prá num cafuné fazer os meus apelos. ♫♫♫
    ♫♫♫
    Eu quero ser exorcizado
    Pela água benta desse olhar infindo.
    Que bom é ser fotografado,
    Mas pelas retinas desses olhos lindos.♫♫♫
    ♫♫♫
    Me deixe hipnotizado prá acabar de vez
    Com essa disritmia.
    Vem logo! Vem curar teu nego
    Que chegou de porre lá da boemia! ♫♫♫
    ♫♫♫
    Eu quero ser exorcizado
    Pela água benta desse olhar infindo.
    Que bom é ser fotografado,
    Mas pelas retinas desses olhos lindos.♫♫♫
    ♫♫♫
    Me deixe hipnotizado prá acabar de vez
    Com essa disritmia.
    Vem logo! Vem curar teu nego
    Que chegou de porre lá da boemia! ♫♫♫

    ———————————

    INTERV. DO MODERADOR:
    O Bob reune todas as nobres credenciais de um gentleman.
    Páreo para o Zé Bonitinho!

  76. Oi Aguinaldo Silva!

    Elogio seu trabalho! Sua última novela foi maravilhosa! Queria saber quando você pretende fazer um outro concurso desses de roteiro como esse que tá acontecendo agora? Obrigado! Escrevo roteiros também, mas precisava viajar para uma cidade aqui do Piauí, onde iria pesquisar para escrever meu roteiro pra participar deste concurso de roteiros, mas ocorreu um imprevisto e eu não vou ter tempo de escrever um roteiro de qualidade para concorrer, por isso queria saber se você tem alguma ideia de quando acontecerá o próximo concurso nacional de roteiros.
    Um grande abraço!
    P.s: Espero que leia meu blog, cujo endereço está acima, e também aguardo uma resposta.

    Oi Aguinaldo Silva!

    Elogio seu trabalho! Sua última novela foi maravilhosa! Queria saber quando você pretende fazer um outro concurso desses de roteiro como esse que tá acontecendo agora? Obrigado! Escrevo roteiros também, mas precisava viajar para uma cidade aqui do Piauí, onde iria pesquisar para escrever meu roteiro pra participar deste concurso de roteiros, mas ocorreu um imprevisto e eu não vou ter tempo de escrever um roteiro de qualidade para concorrer, por isso queria saber se você tem alguma ideia de quando acontecerá o próximo concurso nacional de roteiros.
    Um grande abraço!
    P.s: Espero que leia meu blog, cujo endereço está abaixo, e também aguardo uma resposta.
    http://webnovelashectorsantiago.blogspot.com

  77. Zé Bunitinho o perigote dos perigotes. nós te amamos.

  78. Aeeeeeee FABIÃO quereeeeedo,

    Vi a noticia no seu blog hoje mais cedo.Bato ponto toda a segunda-feira.

    E que notícia bem booooooaaa!

    Valeu!

  79. Fábio,
    Seu site sobre televisão é FANTÁSTICO!
    Modelar!
    Parabéns!

  80. Sei que o comentário que farei não tem nada a ver com a entrevista, mas queria deixar registrado aqui para a “Família Aguinaldo Silva”, vulgo Aguinaltas.

    Avenida Brasil mesmo com o sucesso de repercussão não superará a audiência de Fina Estampa!

    CONFIRAM AQUI!

    http://www.ocabidefala.com/2012/09/a-semana-38-na-tv-uma-analise-da.html

    FOM FOMMMM Aguinaldão!!!
    Abraço à todos!

  81. Numa época onde o que se prolifera são os pseudo-humoristas que se acham engraçados com tanto stand up, podemos dizer que Zé Bonitinho é um sobrevivente.
    Parabéns.

  82. ENTREVISTA COM O ZÉ BONITINHOOO!

    Opa, mais uma entrevista muito bacana com este super comediante! E carácolis, quanta história com H mesmo ele tem, hein! E fiquei sensibilizado com o problema na perna dele e com o amigo cego. A sorte é que tirou as amarguras de sua vida e as transformou em alegrias para os telespectadores!

    HORA DE COMER É SAGRADA

    Tudo isto faz parte de boa parte da população do mundo… aqui, em minha cidade, há uma casa de prostituição que só é aberta na parte do dia e tem maior movimento na hora do almoço. E o cardápio é simples – uma moça que oferece os serviços da seguinte forma: 20 minutos 20 reais. Super criativo, não?
    Mas acredito que isto em Brasília daria mais sucesso! Aliás, lá é o lugar das infidelidades. Infidelidades amorosas, partidárias, assim por diante…

    LARA SIMEÃO ROMERO

    Hahaha, gostei muito das personagens de Sex and the city! Com certeza é o perfil das mulheres que estão à frente de suas próprias vidas. Deste seriado, lembro-me de um amigo, que é viciado em nas meninas, falou para mim de uma tal bolsa Birkin. Ele era louco por esta bolsa. Daí, eu falei com uma amiga minha de muitas posses sobre a tal bolsa e ela comprou logo na semana seguinte! Foi um choque! Hahaha!! Até sugeri, há um tempo atrás quando o Aguinaldo tinha dito de bolsas, para que adquirisse uma, pois só os poderosos a conseguem! Huahuahua!!

    DAVI VALÉRIO

    E quem dirá, hein, dos próximos personagens gays das novelas. Quem será que irá abrir as portas para uma nova mentalidade neste povo cheio de crendices fincados numa hipocrisia, que além de tudo é cega? Ansioso para saber como será um novo personagem e quem sabe, um beijo dramático?

    Hahaha, Entrega dos prêmios!

    Tomara que os seus favoritos tenham ganhado, Aguinaldo! E desde que falou de Mad Man, fico muito curioso para poder acompanhar a série! É cada coisa que PRECISO assistir!
    E também desejo muitas ótimas excelentes e grandiosas vibrações para o Brasileiríssimo! Vi as fotos que estão ultra belas! Um local fino, com pratos finos! Quero muito tudo isso um dia! E falando em fotos, parabenizo também o Fco. Patrício pelas excelentes que tirou! Já disse isto uma vez, que as suas fotos falam por si só pegando aquilo que é o principal, a alma do momento!

    REALIDADE INVADE A FICÇÃO – ANDRÉ LUIS CIA.

    Caramba, é isso aí! Quanta informação! Como você bem disse, o tema social incluído nas novelas fazem com que elas façam parte dos assuntos nas rodas de todo o tipo de gente! Isto é excelente tanto para quem assiste quanto para quem produz, pois é audiência na certa!

    Fico feliz que sempre nas novelas há muito disto! Uma excelente matéria! Gostei muito!

    E o que dizer de NAZARÉ TEDESCO?

    Eu tinha visto a enquete que estava na Globo sobre as maiores vilãs de todos os tempos. É claro que iria dar Nazaré na cabeça! E, citando também algumas vilãs, mas no caso, vilãs temperadas na tequila, gosto muito da Soraya Montenegro (Maria do Bairro) e de Paola (Usurpadora). Elas, bem como Nazaré Tedesco, devem as suas vilanias não só às sua às suas interpretações, mas também, aos seus criadores, que criam situações e principalmente pérolas divinas!

    E novamente, Davi Valério, me fez rir com os estilos fashions. Olha, irei sempre lembrar disto: “Lesson number 5: usar roupa de noite durante o dia é super inesperado” hahaha! Adorei! Irei lembrar disto quando eu escrever algo com uma vilã! Hahaha!!!

    BALACOBACO
    Boa sorte para a trama.

    Olá, “seus lindos”! Lindo portallll!! É isso aíiiiii!!! Muito bom ler tudo isto!!! Cada coisa!!!

    Um abraço em todos vocês!!! Estava ocupadão estes dias!!!

    ;]

    INTERVENÇÃO DO MODERADOR:
    Pôxa Ângelo,
    Vc mandou ver na leitura, mesmo!
    Confrade fiel e leal merece todos os nossos respeitos!
    Obrigado!

  83. Muito legal a entrevista, Simone. Não imaginava essa vida difícil do humorista. Parabéns!

  84. Eu quis dizer: Aguinaldo e não Agnaldo. Me desculpem, por favor. De vez em quando eu tenho um ataque súbito de idiotice.
    Tonny Cruz

  85. Uma das melhores entrevistas que já li. Se já gostava do Loredo agora fiquei fã. Um grande comediante. Um profissional de verdade, que deve servir de exemplo para os que aí estão chegando e confundem fazer humor com zoar gratuitamente as pessoas. E pelo que vimos, a vida do Loredo daria um excelente livro. Eu mesmo, se já não estivesse tão ocupado com alguns projetos, me ofereceria descaradamente para escrevê-lo. Fica aí a dica para algum colega. Serei o comprador número um. Parabéns, Simone Magalhães! Agnaldo continue mantendo o espaço sempre assim. Um grande abraço a toda a equipe do portal.
    Tonny Cruz
    @TonnyCruzBR

  86. SIMONE:
    Óptima e ternurenta entrevista. AMEI!
    Nunca imaginei que ele conhecia Raúl Sonaldo(RIP) e falasse também de AMÁLIA(RIP).
    Saudades também desses dois Icones Portugueses.
    Lindas fotos, F. PATRICIO.
    Viva ZÉ BONITINHO. Homem corajoso e coração bondoso. A história que ele descreve como contava tudo ao seu amigo cego, é das coisas mais bonitas que já li. Aí se vê sua extrema bondade e paciência.
    Abraços.
    Magdalena

  87. Sensacional entrevista ! Pena daqueles que esnobam os “mais velhos” e deixam de escutar suas histórias, mostrando interesse apenas nos que estão “na moda”.

  88. Muito legal dar voz a pessoas que fizeram parte da história da TV brasileira, principalmente porque no Brasil o idoso sempre é esquecido e relegado a terceiro plano.
    O mesmo acontece com nossos artistas mais velhos. Graças a Deus, muitos ainda estão na ativa e contribuem para o nosso aprendizado.
    Acho que o mais legal disso tudo é saber que muitos não desistem de fazer o que mais gostam e continuam trabalhando. Se Deus me permitir e, espero que permita, quando chegar a minha velhice quero também, assim como o Loredo, estar atuante porque não tem coisa melhor do que fazer algo que amamos.
    Ele fez um dos filmes nacionais que sou muita fã: “Chega de Saudade”, em 2008. Fiquei com uma curiosidade: em tantos anos de carreira ele já fez algum papel em novela ou série? O seu Zé Bonitinho é muito carismático! Bela homenagem!

  89. Meu maior respeito ao Zé Bonitinho, Um homem que fará parte de nossa história eternamente.
    Este portal do Silva é do C@!%#@!:)))

  90. No meio de tanto humorista sem graça que tem por aí hoje, o Zé Bonitinho é uma rara e nobre exceção.
    Parabéns Aguinaldo e Equipe, por mais esta entrevista surpreendente e genial.

  91. Ele faz parte da minha vida… das minhas recordações… ele é importante para mim…
    Uma legenda, um dos personagens cult sem dúvida da comédia televisiva brasileira.

  92. Fiquei de olho no Emmy, via canal Warner.
    Sou daqueles que democraticamente aceita as decisões. Então, vamos lá:
    “Homeland” está com tudo! Surpreendeu batendo os rivais “Breaking Bad” e “Mad Men”. Levou prêmio de roteiro, melhor ator (Damian Lewis) e melhor atriz (Claire Danes) em serie dramática. O ótimo Aaron Paul levou o prêmio de ator coadjuvante em série dramática por “Breaking Bad”. Mas a concorrência estava dura, hein?
    “Modern Family” emplacou a terceira vitória, na categoria de melhor comédia (sinceramente, essa eu não curti). Melhores interprétes em comédia foram, Jon Cryer (“Two and a half men”) e Julia Louis-Dreyfus (“Veep”).
    Kevin Costner, que andava meio sumido, ficou com o Emmy de melhor ator em minissérie com “Hatfields & McCoys”.
    Jessica Lange levou o Emmy de melhor atriz coadjuvante em minissérie por “American Horror Story”.
    Julianne Moore ganhou o Emmy de melhor atriz de minissérie ou filme para a TV com o longa “Game Change”. Na produção, ela vive a candidata à vice-presidência dos EUA Sarah Palin. Além de ficar igualzinha à homenageada”, a atuação é bem boa. E “Game Change”, outra grande surpresa da noite, também levou o prêmio de diretor com Jay Roach e recebeu ainda o Emmy de melhor minissérie ou telefilme.

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Security Code: