IMENSO ATOR, GRANDE HOMEM

» Públicado por em out 8, 2012 | 70 comentários

 

Embora Tony Ramos não goste dessa definição é impossível não vê-lo como uma unanimidade. Aos 64 anos de idade e 43 de casamento com Lidiane Barbosa, ele é um profissional tão talentoso quanto ético. Além de pai orgulhosíssimo de Rodrigo, de 42 anos, e Andréa, de 40. Um avô que ama tirar fotos dos netos Henrique, de 12, e Gabriela, de 8. Nada a ver com um “capitalista selvagem’, como define o Otávio, seu personagem na nova versão de “Guerra dos Sexos”, atual novela das 19h da Rede Globo. Paranaense, criado em São Paulo, Tony é filósofo, antenado com tudo que o rodeia, muito bem humorado – imaginem que nem sabia o que era DR (discutir a relação)! Gosta de cozinhar, e deu até uma receita, com exclusividade para o AS Digital. Numa conversa de quase duas horas na casa dele, na Zona Sul do Rio, a palavra mais ouvida foi intolerância. Ele a detesta. Assim como a inveja, que “não existe” no seu dicionário. Nessa entrevista Tony abre seu coração, desabafa e diz coisas que muita gente precisa ouvir. Ou melhor, ler. Portanto, prestem a maior atenção, pois quem vos fala é um imenso ator e um grande homem.

texto: Simone Magalhães

fotos: Fco. Patrício

_____________________

Vamos começar?

Se você não se incomoda, preferia conversar um pouco antes. Como é que é isso de Portal do Aguinaldo? Ele tem um escritório? Quem faz é uma empresa? Não pense que sou uma zebra em internet. Lido muito pouco com a parafernália moderna que hoje em dia me oferecem. Comprei uma (máquina) Canon D5, em São Paulo. Foi uma oportunidade. Estava com um amigo de infância, ele me disse que era ótima. Adoro fotografar rostos. Às vezes, fotografo meus netos, e a Lidiane, que diz: ‘Para com essa mania’. Estou aprendendo ainda. Não vou todo dia à internet, talvez seja um defeito. Não sou dependente disso. Não tenho twitter, facebook. Aliás, não tenho hábitos, nem hobbies.

Mas isso é bom para evitar fofocas, fakes que respondem como se fossem você…

Nos EUA existe uma divisão do FBI pra isso, que prevê claramente o que é ilegal e o que é permitido por ser público. Robert Redford sofria há anos o assédio de uma fã; junto com os advogados, o FBI e a esposa dele, marcaram um encontro com a mulher num motel, onde ela foi presa. Pegou quatro anos de cadeia.

Como você lida com o assédio?

A gente tem saber conviver. Estou casado com minha companheira há 43 anos, é uma vida de afeto, de respeito, não precisa se auto afirmar em nada. Obviamente, tanto da parte dela quanto da minha, tem que ter humor. A vida é de trabalho, de sonhos, de decepções, de estourar champanhes e muito mais. Quando me pedem para fazer palestras a jovens atores, sempre falo: ‘Vocês não devem se esquecer do mandamento básico da nossa profissão: O fracasso é primo-irmão do sucesso. Filosoficamente falando, não quer dizer nada, mas quer dizer tudo. Não se iludam jamais com o sucesso, porém saboreá-lo é um dever de vocês. Saber ganhar é mais importante do que saber perder. Mas, no fracasso, não se pode esmorecer. É no fracasso que vocês ganham’.

Já teve algum fracasso e pensou em deixar a profissão?

Nunca, jamais pensei nisso. Entrei para essa carreira porque tinha um ideal de vida, que era representar. Nos meus silêncios de adolescência tinha verdadeiras alegrias com o cinema americano, francês, italiano, e, basicamente, com o Oscarito.

Você adora o Oscarito, a comédia, mas sempre tende a fazer dramas.

A vida fez isso. Também não sofro por causa disso.

Você tende a humanizar os personagens mais difíceis, mais dramáticos?

Não acredito que nenhum ser humano seja absolutamente aquilo que está escrito no papel;  eu lhe ofereço um perfil, e a partir daí você define: ‘Ele é isso.’ Acho que todo ser humano tem o que você chamou agora de humanização. O que é humanização num perverso? Não sei por que não sou perverso, não convivo com perversos. Mas sei que, dentro da perversidade, tem a reflexão, a menos que estejamos falando de psicopatas, esquizofrênicos, que entram num outro terreno da psiquiatria. Mas se falarmos de seres humanos  – aspas enormes –  normais, estaremos falando de pessoas que seguem certas normatizações de uma sociedade organizada. Por mais caótica que, às vezes, a sociedade possa parecer. Mas há normas a serem seguidas. Falar palavrão, por exemplo, em televisão não tem problema nenhum, desde que o personagem exija. Agora, se eu estiver no meio de um programa muito popular não posso querer agradar só meia dúzia, e mostrar como eu sou autêntico. Autêntico é verdadeiramente respeitar as diferentes opiniões das pessoas que estão assistindo. Se eu quero ser um autêntico e agredir pessoas que não estariam preparadas para ouvir aquele meu palavreado mais forte, mais contundente, tenho que tomar certas tendências com essa relação com o veículo. A função social do artista é muito importante.

 O que você acha dos merchandisings sociais nas novelas?

Esse merchandising social se vem espontaneamente, se você percebe do autor uma intenção clara, e ela aparece no texto de forma harmônica com aquela situação, não vejo problema nenhum. Tudo aquilo que, homeopaticamente ou não, você possa discutir, polemizando ou não com a sociedade é benéfico pra ela.

Televisão é entretenimento?

Televisão, basicamente, pra mim, é um eletrodoméstico de entretenimento. Mas basicamente, também, tem o compromisso social de entender as diferentes cabeças que a assistem. Isso não é se policiar, não é se autocensurar. É ter bom senso de até onde devo, até onde posso ir. ‘Que horas estou entrando no ar? Ah, são onze da noite, então posso falar isso’. E cabe a papai e mamãe não permitir que o filhinho que não tem idade para receber aquela mensagem a assista. Criei meus filhos trabalhando nessa profissão, com a mesma dignidade que qualquer pai de família anônimo em outras profissões.Não suporto quando dizem pra mim: “Ah, lá (na TV) pode tudo. Artista casa e descasa’. Mas há muitos médicos que casam e descasam, advogados que casam e descasam, mas você não sabe porque são anônimos.

Ser unanimidade como um homem beirando o perfeito é ruim?

Claro que é.

Eu não acho que toda unanimidade seja burra.

Nesse terreno de ser uma boa pessoa é dever de cada um de nós. Tenho vontades, desejos, sonhos, ambições absolutamente sadias. Só que minhas ambições jamais atropelarão alguém, a ética, a estética. Jamais atropelarão o que mais prezo na minha vida: discrição, afeto e respeito ao próximo. Pequenos mandamentos do cotidiano, dos quais não abro mão. Quer que eu diga palavrões? Eu sei pelo menos 1780. Publicáveis, 780. Sou um cara normal, com ou sem aspas, que adora futebol, sua casa, bons livros, bons vinhos, receber seus amigos… Não sou notívago na rua, mas sou dentro de casa. Tenho humor afiado, ironia não ofensiva e acho que nada nessa vida é pra ser levado a sério. A não ser fazer com seriedade aquilo que é nosso dever. Amo fazer novela.

Mesmo que o personagem seja o mais descabido você o faz com veracidade.

Quando diziam pra mim: ‘Esse Totó (de “Passione”) é um bocó. Será que não vê que essa lourinha aí não quer nada com ele?’. Eu respondia: ‘não vê, meu amigo. Uma paixão cega como essa, de um homem de 60 anos, que é tocado por uma moça de 28? Ele enlouquece’. Totó limitava-se a ir à casa de tolerância uma vez por semana. Muito discreto, seletivo, quieto. Surge aquela mocinha, aliás lindamente interpretada pela Mariana Ximenes, ele acredita. Não era um bocó. Se você, ator, acredita que ele é um bocó, você critica o personagem, e ele passa a não existir para o espectador.

 

IDENTIFICAÇÃO E ÓDIO

Por que as pessoas até hoje torcem e têm ódio quando assistem às novelas?

Isso é que é fascinante na dramaturgia, nessa cumplicidade da telenovela brasileira com o povo. Hoje acho que a telenovela ocupa o lugar que as boas chanchadas das grandes épocas da Atlântida já tiveram. Nas décadas de 1960, 1970, quantos diziam: ‘Novela é o ópio do povo’, e que eram ‘muito água com açúcar’? Já agora, nos anos 2000, sentem saudades das novelas “que eram tão docinhas”. As pessoas quando veem a realidade a seu lado e conseguem observá-la retratada ali, na tela da televisão, aquilo as inquieta. E é por isso que fazemos uma grande novela no Brasil: porque nós inquietamos esse público, propomos a discussão a ele. As pessoas quando falam do personagem como se acreditassem na existência dele, segundos depois dizem: ‘Que belo trabalho! Que atriz maravilhosa! Fulano, apesar de ser malvado, é um belo ator!’. Não subestime o seu público: ele sabe mais do que você. Ele sabe que está vendo uma ficção. Dependendo de uma série de fatores, ele pode se deixar transportar por aquela fantasia toda, se incomodar, se impacientar até cair na real: basta a novela acabar.

O que você acha desse direcionamento das novelas para o que acreditam ser uma nova classe C?

Acho isso, absolutamente, uma falácia criada a partir do acesso a bens materiais dessa mesma Classe C. Estão confundindo o acesso que se tornou possível neste país, com o crédito, poder comprar certos bens, com um novo público que assiste à televisão. Esse mesmo público, fosse no vizinho ou num único aparelho de TV em preto e branco na sua sala, já via novelas que também eram para a classe C.

Cito uma que fiz na Tupi, em 1968, “Antônio Maria”, na qual o Sérgio Cardoso fazia um motorista apaixonado pela filha de uma família aristocrática. Tinham ali todas as classes. Ai daquele que fica focando só a classe C!

Quando fiz “Livre para Voar” (1984), quantos e quantos garotos que vendiam chicletes nas ruas, perguntavam, quando eu parava o carro no sinal de trânsito: ‘E o Gibi, hein?! (Nota: Fernando Almeida interpretava Gibi, um menino fugido de orfanato). O que vai acontecer com ele?’. Aquilo me tocava profundamente. Aquelas crianças se vendo retratadas ali. O foco fundamental na teledramaturgia é uma boa história. O que quero contar? O que escrever? Não é a quem quero atingir! Quero atingir o ser humano. Quero discutir intolerância humana, religiosa, sexual, política, o capitalismo selvagem, o bom patrão, o mau patrão. O que mudou nesse prisma foram as condições sócio-econômicas diversificadas, a partir desse momento de nova economia no país.

Você tem prazer em fazer novela, não?

Muito! É cansativo, claro que é. É difícil, claro que é. É uma estiva diária. Mas eu não levo o personagem pra casa. Assim que termino de gravar, entro no meu carro, ligo a (rádio) CBN, e ficou ouvindo as notícias. Quando me perguntam: ‘Você fez algum laboratório para esse personagem?’. Eu não sou engenheiro químico! Não faço laboratório. Quando há uma necessidade técnica, como aprender a manobrar trator, em “Passione”  (2010), fiz um cursinho com o Rocco, tratorista, lá na Itália. Fiquei lá gravando durante 45 dias, com ele e três tratores diferentes. Não quero mergulhar no universo imaginário que o autor cria com tamanho sacríficio. Quero apenas, a partir do zero, conversar com ele, me cercar das informações, trocar ideias, com o diretor também, e, a partir daí, começar a criar o que é o meu imaginário. Quando troco com o autor não é determinando nada, e sim perguntando. Como numa comédia que adorei fazer,” As Filhas da Mãe” (2001), na qual era o Manolo, um cubano, dono de bingo.

Você já foi italiano, grego, indiano, cubano. Mas sua ascendência é portuguesa, não?

Ramos é sobrenome de solteira da minha mãe. Meu bisavô materno veio de Guimarães, em Portugal, e outra bisavó veio da Espanha. E em São Paulo tem aquela musicalidade italiana muito forte. Há umas corruptelas também, como o chamado caipira do interior, que usei muito no Boanerges, de “Cabocla” (2004).

Muita gente ainda debocha do sotaque caipira…

Mas as pessoas debocham por intolerância. Você gozar à larga o sotaque de outros Estados – que no Rio dizem “sutaque”, com “u” – é intolerância. Eu fiz, durante três anos, com o Paulo José, um especial para a TV RBS, chamado Rio Grande do Sul, Um Século de História, e Santa Catarina, Cem Anos de História. De quinze em quinze dias ia lá e deixava 20 programetes gravados. Às vezes, me via falando: ‘Bah, não me digas isso!’. O ator atento a tudo à sua volta observa, sente, percebe os detalhes. O ator tem esse dever de vida.

Você acredita que ainda existam muitos homens como seu personagem?

Há Otávios em qualquer setor da economia, em qualquer setor da vida, em muitos lares, quantos maridos se veem machucados quando estão desempregados e com a esposa trabalhando – essa situação, que é dura para o homem, pode gerar intolerância -, quantos capitalistas selvagens se referem às mulheres: ‘Ah, ela deve estar com TPM. Por isso que não dá para comandar!’. Li uma coisa que pra mim é louca: ainda hoje está ocorrendo na Europa, de a mulher, apesar de tudo, ganhar menos do que o parceiro que está ao seu lado, no trabalho, que ela ainda sofre o assédio masculino, com piadas burras, palavras chulas.

 

MACHISMO E FEMINISMO

O machismo é atávico, é latino?

É de natureza cultural. Está em todo lugar. Eu vi no Leste europeu. Quando gravei na Índia (Caminho das Índias, 2009) percebi que as mulheres tinham comportamento, modos, não por imposição dos homens: elas aceitam por religião. Não podemos jamais dizer que o machismo acabou. Silvio (de Abreu) está mexendo muito na novela porque tem coisas, claro, que ficaram datadas. Tanto que, para atualizar a trama, ele passou de 200 para 167 capítulos, e fez várias modificações. A grande aposta entre Otávio e Charlô (Irene Ravache), que antes acontecia no capítulo 100, vai acontecer no 48.

Pois é. Seu personagem e o da Irene Ravache farão uma aposta para ver quem consegue maior lucro e fica dono de rede de lojas.

A aposta é por algo plausível, já que existe uma fortuna dividida ao meio, entre os dois. Se ela perder terá que se contentar com um pró-labore. Otávio quer provar que tem mais capacidade do que ela. Silvio me disse, quando me falou sobre o personagem: ‘Comece, como você sempre fala, do zero. Crie o seu Otávio’. Não estou fazendo o que o Paulo Autran fez, mas o sobrinho dele. Quando ele foi trabalhar com o tio, tinha 14 anos, e foi ensinado a não se deixar levar pelas mulheres, que poderiam seduzi-lo e fazê-lo perder a condição de líder. Mas mesmo assim existem fragilidades nesse Otávio que faço. Ele tem cismas, medos, hipocondria, quando ouve um barulho qualquer na casa, sai com uma garrucha, uma bazuca e chama a SWAT. Tem um jeito escuso nos negócios. Roberta (Glória Pires) está presa, por contrato, a vender as roupas de sua confecção só para as lojas Charlô´s, mas ele começa a sabotar as peças, fará com que, de cada cem, 60 saiam com defeito. E começará a rejeitar a compra. Glória fez lindamente a cena e eu tinha que não me envolver com aquela emoção. Roberta implora, pede perdão pelo que está acontecendo. E ele diz, simplesmente: ‘Quem perdoa é padre. Não um bom comerciante como eu’. Isso é doloroso! É de um capitalismo selvagem enlouquecedor. Quando a Charlô descobre, ele começa a querer fugir do país. Isso mostra que o todo poderoso, do alto do seu nariz empinado, poderá cair com um breve resfriado. Até rimou (risos)

E o feminismo? Achou que foi, realmente, um ganho para as mulheres, que hoje tem jornada dupla, tripla de trabalho?

Achei maravilhoso. Alguém tinha que fazer, apesar de Betty Friedman ser uma radical, obsessiva, era quase uma fundamentalista desesperadora, que  se tornava chata em alguns momentos, mas quando eu parava para pensar, via aquilo com muito bons olhos.

Você ajuda sua mulher, em casa?

Sempre dividi tarefas com a Lidiane. O café da manhã, por exemplo, sou eu quem faz. Só não troquei roupas de neném. Porque não tinha nenhuma habilidade, e ficava com medo de machucar a criança. Quando meus filhos eram pequenos, pegava as fraldas sujas, jogava fora, fazia tudo o que podia, mas tinha medo de sua fragilidade. Até hoje quando têm bebês em cena, peço às mães para me entregarem da maneira como devo fazer, para que dê tudo certo. Se tiver que tirar um bebê do berço, eu até transpiro!

Imagino como foi em Bebê a Bordo (risos)…

Nossa, foi uma loucura! Mas sempre ajudei no que pude. E nunca permiti que a companheira fosse tratada com: ‘Me dá o chinelo, aí’. Ah, levanta a bunda da cadeira e vai buscar.

 

LIDIANE ENTRA NA SALA

 

É verdade mesmo o que ele está dizendo? Sempre dividiu tarefas?

Lidiane – É verdade, mas não acho vantagem nenhuma o homem não fazer isso: acho que é dever. O homem americano limpa a piscina, corta a grama. O brasileiro é que não faz. O Tony, quando a gente viaja, já entra no banho com a cueca dele (para lavá-la). Aqui em casa não precisa isso, mas não vejo problema em fazer quando está viajando.

Mas e as jornadas de mulheres, que trabalham fora, em casa, cuidam dos filhos e ainda têm que estar lindas para os maridos, quando chegam do trabalho?

Só se esse marido for um beócio. Nenhuma mulher, tendo a sua vaidade, vai querer estar de qualquer jeito pra si mesma. Mulheres que trabalham 8 horas por dia, geralmente, têm alguém para cuidar dos filhos. Acho que a mulher é uma leoa. Você vê na savana africana: o leão dormindo ali, e aquela leoa indo para a caça, já é um exemplo que a natureza nos dá. É evidente que o homem não pode dar a luz, a mãe tem que carregar aquele lindo presente, que é uma criança, durante nove meses. Existem regras da natureza humana que não se pode mudar.

Profissionalmente a mulher brasileira ainda esbarra na dificuldade, muitas vezes, em chegar ao mesmo patamar do homem.

Se ela é muito competente, acontece. Uma mulher não chegou à Presidência da República no Brasil? Temos uma bela presidente da Petrobrás, Graça Foster, uma mulher de muita participação. Se vai ser uma boa comandante, não sei, porque ela acaba de entrar.

Para você, a vida familiar é mais importante do que todo o resto?

Li um livro do jornalista Ben Bradlee, do Washington Post, que dizia que seu prazer estava na pesca com os filhos, em olhar para eles e para sua companheira, e acrescentava: ‘O jornal continua presente na minha vida, a notícia voa à minha volta. Mas sei separar claramente essa rica vida familiar que tenho. Aliás, é ela que me alicerça no meu trabalho’. À frente da minha família nada, nem o meu trabalho. Isso é definitivo, não é hoje, que tenho 64 anos. É definitivo desde que vi minha mulher de barriga grande, esperando o primeiro filho. Eu disse a ela: ‘Meu Deus do céu, aqui começa, de fato, um novo momento’. Fico emocionado em me lembrar disso (olhos marejados). Não é brincadeira a vida, não é brincar de casinha. Eu tenho de  honrar esse pacto, não o registrado no cartório, mas o pacto humanista, que diz respeito aos poros. Quantas cenas de cama fiz, com minha mulher assistindo, atrás das câmeras, principalmente em filmes, me esperando para irmos jantar fora? Porém, o pacto é maior quando os olhos são maiores do que o próprio pacto. 

A Lidiane sempre apoiou muito você.

Sou muito comunicativo, brinco muito nos estúdios. Mas também sou discreto, reservado, adoro teatro, ópera, viajo sofregamente – de tanto que gosto – e adoro o lado de lá dos cartões postais. Não teria esse prazer dividido se não tivesse essa parceira. Poderia dividir com a mãe, com amigos. Mas queria dividir com algo que construí, que foi essa família. Me emocionava cada ida dela ao médico, quando ela estava grávida. Vida é um exercício cotidiano. Amor e afeto são matemática. É uma equação que dá certo. Nós temos que entender o processo, seja qual for sua opção de vida. Tem que haver respeito. Eu vou respeitar minha mulher quando ela está no silêncio dela. Lidiane lê muito. Tem uma poltrona, na qual ela passa muito tempo lendo. Mas nada como um beijo num cangote e perguntar como foi o dia. E pronto. Tudo isso passa por um exercício de vida, passa pelo meu trabalho. Sou grato ao meu trabalho, às novelas que fiz. Fico um pouco chateado quando muitos não assumem, e dizem: ‘Vou fazer o filme da minha vida’ ou ‘A peça da minha vida’, e, às vezes, necessariamente o filme é bom ou a peça é boa, pelo contrário. Posso citar vários solos primorosos – nas três novelas mais recentes, “Insensato Coração”, “Fina Estampa” e “Avenida Brasil” – que são verdadeiros tratados de humanismo, de companheirismo, comportamentais, sem falar na atuação. Cada um de nós vai encontrar na vida a sua parceria. Tem gente que vai tentar e achar na décima vez. Em qualquer relação se não houver respeito, afeto, discrição e principalmente ética, a relação vira um cocô.

Você tem um projeto de cinema, não?

Termino essa novela e vou fazer o filme Doutor Getúlio (Nota: Tony interpretará Getúlio Vargas), com direção do João Jardim, do final de maio até início de julho de 2013. Porque em 2014 faz 60 anos da morte do Getúlio Vargas. Vai exigir filmagens no Rio Grande do Sul e no Rio. Em agosto e setembro vou sumir pelo mundo, raspar minha cabeça – quer dizer, cortar bem baixinho – e viajar. Deixo as coisas acontecerem. Sempre. Não ligo para o autor, não encho o saco dele. Gosto de surpresas. O grande orgasmo de uma novela é ser uma obra aberta.

O que você acha dessa falta de percepção dos homens, em geral, para o universo feminino?

Homem, por natureza, é muito comodista naquilo que ele conhece. O inédito, o supreendente, na relação macho-fêmea, ele não valoriza. Posso não perceber se Lidiane trocou de batom, mas percebo o todo dela. Há uma sutileza no que estou te dizendo. Não me peça pra dizer se a escova foi feita para a esquerda ou direita (do cabelo), mas sei que tenho uma linda mulher na minha frente.

E como você entende o que ela quer?

Ah… Sinais, vida, presença, corpo, de costas, de lado, eu sei o que ela quer. Assim como ela sabe e me decifra, absoluta e totalmente. É difícil eu dizer não, sou um pouco lento ainda para dizer não, mas ela é objetiva: ‘Fique feliz com o não’. É uma aquariana objetiva.

Vocês já fizeram alguma DR?

É o quê? DR? O que é isso? Parece departamento de relações públicas, distribuição de rendas (risos).

É a discussão da relação, falar sobre o que está acontecendo, desabafar…

Tô fora! A vida é bonita, não inventa moda, nheco-nheco, isso é um pé no saco. Abre um bom vinho, a 12 graus, saído, decantado, respirado, com lâminas de salmão defumado, alguns blinis, um papo gostoso, uma boa música soando pela casa. Quando existe uma relação de afeto resolvida – cama, mesa e banho -, não precisa fazer esse treco aí. Não preciso de DR pra nada! Não tenho que discutir essa relação. ‘O que você tem hoje?’, ‘Estou meio melacólico’, ‘Por quê?’, ‘Não sei’. E pronto. Os anseios e angústias têm que ser divididos no dia. 

Um dia de cada vez, isso?

Isso. Tem que viver um dia após o outro, com alegria. Sem ser o bobo da corte ou o alegre de plantão, sou muito grato por dormir e acordar todos os dias. Não conheço no meu vocabulário a palavra inveja. Tem que ter muito peito pra falar o que estou te falando: desconheço inveja, não quero saber da vida de terceiros, quanto ganha, quem dá, quem come. Tenho que tocar o barco da minha vida. O que me fascina é o olho no olho, o respeito mútuo. Odeio soberba, preconceito, ironia burra, julgadores precipitados de qualquer comportamento humano. É evidente que minha vida é pautada por ética, por disciplina. Quanto mais disciplinado você for mais simples é a sua vida.

Como é seu dia?

Acordo sempre às 5h30. Durmo bem quatro horas e meia. Quando posso, adoro uma sesta, entre 15h e 16h30. Uau! Maravilhoso! Sou uma pessoa muito simples para conviver e para viver. Claro que gosto de lugares sofisticados, de comida sofisticada – sem muita espuma, por favor! (Nota: alusão a uma tendência atual da alta gastronomia). Mas quanto mais a comida vier do campo, melhor. Um leitão não pode ser mais do que um leitão bem temperado, ele não pode ser inventado. Quando vou a Portugal, por exemplo, andando a caminho de Braga e de Guimarães, como o leitão de Bairrada, com broa de milho e vinho branco gelado! Nossa! Você evoca poemas, evoca a vida, evoca comunhão. Viver é prazeroso. O importante é ter humor. Você não pode se levar a sério, se colocar em pedestais inatingíveis. Isso é mixo.

Além de ótimo gourmet, você cozinha também?

Não sou um grande cozinheiro, mas não sou nenhum burrinho na cozinha. Faço bons molhos, bons assados, boas pastas. Pego um filé de atum, deixo marinado no azeite extra-virgem, com sálvia e espremo uns três dentinhos de alho. Depois, umas gotas de aceto balsâmico, quando já estiver marinadinho, começo a preparar para fazer uma primeira cozida. Deixo refogar bem e esfriar. Cozinho um linguini, que leva de oito a 11 minutos para ficar al dente. Mas, com quatro minutos, reesquento o atum, corto uns cinco tomates(sem cascas, nem sementes), abro duas pimentas dedo de moça (tiro as sementes e as picoto), jogo um pouco de água e levo ao fogo. Vou girando até quase esgotar a água. Depois, espalho sobre o atum. Pego uma tigela grande e coloco, em camadas, o atum e o macarrão. Com calma, revolvo tudo e espalho folhas de rúcula por cima, para que elas fiquem al dente, com o calor da comida. Só sobra a tigela e um bom pão italiano para rodar (passar no molho), no final.

Nossa, quanto carboidrato…

É por isso que faço de 50 minutos a uma hora e meia de ginástica todo dia. Também não como pratos assim sempre… Mas não me venha com duas azeitonas e um pedaço de mussarela de búfala: tô fora! Não gosto, na hora da alimentação, de muito papo atravessado. Gosto de falar sobre o que estamos degustando, os sabores, ‘ah, eu soube de uma receita…’. Adoro a comida árabe. Você vai sorvendo aos poucos. Um almoço árabe pode durar três horas. Acompanhado de um bom chá.

 FAMÍLIA E RELIGIOSIDADE

Rodrigo e Andréa fizeram curso de teatro, mas não optaram pela carreira do pai. Aliás, numa das últimas vezes em que conversamos, Andréa estava terminando Comunicação. Agora, descubro que é advogada…

Minha filha é uma menina surpreendente. Andréa, quando terminou Comunicação, aproveitou alguns créditos e fez Direito. Hoje, ela trabalha com o marido, Silvio, também advogado. O Rodrigo é cirugião cardiovascular. Tomei um susto quando, aos 17 anos, ele me disse que tinha passado para Medicina. Ele comentava sobre o Vestibular, que estava vendo a melhor escolha, mas acabou me surpreendendo. Eles fizeram Tablado (curso de teatro) por decisões pessoais. Na época, a Tonia Carrero me disse: ‘Tonico, eles têm que seguir’. Respondi: ‘Eu não me meto nisso não, Tonia’.  Minha filha é uma comediante deslumbrante. Eu via na Andréa um talento muito grande, mais até que no Rodrigo. Mas os dois não tinham vocação. Fico feliz em vê-lo nessa caminhada  árdua, que é a medicina. Só peço a Deus que guie as mãos dele.

Seus netos são filhos do Rodrigo. A Andréa não se anima a dar-lhe um neto?

Ela e o marido dizem que vem por aí, qualquer hora. A gente nunca foi de cobrar isso, sabemos que ela tem projetos profissionais e suas próprias escolhas. Aliás, aí vai um conselho para os leitores: ‘Não cobrem de seus próximos ter filhos’. Minha filha não tem obrigações. Quem somos nós pra cobrar isso? E quando aquela pessoa inconveniente encontra um solteirão ou solteirona: ‘Não vai casar, não?’. Sempre existe alguém que diz: ‘Aí, tem!’, insinuando uma homossexualidade. Isso é mixo. Mais uma coisa mixa.

Por falar nisso, como ficam os homossexuais na guerra dos sexos? Mais próximos de quem? Por que acha que não vemos os assumidos exercendo profissões como médicos, engenheiros, entre outras?

O homossexual pode ser mais amigo do homem, da mulher, dos dois. Não podemos ficar segmentando. São pessoas que, felizmente, depois de muitos anos conseguiram se mostrar. Mas eles têm medos guardados. O grande problema é a intolerância. Quem é inseguro consigo mesmo começa a regular a vida de terceiros. Muitos evocam Deus, se dizem cristãos, muçulmanos, protestantes, umbandistas, mas são intolerantes com o próximo. Cuidem de suas famílias! As regras valem para todas as opções: sexuais, de vida, de religião.  ‘Ah, porque sou religioso’. ‘Vc é mesmo? De verdade? Então, cuide de sua vida’.

Você é religioso?

Sou muito religioso. Sou católico, e ecumênico no pensamento. Estudei em colégio adventista. Eu tinha 3 aninhos quando a figura do meu pai já não estava presente. Aos 6, meu tio me colocou num colégio adventista, em Campinas, até se resolver o desquite da minha mãe. Mas sempre fui à missa, fiz Primeira Comunhão, tudo. A minha religiosidade está dentro do que eu chamo de fé, algo tão pessoal, que se manifesta de maneiras tão diferentes, que guardo pra mim. É muito forte dentro de mim! Exemplos: quando vou à Fátima, quando fui a Assis, pela primeira vez… Assis é um lugar que tem três igrejas e que você pode vê-las, almoçar e ir embora – pois eu fiquei quatro dias chorando em estado de êxtase e mais não digo. O bonito é que minha companheira punha a mão na minha mão e dizia: “Calma, calma”. Foi um momento muito bonito para minha vida, que respondeu tantas coisas.

Você chegou a reencontrar seu pai?

Só fui ter contato com ele quando estava noivo da Lidiane. Minha mãe casou-se novamente quando eu tinha 14 anos. Ela foi feliz com meu padrasto, que eu chamava de pai. Uma brava mulher, e, o melhor de tudo, sempre contou com apoio da mãe dela e dos irmãos. A primeira pessoa a falar de sexo comigo foi minha avó. Aprendi a respeitar o sexo feminino vendo a luta daquelas duas lindas mulheres. Tem que olhar para a mulher como parceira, não como antagonista (emociona-se).

Você chora?

Claro! Não é um choro bobo, gratuito, de lamentação. Choro por emoção. O homem que não chora não é homem. Ser macho é uma coisa, ser machista é outra, perniciosa e perigosa. Macho eu sou, e muito homem pra dizer quanto amo a minha mulher.

Você tem uma visão de vida tão simples e poética, ao mesmo tempo…

Quando meus filhos se casaram, eu disse o mesmo para cada um: ‘Não faça sua vida a partir de um espelho da de seu pai e de sua mãe. Se não der certo, tente novamente. É a roda da vida’. Minha mãe casou-se três vezes. Depois que meu padrasto morreu, ela casou-se com um antigo namorado. Há 30 anos, ela me ligou perguntando quando eu iria a São Paulo; pensei logo em doença, né?. Mas ela queria saber se eu via problema em se unir ao namorado, que havia reencontrado. Veja só! Infelizmente não deu certo, ficaram juntos só por três anos. Mas ela está lá, aos 83, forte, saudável, bonita. E enfrentou toda aquela hipocrisia, toda aquela intolerância da sociedade, quando se desquitou. Por isso é que eu digo: ‘És religioso? És crente em alguma coisa? De verdade? Então, não sejas intolerante’. E ponto.

70 comentários

  1. Alguém pode me dizer o contato com Tony Ramos ou sua assessoria? meu email é renatoreviver@ig.com.br

  2. Um grande homem esse Tony Ramos,um menino grande que diz o que pensa,e ele pensa muita coisa boa e bonita,linda Lidiane companheira de vida e dos companheiros,um grande ator,porque toda grande pessoa,sempre é um grande profissional,amo ao Tony,a Lidiane Andrea e Rodrigo,os tenho como da minha família.Bela entrevista,Simone,você conseguiu extrair na sua entrevista o verdadeiro Tony,parabéns!

  3. Excelente entrevista, excelente ator. Estou triste pq agora vi q um péssimo trabalho leva todo o resto p o buraco. Falo isso por conta deste constrangimento chamado novela Guerra dos Sexos. Ninguém está bem na novela, horrível, até tento ver e me levanto, ruim além da medida…E o Tony não se livrou da péssima perfomance como todos os outros…uma pena!

  4. Parabéns, Simone, pela entrevista!

    Ele é um grande homem e um grande ator! E este comprometimento com a vida é muito bonito de se ler – ver!

    Mas foi uma ótima entrevista mesmo!

    Acredito que o Aguinaldo Silva Digital se consolida como um dos melhores canais para entrevistas – interessantíssimo!

    E as fotos estão ótimas! Expressões muito bem documentadas!

    ;]

  5. O Astro – o remake da novela de 1977 produzida pela TV Globo e que foi exibida em Portugal pela SIC este ano – as novelas portuguesas Rosa Fogo da SIC e Remédio santo da TVI e a a sul-coreana Iron Daugthers-in-Law (traduzível à letra por Noras de Ferro) estão nomeadas para os Emmy Internacionais deste ano na categoria de melhor telenovela.

  6. \"Nos meus silêncios de adolescência\"…
    Uma das coisas mais linda que já li.
    Nos meus silêncios de adolescêcia… Ah! Meu Deus que tempos bons aqueles, era feliz e não sabia.
    Realmente uma bela entrevista e o Senhor Tony Ramos uma lição de vida.
    Sem palavras mesmo!!!

  7. “Nos meus silêncios de adolescência”…
    Uma das coisas mais linda que já li.
    Nos meus silêncios de adolescêcia… Ah! Meu Deus que tempos bons aqueles, era feliz e não sabia.
    Realmente uma bela entrevista e o Senhor Tony Ramos uma lição de vida.
    Sem palavras mesmo!!!

  8. Bem, eu li por curiosidade! Eu quis saber o que abrangia esse tipo de matéria sobre o meio artístico e vim repassar para sabermos o que diz esse site.

    “Quanto ganham as estrelas da Globo?”

    http://br.tv.yahoo.com/fotos/quanto-ganham-as-estrelas-da-globo-slideshow/sal%C3%A1rios-photo-1349872918.html

    INTERVENÇÃO DO SOMBRA: MAS ELES GANHAM SÓ ESSA MERRECA? OS APRESENTADORES DE PROGRAMAS GANHAM MUITAS VEZES MAIS. E OS AUTORES DE NOVELA… BEM, SOU EU QUEM TIRA AS NOTAS FISCAIS DO SR. AGUINALDO SILVA E NÃO POSSO DIZER QUANTO ELE GANHA, PORÉM… CALA-TE BOCA.

  9. Olhem, fui abrir um email no Yahoo e deparei com a seguinte matéria: “Quanto ganham as estrelas da Globo?”, não sou de ficar lendo fofocas mas fui ler por curiosidade… huahauhauahauhua!

    Vou passar umas figurinhas

  10. Com Big ou sem Bic adorei a entrevista!

    Amei, adorei, fiquei aqui parece que conversando com ele nesse excelente trabalho da Simone Magalhães que com bloquinho na mão e caneta me deixou ainda mais antenada na leitura. Que maravilha!

    Beijos e abraços a todos!

  11. Olá, Bolivar! Tudo bem?
    Olha, só falta mesmo o Aguinaldo. O Tony Ramos fez Caminho das Índias, além de uma participação especial em O Clone, da Glória Perez. Em Anjo de Mim, ele era o escultor Floriano, que vivia atormentado por visões do passado e fez regressão. Lembrou-se agora, né? Bjs!

  12. Olá, Bolivar!! Tudo bem?? Olha, só falta mesmo o Aguinaldo. O Tony Ramos fez Caminho das Índias, além de uma participação especial em O Clone, da Glória Perez. Em Anjo de Mim, ele era o escultor Floriano, que vivia atormentado por visões do passado e fez regressão. Lembrou-se agora, né??rsrs Bjs!!!

  13. Olá, Bolivar!! Tudo bem?? Olha, só falta mesmo o Aguinaldo. O Tony Ramos fez Caminho das Índias, além de uma participação especial em O Clone, da Glória Perez. Em Anjo de Mim, ele era o escultor Floriano, que vivia atormentado por visões do passado e fez regressão. Lembrou-se agora, né?? Bjs!!!

  14. Que tal uma entrevista com o Boni ?

  15. Lindinho da jujuca,tô me preparando pra visitar o túmulo da Tia Dorô em Sacramento na California,mas vou seguir antenada no twitter e sempre pronta a tocar querosene e fogo no rabo dos recalcados de plantão tendeuuuu? Mexeu contigo a véia surta e se tiver que matar eu mato viuuuu? Bitocas da véia que te ama!

  16. Boa tarde, porta!

    Que entrevista maravilhosa! Parabéns, Simone!

    Sou até meio suspeito pra falar do Tony Ramos, pois sou fã de carteirinha! Poderia enumerar todos os trabalhos do Tony, que foram muitos, mas o quê marca neste grande ator brasileiro, que a gente tem que tem uma admiração e um respeito incondicional, é que a minha geração se criou assistindo o Tony Ramos na televisão. A geração que está atrás de mim também e a que veio depois da minha está crescendo assistindo o Tony Ramos. Um ator que já fez drama, comédia, já foi vilão (lembram em Torre de Babel?), nossa, a história de telenovela se funde a trajetória de Tony Ramos na televisão.

    O interessante é que o Tony já trabalhou com praticamente todos os autores, todos os diretores e todos os atores da televisão brasileira. Quero muito ver Tony Ramos e Aguinaldo Silva juntos, pois não lembro de nenhum trabalho dos dois juntos (gente, eu penso até nesses detalhes, rsrs). Até estava pensando alguns dias atrás, mas o Tony nunca fez nada com o Aguinaldo Silva, nem com a Glória Perez. pelo menos eu não me lembro.

    Entre os trabalhos do Tony destaco o Miguel de “Laços de Família”, o Cristiano de “Selva de Pedra”, o Totó de “Passione”. Tinha uma novela das seis, chamada “Anjo de Mim”, do Walter negrão, que o Tony protagonizou. Adorava a novela, mas não lembro mais do nome do personagem do Tony nessa novela, mas o personagem era paranormal.

    E o Tony Ramos no cinema? Simplesmente arrasou! Que ator fantástico e que sempre surpreende a gente!

    Não teve uma pessoa do meio artístico desse país que não tenha falado bem do Tony Ramos, é considerado um colega extraordinário. E que bom ver Tony Ramos interpretando um personagem que foi do paulo Autran, só um ator desse gabarito poderia fazê-lo.

    Bye bye.

  17. Prezado Senhor Aguinaldo Silva,

    O Ministério da Cultura promove, anualmente, a Ordem do Mérito Cultural, grande evento que premia personalidades e organizações que tenham tido contribuição significativa para a cultura brasileira. O prêmio é regulamentado pelo Decreto nº 1.711/1995 e está em sua 18ª edição. Em 2012, por indicação da Ministra da Cultura, Sra. Marta Suplicy, o nome do senhor foi lembrado para receber a medalha da Ordem.

    O evento ocorrerá no dia 5 de novembro, na cidade de Brasília/DF, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidenta Dilma Rousseff.

    Entramos em contato para que possamos tratar sobre as informações logísticas do evento (passagens aéreas, hospedagem) e, para tanto, precisamos de algumas informações adicionais. É possível nos contatar pelo telefone (61) 2024-2406 ou pelo e-mail omc2012@cultura.gov.br

    Solicitamos que a informação não seja, ainda, repassada à imprensa, uma vez que trata-se de um prêmio do governo federal, o qual se tornará público somente com a publicação de Decreto pela Presidência da República no Diário Oficial da União.

    Ficamos no aguardo de um contato.

    Atenciosamente,
    Thiago Andrade
    Ordem do Mérito Cultural
    Ministério da Cultura
    (61) 2024-2406

  18. Boa tarde!!

    Simone, parabéns pela entrevista. Além do grande ator que é, Tony Ramos é de um caráter exemplar.

    As declarações dele, são um tapa na cara de muita gente hipócrita.

    Só virei mais fã!

    Patrício, as fotos ficaram ótimas (como sempre) também!

    Saudações a todos!!
    😀

  19. Depois desta estupenda entrevista , vai ficar difícil elevar o nível. Por isso, estou aqui, fazendo um sacrifício , e colocando-me à disposição de Simone Magalhães e seu bloquinho.

    Beijos.

  20. Show de entrevista com o grande Tony Ramos.

    🙂 beijos

  21. Uma pessoa impressionante o Tony Ramos, não conheço uma pessoa que não goste, talvez por ser excelente ator mas penso que principalmente por ser esse ser humano raro.

  22. Acho até que é possível vê-lo atuando, querido Aguinaldo, na ultima foto, (pelo menos parece que é ele que está olhando meio de soslaio para o Tony ) e claro, eu desconfiava da sua existência. Mas ele é digamos.. como os mordomos de Agatha Cristie, – quase não aparace, e é um personagem auxiliar. ‘Gravadorzinho’ é providencial, concordo. Mas ‘bloquinho’, ‘caneta’ e como você bem apontou ‘memória prodigiosa’ (eu acrescentaria ‘talento’ e até ‘sensibilidade’ ) são os grandes, digamos.. personagens que habitam a história dessa bonita jornalista. Bj pra vcs dois.

  23. Aguinaldo Ferreira da Silva, obrigado viu! Seu portal tá ARRETADO!! Pena que você viva tão ocupado e apareça pouco por aqui.

  24. Emocionante!
    Sempre achei Tony Ramos, um daqueles atores que dão conta de qualquer papel. Sem dúvida alguma, um dos grandes pilares da dramaturgia brasileira. Até já li algo a respeito de sua generosidade com os colegas de trabalho, mas nunca, sobre o completo ser humano que é.
    De uma inteligência e simplicidade emocionantes, ele mostra que sua Figura – digo pessoa, é tão grandiosa e sublime quanto o artista que o Brasil ama, respeita e admira. Parabéns Simone e Patrício!!

  25. Caríssimos, obrigada!! Muito bom saber que, além de informar, podemos atingir cada pessoa de uma forma, com trechos diferentes do texto. Sinal de que foi abrangente, que permitiu várias visões e avaliações. Esse é um dos melhores retornos na nossa profissão. Bjs!!
    PS. Aproveito para repassar a opinião de Jeanette Alarcon, da Nicarágua, que não conseguiu postar, e me pediu ajuda pelo facebook.
    “Me encanta Tony Ramos. Actor perfecto que se enorgullece de su hermosa familia y parece ser parte de la nuestra. Me encantó la entrevista, tan sensible. ¡gracias”

  26. Maravilhosa esta entrevista com o grande Tony Ramos.
    Todas as pessoas do meio artístico ( e público em geral) deveriam de ler com muita atenção esta matéria pois exemplos de humildade, talento, ética e educação fazem toda a diferença entre o selvagem e o homem civilizado.
    Felicitações para os profissionais envolvidos em especial ao Autor Aguinaldo.

  27. Virgílio, eu também fiquei indignado com esse ministro Toffoli……….Pra vc ver, de um lado brasileiros que só nos envergonham; o outro, figuras como o Tony Ramos, que nos enchem de orgulho!

  28. Simone, que delícia de entrevista. O caráter e dignidade do Tony não é surpresa pra ninguém, mas a cada oportunidade que temos de conhecê-lo um pouco mais de perto, vemos a admiração que temos por esse ser humano maravilhoso aumentar não sei quantas vezes.

    O mundo está precisando de mais Tonys Ramos.

    Sabe, Simone, eu noto que suas entrevistas são muito descontraídas. Você deixa seus entrevistados tão à vontade, que parece que eles estão conversando com uma amiga, em vez de uma profissional. Isso se reflete também nas fotos do Patrício, porque ficam mais descontraídas, naturais. Não fica aquela coisa artificial, como quem tá “olhando para o passarinho”, entende? …rssss

  29. Tony Ramos e um grande ator, e um homem admiravel, mais esta horrivel com esse bigode.

  30. Ela prefere uma caneta e bloquinho de anotações. Refiro-me a Simone Magalhães que já deu mostras que não quer saber de tecnologia de “ponta”.
    Pois é, não vou falar de Tony, nem do conteúdo da matéria. Quero falar do jeito estiloso de Simone Magalhães entrevistar com o seu bloquinho.
    Desconfio que o bloquinho de anotações está para Simone Magalhães assim como o estetoscópio está para o médico, o cassetete está para o policial, a bolsinha está para a puta e o gel para os cabelos do advogado. Jornalista que é jornalista tem um bloquinho tosco, de preferência aqueles com espiral, como o dela, e uma canetinha básica, por mais que a tecnologia avance, com seus palmtops e celulares de última geração. A sensação que tenho ao acompanhar as fotos dela em várias entrevistas neste portal, é que ela trata com carinho o seu bloquinho, como o jogador de futebol que beija a bola antes de bater o pênalti, não deixa o coitado tomar chuva, cair na lama, ser lambuzado por gordura de comida e naturalmente como fazem muitos jornalistas, não carrega o bloquinho no bolso de trás da calça para não oprími-lo com a bunda, o que faria o bloquinho perder todo seu charme. (não sei o que seria pior: isso ou a velha pochete na cintura, rs)
    A caneta ( tipo bic), companheira do bloquinho nas reportagens de Simone Magalhães, nunca despertou em mim confiança. Acho que tem cara de quem, quando quer, adora sacanear a jornalista. Do tipo falhar no momento em que ela precise anotar uma declaração bombástica de alguém? Eu no lugar dela, pelos excelentes serviços prestados, já teria pedido uma de presente ao Aguinaldo. De preferência uma trazida de Portugal.
    Rs rs rs. Tudo dito aqui é só uma brincadeira, para manifestar o meu contentamento, por entrevistas tão legais e peculiares. Entrei no portal e não quis encher linguiça com repetições do tipo,”parabéns”, “Tony é ótimo”, “Tony é um exemplo”, “entrevista maravilhosa”. Obrigado pelo presente.

    Aguinaldo Silva
    Lula Portugal quereeeeedo, além do bloquinho e da caneta BIC,e da memória prodigiosa, a Simone Magalhães também usa um providencial gravadozrzinho, que nunca aparece nas fotos…

  31. O Tony Ramos é exemplo de homem bonito e comcaráter:sim, ele é apaixonado pela esposa e a respeita muito…acho lindo essa postura dele. sim, ele é muito macho, mas também é muito mais homem.
    macho pode até provar que é macho pegando muita mulher, mas não consegue provar que é homem, não é?
    um abraço.

  32. Tony Ramos arrasou!
    Gosto muito do trabalho desse grande ator.

  33. A entrevista é para lá de opoprtuna – Toni Ramos é um dos maiores atores do país e tem como grande característica a composição perfeita de seus personagens.
    Tony Ramos já foi surdo- mudo, patriarca indiano, assassino, coronel, vilão, grego, gêmeos…
    Somado a estas qualidades artísticas é, ainda, uma pessoa de caráter extraordinário.
    Parabéns pela entrevista!

  34. Tony Ramos colhe os louros por suas ótimas atuações na televisão, no cinema e na vida pessoal;
    Um exemplo para todos!

  35. Olá, Aguinaldo, Moderador e todos!

    Mais uma linda e emocionante entrevista.Tão bom quando a gente vê pessoas que falam do quanto é bom ser bom, do quanto é nossa obrigação ser bom e respeitar ao próximo. Porque é isso mesmo, deveríamos lembrar disso todos os dias ao acordar, nem sempre lembramos, por vezes falhamos, e ele nos dá um belo ensinamento nessa entrevista. No trato com todos, inclusive com sua esposa e família, amei. Lembrar de perguntar a esposa como foi seu dia, é muito lindo, mulherada e simpatizantes: bora botar os bofes pra lerem essa entrevista! (risos)

    Ele é um imenso ator por tb ser um grande homem. Não é assim? Não dizem (e eu concordo) que um bom profissional (qualquer profissional) se vê pelo todo? Não basta ser mega talentoso, competente, tem tb que saber se relacionar com as pessoas. E ele é tido como Exemplo de comportamento na gentileza com todas as pessoas. Sinto muita alegria, porque, pra mim, não há nada mais contraditório com a profissão do ator do que o estrelismo (a soberba que ele cita), e ver um dos maiores atores desse país dar esse exemplo de respeito ao próximo, ao ser humano, que é o seu maior material de trabalho, só pode mesmo emocionar. Como retratar o ser humano sem respeitá-lo? Como interpretar um homem humilde sem olhar pra ele, sem respeitá-lo? Aonde a soberba e a sensibilidade (já que atores retratam sentimentos) se encontram? Não se encontram, porque são sentimentos antagônicos. E é por isso que ele é TONY RAMOS, um dos nossos maiores atores (que sabe traduzir a alma das personas). Sou muito fã dele, sem dúvida, está entre os meus preferidos, aliás, do país todo. A primeira novela que me lembro de ter assistido na vida foi PAI HERÓI (eu era bem criança,risos. Minha mãe me botava pra correr da sala quando as cenas eram mais fortes, risos) em que ele era o protagonista e o adoro sempre, mas destaco BEBÊ A BORDO, onde sua versatilidade me deixou encantada.

    É isso, queridos. Parabéns Aguinaldo, Simone, Patrício, Tony Ramos, Lidiane e um todo especial pra mãe dele. Emocionada (desde ontem) e grata por ler essa entrevista.

    Beijos.

  36. Faltou dar os parabéns ao Aguinaldo Silva, de quem sou fã, pela oportunidade de criar a melhor entrevista já feita com o Tony.
    Parabéns também para a belíssima (em todos as configurações do termo) repórter e para o fotógrafo que captou com apurada sensibilidade toda a figura humana do Tony Ramos em imagens de rara beleza.

  37. Tony Ramos é incrível!
    Os melhores momentos da novela Caminho das Indias eram com ele, interpretando Opash.
    Chegou a me fazer chorar, principalmente no ultimo capítulo desta novela.
    Ele passa uma emoção inexplicável em suas atuações.
    Nao tenho palavras pra descrever como ele é maravilhoso.

  38. Parabéns para o Tony Ramos! Adorei!

  39. Ele é o máximo!
    Sou fã dele…
    nao tenho palavras para descreve-lo.
    ele é simplesmente d+!

  40. Concerteza merece ser aplaudido de pé,para mim ele arrasou em Cabocla ao ado de Patrícia Pillar como Coronel Boanerges,eu adorava ao mesmo tempo que eu ria desse persongem eu tb me emocionava.
    Com relação aos Filmes Se eu fosse você 1 e 2,ele arrasou tb ao lado da Glória Pires eu ri muito, qualquer personagem que tony faz ele arrasa.

  41. Alguém tinha alguma dúvida?

    Dias Toffoli absolve Dirceu e condena Genoino e Delúbio por corrupção

    http://g1.globo.com/politica/mensalao/noticia/2012/10/dias-toffoli-absolve-dirceu-e-condena-genoino-e-delubio-por-corrupcao.html

  42. COISA DE NOVELA

    “Traído” pelo eleitor, candidato corno fica longe de vaga na Câmara de Porto Velho

    http://eleicoes.uol.com.br/2012/noticias/2012/10/09/candidato-corno-fica-longe-de-vaga-na-camara-de-porto-velho.htm

  43. Aguinaldo,

    Com todo o respeito ao Tony Ramos que é sim um grande ator e grande homem,sem dúvida.

    Mas eu também acho o seguinte:

    – Você é que é um IMENSO autor e um GRANDE homem!

    Tenho muito orgulho de ser amigo!

    Um beijo!

  44. ” Não é brincadeira a vida, não é brincar de casinha. Eu tenho de honrar esse pacto, não o registrado no cartório, mas o pacto humanista, que diz respeito aos poros. ”

    by Tony Ramos

    Gostei dessa.

    Isso não é fácil não… Mas acho que se aplica fundamentalmente quando se cria uma instituição que gera crianças (filhos).

    Esse pacto humanista é válido e essencial para ”instituição”.

    Pelo menos por um belo tempo:

    – o tempo necessário para que feridas não se formem na alma dos pequenos(filhos).

    Na sociedade ocidental cristã está cada vez mais difícil de ver o tal pacto preconizado pelo Tony Ramos.

    Gostei dessa.Repito que acho válido apenas na questão ‘institucional’.

  45. Sugestão ao \’Admin\’ :

    – disponibilizar ferramentas para compartilhar os textos postados via email e twitter ( meu caso),facebook,etcs.

  46. Sugestão ao ‘Admin’ :

    – disponibilizar ferramentas para compartilhar os textos postados via email e twitter ( meu caso),facebook,etcs.

  47. Parabéns mesmo! …

    Excelente!

    Salve Simone!

    Salve Patrício!

    Simone,desculpa a indiscrição,mas vc provavelmente já teve (tem) uma experiência psicanalítica (psicoterapêutica) ?

    Olha,vc fez o homem abrir a alma.Isso não é fácil não.

    Parabéns de novo!

  48. (risos)

    (primeira pausa na leitura para comentar)

    Simone,

    Incrível sua intervenção certa no momento certo: ” Você chegou a reencontrar seu pai? ”

    Parabéns!

  49. Simone
    Parabéns! Que excelente entrevista.Tony é um profissional que tem sempre o que nos dizer.Um mestre em todos os sentidos.
    Francisco

  50. Excelente ator e grande figura humana! A leitura desta entrevista deveria ser obrigatória. Parabéns a Tony Ramos por seu talento e delicadeza de alma. Tenho assistido a reprise de Felicidade no canal Viva, todos os dias às 03:30 da tarde. Que novela boa, dos tempos em que se sabia escrever novelas. E parabéns ao site por estas entrevistas tão enriquecedoras.

  51. Aguinaldo,
    Como é bom ler uma entrevista e poder refletir através de seu conteúdo, ensinamentos que faria de todo ser humano, uma pessoa melhor.
    Parabéns Tony Ramos! Obrigada ao Blog, pelo nível de seus entrevistados. bjs

  52. Se tem um espaço na internet que honra o melhor jornalismo é este do Aguinalodo Silva Digital, que sempre nos deixa ansiosos por novas postagens. Numa época em que o jornaolismo especializou-se em derrubar os entrevistados, é bom ver um espaço que os dixa falar e se revelar de um modo inteiramnte novo, como fez Tony Ramos nessa entrevista. Parabéns!

  53. Tony Ramos é um homem que apaixona todos, desde os mais graúdos aos mais novos.
    Eu tenho 22 anos, sou fã do Tony Ramos desde os meus 5 anos… Tanto que criei uma página no facebook…
    O Tony Ramos, tanto como ator como ser humano, bem… não há palavras, para mim é o melhor do mundo!!! Ele é expressão pura, nem precisa de abrir a boca para falar, tudo nele por si só já fala, os olhos falam, os gestos falam, o corpo fala, ele é ator 100000%… É incrível a tamanha expressividade, humildade, simplicidade, generosidade e bondade que este ser humano espelha, seja a nível profissional como pessoal… Amigo, companheiro, ótimo pai e marido…
    Tony Ramos é um ator que me faz chorar de tristeza, rir de alegria, seus personagens traduzem um misto de sentimentos incríveis… Quando o Tony Ramos chora eu choro, quando ele ri eu rio…
    Poderia ficar aqui a noite toda a contemplar o ser humano que o Tony Ramos é, mas o que dizer? As palavras faltam… são tantas qualidades… enfim … Só quero mesmo deixar aqui os meus parabéns pela pessoa que o Tony Ramos é, desejar-lhe muita representação, saúde, paz e amor no coração! Sucessos sempre, reconhecimento sempre! Que tenha muito dias felizes e que viva pelo menos mais 64 anos!!!
    TONY RAMOS NUNCA DEVIA MORRER!!!
    Beijos Grandes!
    Ps: Parabéns à entrevistadora, Simone Magalhães, pelo excelente trabalho e empenho!!!
    Obrigado!
    Míriam Pessoa- Portugal

  54. Não é à toa que Tony Ramos é ídolo!!!

    Palavras do ator, nas quais muita gente podia se inspirar: “Não conheço no meu vocabulário a palavra inveja. Tem que ter muito peito pra falar o que estou te falando: desconheço inveja, não quero saber da vida de terceiros, quanto ganha, quem dá, quem come. Tenho que tocar o barco da minha vida. O que me fascina é o olho no olho, o respeito mútuo. Odeio soberba, preconceito, ironia burra, julgadores precipitados de qualquer comportamento humano. É evidente que minha vida é pautada por ética, por disciplina. Quanto mais disciplinado você for mais simples é a sua vida”.

    Parabéns a Simone, Patricio e Aguinaldo pela entrevista!

  55. Tony Ramos é um homem que apaixona todos, desde os mais graúdos aos mais novos.
    Eu tenho 22 anos, sou fã do Tony Ramos desde os meus 5 anos… Tanto que criei uma página no facebook…
    O Tony Ramos, tanto como ator como ser humano, bem… não há palavras, para mim é o melhor do mundo!!! Ele é expressão pura, nem precisa de abrir a boca para falar, tudo nele por si só já fala, os olhos falam, os gestos falam, o corpo fala, ele é ator 100000%… É incrível a tamanha expressividade, humildade, simplicidade, generosidade e bondade que este ser humano espelha, seja a nível profissional como pessoal… Amigo, companheiro, ótimo pai e marido…
    Tony Ramos é um ator que me faz chorar de tristeza, rir de alegria, seus personagens traduzem um misto de sentimentos incríveis… Quando o Tony Ramos chora eu choro, quando ele ri eu rio…
    Poderia ficar aqui a noite toda a contemplar o ser humano que o Tony Ramos é, mas o que dizer? As palavras faltam… são tantas qualidades… enfim … Só quero mesmo deixar aqui os meus parabéns pela pessoa que o Tony Ramos é, desejar-lhe muita representação, saúde, paz e amor no coração! Sucessos sempre, reconhecimento sempre! Que tenha muito dias felizes e que viva pelo menos mais 64 anos!!!
    TONY RAMOS NUNCA DEVIA MORRER!!!
    Beijos Grandes!
    Ps: Parabéns à entrevistadora, Simone Magalhães, pelo excelente trabalho e empenho!!!
    Obrigado!
    Míriam Pessoa

  56. simone,você é fera parabnés pela entrevista, tony ramos e de e admirar, nao só como ator mais como pessoa. bjs

  57. Só agradecimentos por proporcionar tamanho ensinamento do que é a vida. Obrigado Tony, Simone e Aguinaldo.

  58. Algumas entrevistas que leio, geralmente, me dão vontade de reler depois de um tempo, principalmente para pegar eventuais detalhes que numa primeira leitura passaram despercebidos, mas no caso dessa com o Tony, a sensação foi diferente.
    Não tive vontade de reler porque ele é um ator tão grandioso e ao mesmo tempo tão simples, que parece que estou vendo-o conversar com a Simone. A entrevista fluiu naturalmente e de uma forma encantadora, sem espaço para dúvidas.
    Sou fã desse ator há muitos anos, mas também valorizo muito a sua figura como homem público que nunca deixou isso invadir sua vida pessoal. É um dos raros atores que nunca vimos a “imprensa marrom” fazer uma notinha maldosa porque ele nunca deu brechas para que isso acontecesse.
    Nos últimos dias vi críticas negativas sobre “Guerra dos Sexos” e concordo com algumas delas. Não é que o Tony esteja fazendo mal a personagem porque o seu talento e carisma são inegáveis, mas é que os personagens do Otávio e da Charlô são intocáveis. Então para quem viu a primeira versão fica difícil aceitar o remake por mais que o elenco seja estelar. Não é questão de capacidade, mas sim, da história não encaixar nesse momento.
    Fica difícil citar personagens do Tony que eu não tenha gostado, mas se for para citar seriam apenas dois e que depois fui me acostumando: o Tonico de “Bebê a Bordo” e o Edu, de “Rainha da Sucata”. Por outro lado, fica impossível falar qual que gostei mais porque cada um tinha uma particularidade especial. Só para relembrar de alguns memoráveis: o Genésio (de Avenida Brasil), mesmo com uma participação pequena foi emocionante e decisiva para a novela; o Totó, de “Passione”; o Opash, de “Caminho das Índias”;o Clementino, de “Torre de Babel”; o Pardal, de “Livre para Voar”, dentre outros. Até mesmo na apresentação do Você Decide ele dava show.
    Acho difícil não se render ao talento dele. Tony, assim como Glória Pires, Fernanda Montenegro, Laura Cardoso, Regina Duarte e Lima Duarte são alguns dos nossos atores que deveriam ganhar estátuas no PROJAC e no Ministério da Cultura pelos trabalhos realizados em prol da dramaturgia brasileira.
    Linda entrevista! Belo trabalho!!

  59. Eu quero ir jantar a casa de Tony !!
    Será que ele me convida para provar aqueles opíparos pratos cozinhados por ele???
    Já falei com ele duas vezes. A primeira quando ele veio fazer a Lisboa uma peça com Dan Stulbach.
    Um sucesso!!
    Da segunda vez foi na inauguração dos escritórios da Globo em Lisboa, não há muito tempo. Também cumprimentei sua mulher, Lidiane. Um doce!
    Ele tem cá amigos Portugueses e eu conheço alguns.

    Obrigada Simone, Aguinaldo e Patricio.
    Entrevista e Fotos FELOMENAIS…
    Beijos
    Magdalena

  60. O Tony é daqueles seres singulares que surgem espaçadamente em nossas exstências que enaltecem todas as virtudes da raça humana.
    É um iluminado!

  61. Estou sem palavras para descrever o quanto amei, me emocionei com essa entrevista.
    Ri, pensei, me espantei, concordei, me emocionei e fiquei muito feliz.
    Nao preciso dizer muito mais.
    Parabens Simone, Patricio, Aguinaldo.
    Uma poesia em forna de entrevista.
    Uma das mais belas entrevistas que ja li.
    Boa noite a todos, beijo Aguinaldo e um beijo na Linda Lidiane e no lindo Tony.

  62. Parabens pela maravilhosa entrevista com este grande ator. Tony Ramos é um ator completo, seja fazendo drama ou fazendo comédia ele é imbatível. Um ator a serviço de seus personagens sem limitação, fazendo com muito talento um grego, italiano, indiano, português, mas para nossa felicidade na vida real ele é bem brasileiríssimo. Família linda, um homem sensível, bem humorado, politizado e acima de tudo uma experiência de vida exemplar.

  63. Desde minha última postagem aqui lá se foram duas semanas. Meu PC (cujo conserto fora adiado para revisar a tempo o roteiro para um certo concurso..rs) foi pro conserto e não voltava…na base do notebook da minha irmã, não dava pra entrar aqui com a tranquilidade que preciso para escrever e escrever.. hoje finalmente volto e me sinto presenteado! Estou chorando. Tony Ramos é meu ídolo! Ao lado de Marcos Caruso, meu exemplo de artista, de ética neste meio, nesta sociedade!

    PARABÉNS PELA ENTREVISTA, SIMONE E PATRÍCIO!!!! OBRIGADO PELO ESPAÇO AGUINALDO!!!

    A entrevista me emociona pelo passado.. em 2002, quando assisti Tony Ramos no teatro, eu, um moleque de 17 anos, todo nervoso, fui falar com ele, peguei autógrafo e não o deixei falar..fui embora correndo!

    Em 2008 (o tempo voa!), quando, num destes momentos mágicos da vida, participei de uma gravação de Duas Caras, Tony Ramos gravou sua participação na novela. Participei da cena mais fácil de minha vida: eu, junto com todos os atores presentes naquelas cenas, com a roupa do corpo, de Bruno mesmo, batia palmas para Tony Ramos!rsrs.

    A entrevista me emociona pelo futuro! Hoje, finalmente, volto ao teatro, em uma homenagem a Paulo José em que falo das 5 coisas que me faltavam, em dado momento da vida, fazer: uma delas é contracenar com este que é meu ídolo! Se um dia pelo menos entrar em cena e dizer “seu suco, senhor” e ele responder “obrigado”, pra mim, meu sonho terá se realizado!! Estou muito feliz em saber que direi isso em cena me breve e muito emocionado em voltar a este espaço num dia tão especial!!!

    Não sou um habituê do mundo artístico, mas não conheço um único artista que tenha qualquer objeção aoTony Ramos!

    Conforme escrevo, aquele dia de janeiro de 2008, quando participei de uma gravação de Duas Caras, se reconstitui desde o momento que sai de Santos…parece que foi ontem..rsrs…foi, por todo o contexto, um dos dias mais felizes que já tive!

    Desculpem a longa mensagem de cunho totalmente personalista!

    Mais uma vez, parabéns, Simone! Parabéns, Patrício! E obrigado, Aguinaldo! No último capítulo de Duas Caras, eu já havia escrito isso, mas reitero essa sua importante participação, mesmo que de forma indireta, em mais um dos momentos mais especiais de minha vida (enão me refiro apenas a vida profissional)!!!

  64. Na emoção, comi até um “c” do meu nome (fiz a mesma besteira quando estive diante do crítico teatral Sábato Magaldi, ganhando um autógrafo rasurado…rsrs)…

  65. Desde minha última postagem aqui lá se foram duas semanas. Meu PC (cujo conserto fora adiado para revisar a tempo o roteiro para um certo concurso..rs) foi pro conserto e não voltava…na base do notebook da minha irmã, não dava pra entrar aqui com a tranquilidade que preciso para escrever e escrever.. hoje finalmente volto e me sinto presenteado! Estou chorando. Tony Ramos é meu ídolo! Ao lado de Marcos Caruso, meu exemplo de artista, de ética neste meio, nesta sociedade!

    PARABÉNS PELA ENTREVISTA, SIMONE E PATRÍCIO!!!! OBRIGADO PELO ESPAÇO AGUINALDO!!!

    A entrevista me emociona pelo passado.. em 2002, quando assisti Tony Ramos no teatro, eu, um moleque de 17 anos, todo nervoso, fui falar com ele, peguei autógrafo e não o deixei falar..fui embora correndo!

    Em 2008 (o tempo voa!), quando, num destes momentos mágicos da vida, participei de uma gravação de Duas Caras, Tony Ramos gravou sua participação na novela. Participei da cena mais fácil de minha vida: eu, junto com todos os atores presentes naquelas cenas, com a roupa do corpo, de Bruno mesmo, batia palmas para Tony Ramos!rsrs.

    A entrevista me emociona pelo futuro! Hoje, finalmente, volto ao teatro, em uma homenagem a Paulo José em que falo das 5 coisas que me faltavam, em dado momento da vida, fazer: uma delas é contracenar com este que é meu ídolo! Se um dia pelo menos entrar em cena e dizer “seu suco, senhor” e ele responder “obrigado”, pra mim, meu sonho terá se realizado!! Estou muito feliz em saber que direi isso em cena me breve e muito emocionado em voltar a este espaço num dia tão especial!!!

    Não sou um habituê do mundo artístico, mas não conheço um único artista que tenha qualquer objeção aoTony Ramos!

    Conforme escrevo, aquele dia de janeiro de 2008, quando participei de uma gravação de Duas Caras, se reconstitui desde o momento que sai de Santos…parece que foi ontem..rsrs…foi, por todo o contexto, um dos dias mais felizes que já tive!

    Desculpem a longa mensagem de cunho totalmente personalista!

    Mais uma vez, parabéns, Simone! Parabéns, Patrício! E obrigado, Aguinaldo! No último capítulo de Duas Caras, eu já havia escrito isso, mas reitero essa sua importante participação, mesmo que de forma indireta, em mais um dos momentos mais especiais de minha vida (enão me refiro apenas a vida profissional)!!!

  66. Que exemplo de ser humano (um legítimo ser humano)!!

    Parabéns pela maravilhosa entrevista!

    Abraços.

  67. Ótima entrevista!

    Como já falei à Simone no Facebook: Tony Ramos não é um ator com A maiúsculo, é um ator em CAPS LOCK!!

    Simone e Patrício, parabéns mais uma vez!

  68. Toni é unanimidade não só na tv, mas também fora dela. Quem tem o prazer de conviver com ele, sabe bem disso. Também é um piadista de primeira ! Antônio de Carvalho Barbosa, o cara ! 10 como ator e 1000 como ser humano.

  69. Uma das mais belas entrevistas que já li! Parabéns Simone.

    Estou emocionada com o Tony. Já o admirava. Agora não é mais admiração, é mais… nem sei se existe uma palavra. Mas é mágico.

    obrigada pela poesia da entrevista.

    beijo enorme a todos.

  70. ADOREI! “minhas ambições jamais atropelarão alguém, a ética, a estética”. Realmente, Senhor Toni é gente para tirarmos o chapéu! Todo mundo sabe que esta é a forma certa de agir, mas poucos são os que sublimam a ganância e colocam em pratica com humildade! Simone, Patrício e Aguinaldo, ótimo trabalho, excelente pauta!

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Security Code: